Início Colunistas 17 anos hoje

17 anos hoje

Tempo de leitura: < 1 minuto

Foi exatamente em 06 de março de 2003 que circulamos a primeira edição do seu JI. 17 anos completos de dedicação e respeito a ti, assinante. Eu e a minha família nunca medidos esforços para que tudo andasse bem. E para “andar bem”, contamos com a força de muita gente. De uma lado uma equipe maravilhosa e de outro, vocês, assinantes. Muita coisa. Muita mesmo. Ajudamos e fomos ajudados, bem como precisa ser para dar certo. Só agradecimentos a Deus, aos assinantes, anunciantes e todos que de uma forma deram uma forcinha. Estamos aqui, sempre apostos. E, no dia 20 próximo, teremos uma edição especial falando um pouco mais sobre estes 17 anos e planejamento que temos para enfrentar a ‘maior idade’.

JIza é uma novidade

Temos a rádio, onde eu mesmo tenho programa todas as manhãs, das sete às oito, o portal www.leifacil.com, com tudo livre para os assinantes, o Face, o Insta, o Twitter, podcast, Spotify e por aí vai, para você acompanhar o nosso conteúdo jornalístico e dos nossos anunciantes, parceiros de negócios e temos também a JIza.

A JIza você tem de salvar na sua lista de contatos do WhatsApp. Aí você pode consultar os itens que temos nos classificados. Escreva a palavra desejada, envia a ela, e se temos o item ela responde.

Exemplo: ar condicionado. São cerca de 120 itens. Eestamos ampliando. Lançaremos empresas e profissionais de Canela e Gramado. Nossa meta é chegar até o fim deste ano com mais de três mil itens, pois estamos acrescentando cerca de 20 itens por dia.

38 anos de rádio 

 

Esteve nos visitando no programa Chimarrão e Atualidades, quarta-feira, dia 04 de março, o amigo e assinante do JI desde o início, Amauri Vasconcelos. Neste dia, exatamente, seu Amauri completava 38 anos de profissão como locutor de rádio, do que muito se orgulha. Receba, Amauri, meus cumprimentos e meu reconhecimento, valoroso cidadão, um dos tantos que deu uma forcinha para o Integração nestes 17 anos. Já fico pensando na festa daqui a dois anos quando completares 40 de profissão e 70 de vida. Vai faltar boi na fazenda…

Eleições 2020

Em uma entrevista à Gaúcha, quarta-feira, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, explicou queo primeiro ano de governo é para tatear as coisas de forma meio tonta, os dois anos seguintes são de produção e o quarto é de campanha. Logo, estamos em ano em que o setor político não funciona e o próximo também será assim. E o pior é que o que foi feito por uma turma nestes dois anos, outra turma agora tem tempo igual para destruir. Por isso é que temos de lutar por uma reforma política. Imagino que um mandato de seis anos, com uma consulta popular no meio do mandato para saber se aprova e segue o mandato ou se chama outra eleição em pouco tempo, seria o ideal.

Fedoca candidato?

Teria ele dito à Sorriso, segundo o Gerson Sorgetz, que “aceitaria” o desafio de buscar um segundo mandato caso “esse grupo” (não sei o qual), assim desejasse. Eu fico pensando: o que se sabe é que o candidato do “grupo”, é para ser o Evandro, atual vice. Mas os dois não se topam. Dito e repetido pelo Evandro durante o período e teve até o episódio da cadeira, onde o Fedoca deixou uma reserva para quando o Evandro assumisse nas suas ausências. Logo a curiosidade: até que ponto esta colisão tem força.  Aponto de um prejudicar o outro ao máximo, ou é leve a ponto de poder colocar os dois no mesmo palanque, mesmo que não juntos na chapa. Pois a dobradinha se repetir não tem nenhuma chance, isso está definido. Sozinho no PDT Fedoca não deslancha, acho. O MDB sem poder contar com alguns feitos da gestão, também parece suicídio. Então, aguardemos novos capítulos.

E a Gramadotur?

Enrolado também está em Caxias do Sul. Muitos querem, muitos veem possibilidades, mas nada definido. Enquanto isso o presidente da Gramadotur, Edson Nespolo, também sofre. Precisa decidir se vai ou se fica e a coisa não clareia. O certo é que, se ficar, Fedoca ganha um reforço e tanto na campanha pela reeleição ou mesmo sucessão. Se for, pede ele (Nespolo), seu patrimônio político naquela cidade. Como candidato vencedor do primeiro turno, certamente está na memória do eleitorado, coisa que até um próximo pleito poderá ter sido substituído. Mas ele espera e depende de uma decisão do ex-governador José Ivo Sartori, que embora em outro partido (MDB), é seu padrinho político. “Eu jamais concorreria contra ele”, diz Nespolo, que é filiado ao PDT. Na mesma situação está o secretário da Fazenda, Paulo Rogério Sá de Oliveira, que concorreu a prefeito em Estância Velha na eleição passada.

Prazo é 04 de abril

Até esta data estas questões terão que estar definidas. Quem quiser concorrer precisa ter filiação partidária e domicílio eleitoral na cidade em que pretende participar do pleito. Neste período de ontem ao dia 04, até os vereadores podem mudar de partido sem perder o mandato, o que é justo. Em Canela tem caso, mas como o Fernando Gusen voltou das férias o assunto é dele, na página 39 desta edição.

E a terceirização da EGR?

Li uma matéria sobre Nova Petrópolis, onde o prefeito formou uma comitiva, com empresários e lideranças, convidou dois deputados, Elton Weber (PSB), que é da cidade, e Carlos Burigo (MDB), de Caxias do Sul, e foi lá em Porto Alegre ver como isso está e levar a pauta do que deve constar no contrato de concessão. Ficarão em cima, defendo as demandas da RS que liga a Gramado.

Silêncio preocupante

Por aqui, tudo o que se percebe é que o capim aproveita o silêncio para crescer bastante enquanto a foice não aparece, e está demorando cada vez mais aparecer. Nenhum movimento, nada! As passarelas nos bairros Várzea Grande, Três Pinheiros, Jardim e no trecho entre Gramado e Canela, quem irá garantir que constem no contrato? Duplicação e isenção ou subsídio para usuários diários, quem vai nos ajudar com isso?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido