Máscaras

Tempo de leitura: < 1 minuto

 

Já escrevi aqui outro dia que muitos usam máscara o tempo todo. Mas, até passar a crise do vírus chinês todos temos de usar. É estranho, mas necessário. É a maneira de evitar a proliferação desta maldita doença comunista que nos colocou todos dentro de um saco esperando os favores do governo. E, finalmente, parece que todos entenderam que é preciso enfrentar a maldita doença trabalhando.

Renovação

Quando Nestor Tissot assumiu o Progressistas, Pedro Bala falou que o partido estava renovando. Foi a primeira e única vez que vi o ex-prefeito (4X) arranhar o disco no discurso. Mas logo emendou que tratava-se de um “Nestor renovado”. Como pretende concorrer a prefeito, Tissot justificou sua saída “em cumprimento ao que prevê a Lei Eleitoral sobre desincompatibilizações de funções”, dizia a matéria. Mas, ao que eu saiba, não há restrições para os cargos de partidos políticos por terem natureza jurídica de direito privado. Fora isso, quase sempre os candidatos se licenciam para poderem dedicar-se integralmente à campanha.

Renovação I

Agora a renovação se deu com Jaime Schaumloffel reassumindo a direção do Progressistas. O mesmo que estava na coordenação da campanha malsucedida de Pedro Bala na eleição passada. O fato é que o partido não consegue se renovar. Tentou com Bruno Coleto por um período, mas não consolidou. São os tradicionais cuidando dos rumos do município e os jovens trabalhando sem olhar para os lados. Neste sentido, o principal rival do Progressistas, o MDB, teve melhor sorte, mas não sem antes passar um longo período (4 gestões, 20 anos) sem assumir cargo relevante, coisa que voltou a ter apenas agora em 2017, com o vice-prefeito.  Parece valer a velha máxima de que “time que está ganhando não se mexe”, mas a experiência do pleito passado será que não ensinou nada ao Progressistas?

 

MDB X Tolão

Canela é assunto para a coluna do Fernando Gusen, mas eu não me aguento… O MDB  canelense ‘interceptou’ conversas de um grupo de lideranças pedetistas. Nestas, dois áudios do secretário de Educação, Tolão, pré-candidato a prefeito, contra Constantino Orsolin, ganharam destaque. Tolão sugere que possível denúncia contra o MDB no MP não fosse feita enquanto estivesse na secretaria, mas que fosse feita em nome de estranho.  O prefeito atenuou os efeitos, dizendo serem apenas conversas internas de um grupo político e que em nada afetaria o prosseguimento da parceria com os trabalhistas no atual governo. Já a executiva emedebista escreveu e publicou uma nota, gigante, com forte repreensão aos pedetistas, levantando traição e sugerindo o imediato afastamento de todos do partido do governo por absoluta ausência de clima de trabalho. O PDT, por sua vez, embora considere as acusações e termos muito fortes, capazes de embasar até mesmo uma ação judicial por calúnia e difamação, entende não ser motivo para entregar os 20 cargos de confiança, pois sua parceria seria restrita ao prefeito Constantino, nada tendo a ver com o MDB. Abatido com o ocorrido, Tolão acredita que foi escolhido como saco de pancada do MDB por ter se anunciado pré-candidato.

Minha opinião: O PDT, com o Tolão principalmente, pisou feio na bola, fez diferente do que fala em público onde sempre declarou que jamais atingiria o governo de Constantino na sua campanha, que se isso fosse necessário preferiria nem concorrer. Da parte do MDB houve supervalorização do episódio. Querem matar o adversário de vez, com uma única cajadada. Até porque quem foi bisbilhotar o que os outros estavam conversando entre si foi o MDB. Minha mãe ensinou que não se deve ouvir o que não é direcionado para a gente, ficar atrás de uma porta era motivo para uma bela surra.

Sérgio Moro

O juiz da Lava Jato perdeu a oportunidade de sair quieto do Governo e ganhar a admiração da maioria da população brasileira, avançando para uma boa parte até mesmo dos eleitores perdedores da eleição passada, os ‘Hadda’s’, os ‘Lula Livre’. E só levanto esses dois nomes para os leitores não esquecerem as opções daquela eleição. Precisamos lembrar que a confusão haveria de qualquer forma, apenas que o sainte do ministério da Justiça agora seria o Lula. Porém, Moro ao sair pensando em derrubar o presidente revelou seu lado obscuro e caráter malformado. Nestas detonou até sua afiliada de casamento, deputada paulista Carla Zambelli, entregando aos inimigos do presidente (Globo) conversas íntimas entre os dois, parte destas mensagens preparada especialmente por Moro na tentativa de desestruturar todo o governo só porque ele não se sentia mais confortável nele, acreditando que nada mais poderia funcionar sem a sua presença e participação. “Só eu presto”, aparentemente pensa. O que ganhou foi a repugna de grande parte dos que o admiravam pelo que fez no passado e, infelizmente, não conseguiu manter quando passou para o cargo mais relevante para isso. Os corruptos foram sendo soltos e a Polícia Federal, sob sua subordinação, não conseguiu sequer esclarecer quem mandou matar Bolsonaro na campanha e quem o acusou, em pleno mandato de presidente da República, de ter participado do assassinato da vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco.

Messias

A troca ressente de dois ministros que pareciam intocáveis, Mandetta (Saúde) e Moro (Justiça e Segurança) prova que ninguém nesta terra é insubstituível. Só Messias era. E o ‘Messias’ que peregrina pelo Brasil, parece que é como pão de ló, quanto mais batem melhor fica.

Vírus chinês

Quanto à maldita doença que assola o planeta, a esta altura do campeonato, justamente no estágio mais alto, ninguém mais tem dúvida que devemos enfrentá-la trabalhando e cada um (município, região, estado ou país) deve tomar as providências de acordo com as suas condições. É o que o RS desenhou e apresentou ontem, dividindo o estado em 20 regiões que pela cor, definem as condições do enfrentamento.

Os municípios, Gramado e Canela, se não fizeram isso ontem à noite, após o governador Leite, devem apresentar hoje as emendas aos decretos que caducaram ao último dia de abril. Aulas presenciais, só em junho (talvez) e hotéis abertos, sim, com restrições (após o dia 08/05). Não deve variar muito disso.

A rádio do Integração

Acompanhe este colunista todos os dias, de segundas as sextas-feiras (menos hoje que é feriado), das sete às oito, no programa Chimarrão e Atualidades em www.leiafacil, pelo aplicativo Leia Fácil ou pela Facebook do Jornal Integração. Por ali temos música boa 24 horas e 11 horas diárias ao vivo, sempre atualizando as notícias.

Feliz Dia do Trabalhador!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido