Início Notícias Economia Confiança do industrial gaúcho segue em expansão

Confiança do industrial gaúcho segue em expansão

Tempo de leitura: < 1 minuto

Composto pela avaliação das condições atuais e pelas expectativas em relação à economia brasileira e às empresas, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI-RS), divulgado nessa segunda-feira (21) pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), aumentou em setembro pelo quarto mês consecutivo. Chegou a 65,2 pontos, 8,5 acima de agosto, se distancia em 33,2 do mínimo histórico de maio passado e fica a apenas 1,7 de fevereiro, patamar imediatamente anterior à pandemia. “O retorno gradual das atividades econômicas e a flexibilização das medidas de isolamento social no país explicam em parte o resultado do ICEI. Mas convém ressaltar que ele reflete também o cenário muito deteriorado dos meses anteriores, fato corroborado pelos níveis dos indicadores de atividade industrial, ainda distantes do período pré-pandemia no estado”, pondera o presidente Gilberto Porcello Petry.

Variando de zero a 100 pontos, o ICEI-RS acima de 50 mostra os empresários confiantes. Isso foi detectado também pela pesquisa de setembro no Índice de Condições Atuais: subiu 11,7 pontos em relação a agosto e alcançou 59,4. O valor acima de 50, pela primeira vez desde março passado, revela melhora nas condições atuais, enquanto a forte alta demonstra que ela foi substancial, tanto nas condições da economia brasileira, cujo índice avançou 12,2 pontos ante agosto e atingiu 54,6 em setembro, quanto nas condições das empresas, que também subiu intensamente, de 50,4 para 61,8 pontos. A avaliação entre os empresários consultados de melhora na economia deu um salto no período: de 21,1% para 44,3%.

Pela quinta vez consecutiva, o Índice de Expectativas para os próximos seis meses aumentou em setembro, 6,9 pontos na comparação com agosto, e alcançou 68,1. Isso significa que o otimismo (marcas acima dos 50 pontos) ficou mais disseminado entre os empresários gaúchos. O índice referente à economia brasileira cresceu de 55,4 para 63,6 pontos, como reflexo do aumento de 43,1% para 61,1% na parcela de empresas otimistas, e da redução de pessimistas de 19,1% para 10%. O Índice de Expectativas das Empresas é o componente da confiança de maior pontuação no mês: 70,3 pontos, 6,2 acima de agosto. Mais de 75% dos empresários estão otimistas com o futuro da empresa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido