MEU GRANDE ÍDOLO

Tempo de leitura: < 1 minuto

É do conhecimento de todos que me prestigiam com sua leitura ao longo dos anos, a minha admiração pelo cantor Teixeirinha, o qual faleceu em dezembro de 1985 aos precoces 58 anos de idade. Chego a me policiar para que isto não se transforme em idolatria. Desejo ficar com o substantivo admiração. Estas escolhas devem ter nascido bem lá atrás, na juventude, que é quando forjamos nossa identidade.Hoje, passado todo este interregno de tempo, permito-me pensar ter sido no mínimo uma opção coerente.

Somos, ou éramos, um estado diferenciado no contexto brasileiro, e Teixeirinha fazia questão de acompanhar esta posição, ao se mostrar artisticamente como gaúcho, como sendo do Rio Grande. Em qualquer palco que se apresentasse, o lenço, a bombacha, a bota o acompanhavam sempre. Isto numa época em que vestir-se àcaráter era motivo de deboche, aqui e lá fora. Coisa de grosso!! Hoje está bem diferente, felizmente. Até moda virou. A propósito, lembro de uma certa cantora do Rio Grande do Sul que atingiu expressão nacional, mas evitava dizer que era do Rio Grande, que era gaúcha.

É fácil sentir a influência que a música tem nas pessoas, e quando a melodia casa com a letra, a simbiose fica completa. Mexe com o mais insensível dos sujeitos. Desacomoda os neurônios. Por ter nascido virtuoso e com dons conferidos a poucos é que Teixeirinha compôs melodias e escreveu letras diferenciadas.

“Me perguntaram se eu sou gaúcho, está na cara repare o meu jeito” parte da música gaúcho de Passo Fundo ou “Não ri seu moço daquele colono, agricultor que ali vai passando, admirado com o movimento, desconfiado lá vai tropicando” ou “Deus é gaúcho de espora e mango. Foi maragato ou foi chimango…”da consagrada Querência Amada. Letras e melodias deste quilate só são concebidas por quem tem inspiração superior, concedidas por Deus a poucos. Na média dos reles mortais, é impossível atingir esta qualidade.

Ouvi certa feita de Luiz Carlos Borges, um dos grandes artistas e acordeonistas do RS, ser de Teixeirinha a voz mais afinada que conhecera.Um testemunho incontestável e balizado que comprova outra virtude do artista.

Falar no volume de discos que vendia, nos filmes que fez (sem lei Rouanet) na audiência dos programas de rádio, nas multidões que reunia nos circos e teatros onde se apresentasse, isto tudo fica para outra oportunidade. Afinal o currículo artístico do homem é inesgotável.Será que consegui justificar porque quase idolatro o grande Victor Matheus Teixeira?

 

RÁPIDAS E SELECIONADAS

  • Neste dia 7 completaram-se 28 anos da inauguração do Mundo a Vapor, um parque sem similar no país. Disse no país, quiçá no mundo. Orgulho de Canela, idealizado e viabilizado por canelenses da gema, como a família Urbani.
  • O parque do Caracol recebeu 38.168 visitantes em novembro, que representaram 2.91% a mais que no mesmo mês do ano passado. O mês em curso, dezembro, é o mês das vacas gordas em termos de visitação. No ano passado foram quase 60 mil visitantes.
  • Encontrei o ex-prefeito de Caxias do Sul, Alceu Barbosa Velho, que passeava pela região, acompanhado pela esposa. O papo informal permitiu filtrar estas dicas:

“EdsonNéspolo, que perdeu no 2º turno a eleição municipal passada para o atual prefeito, deverá ser o candidato do PDT novamente. Disse haver um clima de Recall político em Caxias do Sul, no sentido de arrependimento do eleitor”.

“Pelo MDB se encaminha a candidatura do atual deputado estadual Carlos Búrigo”.

Enquanto Alceu Barbosa Velho em hipótese alguma será candidato. Disse que a política está exageradamente viciada em corrupção. Escolheu se dedicar à família e ter tempo para viajar, passear…

  • A foto de capa da Zero Hora de sexta-feira mostrou os presidentes dos países do Mercosul em Bento Gonçalves plantando árvores(videiras) para assinalar o evento. Um cenário bem semelhante ao ocorrido em Canela, no Laje de Pedra em 1992, quando o mesmo evento ocorreu aqui, claro que com outros personagens.
  • Ainda na mesma edição da Zero Hora, foram publicados os salários iniciais e os pretendidos pelo pessoal da Brigada Militar, tudo em razão do projeto que tramita na Assembléia Legislativa atualmente. Aqui entre nós, bem baixinho, são remunerações nada desprezíveis, basta conhecer um pouco do mercado de trabalho atual. O real, não o fantasioso, do Brasil real, não o que merecemos.

 

“Navida tudo o que você não pode fazer é desistir”

Winston Churchil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido