InícioTeu VereadorGramado e CanelaMeio Ambiente é pautado por lideranças políticas em Gramado

Meio Ambiente é pautado por lideranças políticas em Gramado

Tempo de leitura: < 1 minuto

GRAMADO – Tendo como foco principal o meio ambiente, na manhã desta terça-feira (30), três vereadores gramadenses participaram de mais uma edição do programa Voto de Minerva, comando pelo diretor do Jornal Integração, Cláudio Scherer. Na ocasião, os vereadores Celso Fioreze (PSDB), Rodrigo Paim (MDB) e Rosi Ecker (PP), que debateram sobre as questões ligadas a sessão do Legislativo desta segunda-feira (29). Durante o debate, também estiveram na pauta o Plano Diretor, Habitação e Mobilidade.


FUNDO VERDE
Sobre o Fundo Verde, Celso Fioreze comenta que por vários anos a quantia de R$ 14 milhões ficou parada em um fundo e com a regulamentação uma grande parte poderá ser utilizada para melhoramentos dentro da área ambiental. Para Rosi Ecker, existem muitas opções para a utilização dos recursos do Fundo Verde, citando como exemplo o Vale dos Pinheiros, Lago Joaquina Rita Bier, Parque das Orquídeas e a até mesmo para manutenção e construção de praças. Já o vereador de oposição, Rodrigo Paim, afirmou que tinha dúvidas sobre os projetos, as quais foram sanadas após a explicação dada pelo secretário de Planejamento do Município, Rafael Bazzan. “O nosso secretário está de parabéns, é muito atencioso e a equipe disposta a ajudar. Se eu não estiver seguro para votar no projeto, eu não voto, não interessa de quem for. Mas, este projeto ficou muito bom. Foi um debate saudável dentro da Câmara e todos votaram com muita consciência.”, disse Paim.

TPA

A cobrança da Taxa de Proteção Ambiental no município está na câmara de vereadores. “A primeira pergunta que faço é por que foi feito este projeto? Este projeto foi colocado na Câmara porque a taxa que existe é inconstitucional, e se não fosse? Teria este outro projeto?”, questionou Fioreze. O vereador manifestou ser contrário a criação desta taxa, afirmando que o projeto está no legislativo a apenas 15 dias e teria que ser votado ainda este ano, sendo inviável por necessitar de mais tempo para discussões.
“Quando o projeto chegou à Câmara, nem todos os vereadores estavam presentes, mas a secretária da Fazenda explicou bem e deixou um tempo para que quisesse acrescentar informações. O tempo passou e foi protocolado o projeto”, disse a vereadora Rosi Ecker, líder de governo, afirmando que o projeto precisa de amadurecimento em alguns pontos, mas é um projeto importante.
Para o vereador de oposição, Rodrigo Paim, existem outras formas de arrecadar e não precisa cobrar do turista. “Não sou favorável ao projeto. Não adianta só querer arrecadar. E tem outras coisas que o prefeito fala e eu concordo com ele, que precisamos reduzir os custos. Mas cobrar uma taxa, em minha opinião, vai ficar muito ruim para Gramado”, afirmou Paim.

Abaixo a entrevista completa. Pelo celular clique em OUVIR NO NAVEGADOR.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido