Início Variedades Gramado e Canela King Kong en Asunción, produção pernambucana rodada em diferentes países latinoamericanos, encerra...

King Kong en Asunción, produção pernambucana rodada em diferentes países latinoamericanos, encerra manhã de debate

Tempo de leitura: < 1 minuto

A 48ª edição do Festival de Cinema de Gramado se encaminha para o fim e encerra o ciclo de debates na manhã desta sexta-feira, 25, com as equipes dos curtas brasileiros “Trincheira”, de Paulo Silver, e “O Barco e o Rio”, de Bernardo Ale Abinader, e do longa brasileiro “King Kong en Asunción”, de Camilo Cavalcante. 

“King Kong en Asunción”, o longa pernambucano de Camilo Cavalcante encerrou a exibição das mostras competitivas na noite de quinta-feira, 24. No filme, um velho matador de aluguel, vivido pelo saudoso Andrade Júnior, comete o seu último assassinato na região desértica de Salar de Uyuni e se esconde no interior da Bolívia.  Após meses isolado, ele viaja para o interior do Paraguai onde recebe uma boa recompensa e segue para Asunción com o objetivo de conhecer sua filha. O filme totalmente latinoamericano, tem na equipe profissionais de cinco países. Há colombianos, paraguaios, argentinos, bolivianos e brasileiros. “Sempre priorizei a espontaneidade, a possibilidade de criarmos juntos. Permitimos os acasos, assumimos os imprevistos como forma de narrativa e estética do filme”, comenta Camilo.  O roteiro previa inicialmente uma narração em off do próprio personagem, mas foi narrado em guarani pela atriz paraguaia Ana Ivanova. No elenco também  Juan Carlos Aduviri, Fernando Teixeira, Maycon Douglas e Georgina Genes. 

A produtora executiva Carol Vergolino falou sobre a experiência de ter a estreia do filme na TV em um momento de pandemia. “Toda a solidariedade a essas famílias dos quase 140 mil mortos. Mortos que esse governo de morte fez com que fossem mais do que as esperadas. O cinema também é a interação de corpos. A classe artística foi a primeira a parar e será a última a voltar.  Mas este também é um momento de ver outras possibilidades, há também de se esperançar, ver o que há de saldo positivo e promover o Festival é um ato de resistência. Saldo de poder ser visto na TV por muito mais gente, mas chegar a isso em cima de muitos corpos é muito triste”, avalia. 

O alagoano “Trincheira” conta a história de Gabriel, um menino que de um lixão observa o muro de um condomínio de luxo e usa a imaginação para construir seu universo fantástico. Do meio da sucata, do ferro-velho, o menino cria seu mundo e extrapola a própria e precária realidade. “O filme surgiu da vontade de falar sobre a desigualdade. Somos de um estado com a pior distribuição de renda e ‘Trincheira’ foi uma forma lúdica que encontramos para tratar do tema”, comenta Paulo Silver. 

O amazonense “O Barco e o Rio” conta a vida de Vera, uma mulher religiosa que vive em um barco no porto de Manaus com a irmã Josi, que frequenta os bares da redondeza, e  com quem diverge em diferentes aspectos. “A ideia inicial surgiu da vontade de investigar essas pessoas que circulam no porto e entender suas subjetividades.  Essa questão que existe entre as duas irmãs está presente em toda a zona portuária, cheia de bares e igrejas”,  comenta o diretor Bernardo Abinader. 

Festival lança a Carta de Gramado

O Festival de Cinema de Gramado é, tradicionalmente, um palco de resistência e defesa do cinema brasileiro. Este ano, o evento lança mais uma vez a Carta de Gramado, que tem como signatários SOS Cinemateca – APACI – Associação Paulista de Cineastas, ABPA – Associação Brasileira de Preservação Audiovisual, Cinemateca Viva e Cinemateca Acesa e já conta com as adesões do 48º Festival de Cinema de Gramado, Conexões Gramado Film Market, Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema, Abraci – Associação Brasileira de Cineastas (RJ), Accirs – Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul, Frente Parlamentar da Câmara Municipal de São Paulo, Frente Parlamentar Mista em Defesa do Cinema e do Audiovisual da Câmara Federal, Pavi – Pesquisadores do Audiovisual e da Iconografia, Siaesp – Sindicato da Indústria Visual do Estado de São Paulo, Siav – Sindicato da Indústria Audiovisual do Rio Grande do Sul, e colegiado Setorial do Audiovisual do Rio Grande do Sul. 

A produção cultural brasileira já enfrentou ataques demolidores por parte de muitos governos – os anos Collor foram exemplares nesse sentido: destruíram a EMBRAFILME e derrubaram as estruturas do cinema brasileiro, levando consigo estúdios, laboratórios, planos e sonhos. Foram 5 anos de terra arrasada, mas depois de muito esforço e luta nos reerguemos. Os governos terminam, mas a produção cultural segue pulsando, pois é uma necessidade atávica dos seres humanos, apesar de seus governantes… (leia na íntegra no site www.festivaldegramado.net) 


Mostra universitária encerra a programação do Conexões Gramado Film Market

Neste sábado, 26, o Conexões Gramado Film Market em parceria com a SIGMA Coletivo de Cinema encerra a programação com a mostra de filmes universitários. Seis produções de Goiás, Pernambuco, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Ceará e Paraná integram a exibição. Confira: http://www.festivaldegramado.net/programacao/


Cerimônia de Premiação acontece na noite deste sábado, às 21h

A emoção já confirmou presença no palco do Palácio dos Festivais neste sábado, às 21h. A noite mais esperada tradicionalmente recebe os talentos que concorrem ao desejado Kikito. Este ano, não será diferente. A presença física foi substituída pela virtual, mas a proximidade está garantida pela intensidade da semana de exibição e  de todos os debates e entrevistas que aconteceram nos últimos dias. 

Deus do Bom Humor

Confeccionados em bronze fundido com 1,7kg e 33cm, os cobiçados Kikitos já estão prontos. Idealizado em 1967 pela artista Elisabeth Rosenfeld, a estatueta foi concebida para personificar o Deus do Bom Humor. E é assim que o Festival de Cinema de Gramado segue firme e potente. Os troféus serão entregues aos vencedores no decorrer dos próximos meses. 

Acompanhe a Cerimônia de Premiação pelo Canal Brasil e pelas redes sociais oficiais do Festival de Cinema de Gramado. 


Prêmio Tecna oferece moderna infraestrutura aos destaques do Festival de Cinema de Gramado  

Melhores longas-metragens gaúcho e brasileiro e os vencedores do concurso interativo Gramado Film Market receberão o reconhecimento.

Incentivar a indústria criativa concedendo premiações, propiciar o acesso a uma infraestrutura de padrão internacional e promover conexões entre os profissionais do setor e também com o público. São com estas propostas, que o Tecna – centro de produção audiovisual da PUCRS –, considerado uma das mais modernas para o audiovisual do país, participa e apoia o 48º Festival de Cinema de Gramado. Pelo segundo ano consecutivo, o Prêmio Tecna será concedido aos destaques do Festival.    

“A premiação reforça o nosso compromisso com o desenvolvimento do setor audiovisual brasileiro. Sabemos que este movimento passa pelo fortalecimento da produção independente e a nossa infraestrutura representa um porto seguro, um diferencial para as próximas produções que continuarão representando o Brasil”, destaca Aletéia Selonk, gerente do Tecna. 

Em cerimônia virtual, o Prêmio Tecna será concedido aos vencedores durante a sessão de entrega dos Kikitos, na noite de 26 de setembro. 

Melhores longas-metragens   

O Tecna irá premiar os vencedores das categorias de Melhor longa-metragem gaúcho e Melhor longa-metragem nacional do Festival. As equipes agraciadas receberão 15 mil reais para utilizar em infraestrutura e serviços do centro de produção audiovisual. Na edição de 2019, os premiados foram “Pacarrete”, do diretor Allan Deberton (melhor longa-metragem brasileiro) e “Raia 4”, de Emiliano Cunha (melhor longa-metragem gaúcho). 

Concurso interativo   

No Gramado Film Market, o Tecna apoia o evento já em sua quarta edição, visando estabelecer conexões entre o mercado audiovisual. Entre as iniciativas, está a atuação no Hub Universidades, um espaço dedicado a estudantes, professores, pesquisadores. O espaço do Festival dedicado ao mercado também aconteceu de forma virtual neste ano. O Gramado Film Market, visa estabelecer conexões entre o mercado audiovisual. Com o apoio do Tecna, esta edição ocorre em sinergia com o Forcine – Fórum Brasileiro de Ensino de Cinema e Audiovisual, apresentando painéis temáticos, além das rodadas de negócios e mostra de filmes universitários exibidos pela TVE-RS. 

Para criar, também, conexões do mercado audiovisual com o público, o concurso interativo do Gramado Film Market irá escolher a Melhor Série e o Melhor Documentário brasileiros, exibidos em TVs aberta e paga, VoD (vídeo sob demanda), streaming e/ou internet em 2020. A indicação dos títulos para a votação também ocorreu de forma interativa pela web. A votação popular ocorrerá até hoje, 25 de setembro, às 23h59, neste link: http://www.festivaldegramado.net/film-market/. E os vencedores em cada uma das categorias receberão o Prêmio Tecna para utilização em serviços de infraestrutura no valor de cinco mil reais, além da possibilidade de negociação de licenciamento de exibição com a Box Brazil para seus canais de TV por assinatura e a plataforma Box Brazil Play. 

No ano passado, os vencedores do concurso do Gramado Film Market foram “Expedição Missões – A música colorada”, da produtora Adriana Copetti (categoria Piloto de Projetos) e “Bem vindo”, vídeo Libras de Luiza Caspary (categoria Clipes e Musicais).   

Uma das estruturas mais modernas do país, o Tecna tem um espaço de 3,3 mil metros quadrados de área construída e traz soluções que otimizam os processos produtivos desde a pré-produção, passando pela produção e evoluindo para a pós-produção. Possui três estúdios de cinema e TV com tecnologias como piso flutuante, condicionamento e isolamento acústico. Também tem um estúdio de mixagem de som com certificação THX e tecnologia Dolby Atmos, além de salas individuais para finalização de imagem, laboratório de animação e áreas de apoio à produção com camarins, sala de produção de figurinos, marcenaria, acervo e refeitório. 

No Centro está localizado o Laboratório de Pesquisas Audiovisuais – Lapav, estrutura de pesquisa vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Escola de Comunicação, Artes & Design – Famecos da PUCRS.

25 de setembro – sexta-feira

20h

PROGRAMA ESPECIAL

Entrega das homenagens

Troféu Oscarito | Marco Nanini

Troféu Edardo Abelin | Laís Bodanzky

Troféu Cidade de Gramado | Denise Fraga

Troféu Kikito de Cristal | César Troncoso

No Canal Brasil e nos canais digitais do Festival de Cinema de Gramado (YouTube, Site e Facebook).

20h10

FILME DE ENCERRAMENTO

Bye Bye Brasil, de Cacá Diegues / 105′

Única exibição pelo Canal Brasil


26 de setembro – sábado

13h

CONEXÕES GRAMADO FILM MARKET

Hub Universidades: Mostra de filmes universitários:

UEG O Cinema Que Não Se Vê (GO), de Erik Ely / 8’21″

UFPE O Verbo Se Fez Carne (PE), de Ziel Karapotó / 6’28”

UNISUL Acho Que (SC), de Bianca Pirmez / 5’

PUCRS Fora Da Curva (RS), de Jessica Fontoura /13’

UNIFOR Tommy Brilho (CE), de Sávio Fernandes / 17’44”

UNESPAR Bicha Bomba (PR), de Renan De Cillo / 8′

SIGMA Coletivo de Cinema

Nos canais digitais do Festival de Cinema de Gramado (YouTube, Site e Facebook). A Mostra Universitária será transmitida, também, pela TVE-RS, na TV, Site e YouTube.

21h

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido