Início Esportes Gramado e Canela A vila da inclusão social e esportiva

A vila da inclusão social e esportiva

Tempo de leitura: < 1 minuto

GRAMADO – Após uma longa espera com oito anos para ser concluída, o Ginásio Poliesportivo que integra o Complexo de Esportes e Lazer da Vila Olímpica da Várzea Grande foi entregue na manhã de sexta-feira (18). O espaço é destinado à prática de esportes como futsal, vôlei, handebol, basquete e uma quadra de futebol society, a primeira pertencente ao Município.

O valor total investido na obra é de R$ 9.582.706,53, sendo R$ 5.475.353,16 proveniente de recurso federal e R$ 4.107.353,37 pagos pelo município. São 8.774,10 metros quadrados construídos e, para uma comparação, o Perinão tem 3.700m².

O ginásio teve suas obras iniciadas em 2012, com objetivo de receber uma seleção para Copa do Mundo de 2014. No entanto, teve sua construção atrasada em decorrência de sucessivos problemas envolvendo as empresas licitadas para executar a obra, além de notificações da Controladoria Geral da União (CGU).

Com a possibilidade ou não de público, a inauguração do ginásio prometia ser em grande estilo com a realização, do Campeonato Sul Brasileiro de Futebol 7 e a participação de 12 equipes, sendo seis feminino e o mesmo número no masculino. Clubes do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, entre eles, de Gramado nas duas modalidades participariam da competição. Esta era a intenção da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SMEL), mas devido à classificação do município em bandeira vermelha e o aumento de casos de coronavírusnão foi possível.

O secretário de Esportes e Lazer, Jacó Schaumloeffel, fez um panorama desde o início da obra, dos problemas enfrentados durante o período e lamentou o fato de não poder realizar competições para celebrar a inauguração do espaço esportivo.

“Muitas pessoas acompanharam todo o processo destes oito anos, trabalhamos muito, teve alteração no projeto e com certeza este espaço é da comunidade de utilizar eventos, projetos sociais e uma alegria grande de poder estarem entregando esta obra, pois o esporte é formador de cidadãos. Estamos entregando o ginásio não da maneira como gostaríamos, estávamos planejando uma grande competição, mas contente que um complexo como este durante muito tempo atenderá a demanda da comunidade”, disse.

Ministro Onyx acompanhou o secretário Jacó durante visita nas quadras do ginásio – Tiago Manique/JIH

O ministro da Cidadania Onyx Lorenzoni, mencionou que além da obra estrutural, outra tão importante é o espaço que ficará disponibilizado para crianças, adolescentes e famílias servindo para inclusão social por meio do esporte e até a formação de atletas.

“Esse espaço aqui, quando for ocupado pelas escolas do município, será uma escola de vida, onde os valores fundamentais são aprendidos. Mais do que campeões olímpicos, vamos construir campeões para a vida, que mudarão suas trajetórias e a história de suas famílias e este é o espaço que podemos encontrar o atleta de alto rendimento, que podem nos representar em competições nacionais e internacionais”, enfatizou.

Conforme o ministro, a conclusão do ginásio faz parte do rol de 34 mil obras inacabadas que o atual governo federal recebeu e que esta é uma das prioridades da gestão. “Existe uma recomendação expressa do presidente Jair Bolsonaro para concluirmos toda e qualquer obra que tenhamos recebido, e não foram poucas, recebemos 34 mil obras inacabadas do governo anterior. Nós estamos concluindo as obras. Há uma insatisfação de nossa equipe sobre a demora na entrega de obras públicas que tem que ser rápidas, feita de maneira eficiente e economizando recursos públicos”, finalizou.

Espaço do ginásio

Para não deixar o Ginásio da Vila Olímpica ocioso, os espaços internos como as quadras e o bar serão terceirizados. Segundo Jacó, o processo de licitação para explorar comercialmente o local já foi realizado e como é de praxe nestes trâmites, uma série de requisitos devem ser seguidos pelo vencedor do processo licitatório como um valor limite a ser cobrado para a comunidade utilizar o aluguel das quadras, além dos dias de utilização do espaço.

Inserido no contrato proposto pela Prefeitura, o ecônomo não poderá alugar as quadras nas terças e quintas-feiras e em um final de semana por mês, pois nestes dias será aproveitado para projetos sociais e competições organizadas pelo poder público.

Texto: Tiago Manique – [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido