Início Colunistas www.leiafacil.com 2

www.leiafacil.com 2

Tempo de leitura: < 1 minuto

Quem se acostumar a acompanhar estará sempre bem informado. Nestes tempo ‘diferentes’ ampliamos ainda mais a nossa atuação pelo site. A rádio, é bem fácil de achar, vai no menu do site e já aparece o ícone da rádio, clica e ouve o dia todo. Por este canal estamos fazendo ao vivo 11 horas por dia, das 7 às 18. E toda vez que tem notícia a gente dá na hora. Também criamos um canal via WhatsApp para sermos mais efetivos neste momento de severa crise.

 

Edições impressas

Lamentavelmente a crise da doença também se reflete na economia. O dinheiro fica curto. Logo, momentaneamente também não temos condições de manter as edições impressas de terças-feiras. Os assinantes serão recompensados disso no final do período. Peço desculpa e compreensão. Enquanto isso vamos treinando o uso do digital. Quem precisar deve pedir ajuda de alguém mais jovem, um filho, neto, amigo, enfim. Não podemos ficar para trás. Aos poucos vamos nos acostumando. Quanto a crise, uma hora passa. Quando nos dermos conta estaremos em um novo mundo.

 

Socorro aos empregos

O governo federal anunciou uma série de medidas para socorrer os empregadosdevido à crise do Coronavírus. Quarta-feira, foi assinado mais um decreto sobre a possibilidade de negociar até 70% das horas trabalhadas com o devido desconto na folha, oferecendo estabilidade por tempo igual, após a volta à carga total. Ocorre que, de concreto, até o momento não se tem muita coisa. Há linhas de crédito sendo anunciadas aos empresários para garantir os pagamentos, mas também ainda não chegaram às agências bancárias. Enquanto isso a angustia atinge todos, tanto empregadores quanto empregados.

 

Decretos

Coronavírus e decreto são as palavras mais citadas da atualidade. Que coisa, um dia é assim e no outro é assado. Mas, o momento é assim mesmo. Ninguém se prepara para algo tão grave. Até porque nem tem como se preparar.

 

Trabalhando dá

É o meu lema. Sem trabalhar nada funciona, não há vida. É a única crítica que tenho em relação aos procedimentos de combate a proliferação da doença. Há muitas atividades que poderiam ser mantidas. E aí um quer ser mais importante do que o outro (União, Estado e Município) e ficamos nós naquele vai ou não vai. Abril será um mês longo por isso. Muitos certamente se pudessem o tocariam para frente, passar sem ver, acordar em maio, bem no Dia do Trabalhador. Como disse aquela senhora ao presidente ontem em frente ao Palácio, vídeo que viralizou na internet: “Não queremos dinheiro do governo, queremos trabalhar”. Qualquer coisa que venha do governo é paliativa, temporal e vai nos custar caro, não tem almoço grátis. Sem trabalhar não dá!

 

Prefeitos

Fedoca demorou a flexibilizar seu primeiro decreto, perdeu o tempo e pagou mico, perdeu muito politicamente, do pouco que ainda resta. Prefeito tem de ter atitude, para ir e para vir. Se tiver que voltar atrás que o faça, mas não fique em cima do muro. Ainda por cima no seu ‘rascunho’ vazado, previa que os empresários seriam responsabilizados por eventual contaminação de funcionário. Chegou ao ponto de ter de emitir uma nota, quarta-feira, para esclarecer que não estava fazendo um novo decreto de flexibilização, a piada da semana, pois, claro que ninguém esperava isso dele. Não foi macho para flexibilizar sexta, segunda ou terça, não seria quinta-feira. Que barbaridade! Sobre fábricas e construção civil liberou ontem, mas na carona do Estado. Já Constantino Orsolin arregaçou as mangas e mostrou que tem atitude. Teve de recuar por conta de lei maior, do Estado, mas não ficou inerte.

 

Filiações partidárias para o pleito

A princípio os prazos para a eleição de outubro estão mantidos. A esperança dos políticos, no entanto, é que sejam adiados em relação a terem de se afastar de cargos que demandam ordenação de despesas. Se não mudar, até amanhã, ou hoje no final do dia, já que amanhã é sábado, quem precisa se licenciar terá de fazer isso para ficar elegível. É o caso, por exemplo, dos dois secretário da Saúde de Canela e Gramado, embora estejam no meio do fogo cruzado em relação ao Coronavírus. Quanto ao Vilmar Santos o Fernando Gusen esclarece lá na página 31. Quanto ao João Teixeira, pelo que disse ontem na rádio do Jornal Integração (www.leifacil.com), quando entrevistado pelo Daniel Santos, não irá se licenciar, ficando assim, fora da eleição de outubro. Quando perguntado sobre sua decisão respondeu: “Neste momento, a mais coerente”. Considerando o momento, entendo que vai permanecer. Ele disse que tem a decisão já, mas não quis antecipar, pois algumas conversas ainda estariam em andamento.

 

GramadoTur

Consultei o presidente da GramadoTur ontem sobre o assunto. Já que, como sabemos, é pré-candidato a prefeito em Caxias do Sul. Era, pois decidiu permanecer frente a autarquia que cuida dos eventos de Gramado, entre eles o mais importante, Natal Luz. “Estou trabalhando na GramadoTur e segunda estarei trabalhando na GramadoTur”, limitou-se a responder. Logo, a não ser que o estabelecido na lei mude, está fora da disputa de Caxias do Sul, onde disputou o segundo turno na eleição passada e perdeu para Daniel Guerra, cassado recentemente pela Câmara de Vereadores daquele município.

 

Fazenda

Já o secretário da Fazenda de Gramado, Paulo Sá de Oliveira, que concorreu a prefeito na eleição passada em Estância Velha, disse ontem que ainda não decidiu o que fazer. Também se mostrou confiante de que os prazos serão alterados e questiona até se haverá mesmo eleições em outubro, em razão do Coronavírus.

 

Sem mais alterações

Ao contrário de Canela onde três vereadores já mudaram de partido se aproveitando da janela, que encerra amanhã (dia 04) (leia mais nesta edição), Gramado não teve maiores mudanças de filiados. Até ontem a que chamava atenção era apenas a de Gilberto Tomasini que voltou do PSB para o PSDB, partido que ajudou a fundar. Já em Canela pelo menos mais dois vereadores estão balançando…

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido