Início Política Gramado e Canela Meta de finalizar o loteamento Carazal

Meta de finalizar o loteamento Carazal

Tempo de leitura: < 1 minuto

GRAMADO – O ex-prefeito e candidato à Prefeitura Nestor Tissot (PP) garante que irá finalizar o loteamento Carazal. Ele concedeu entrevista ao Integração nesta semana para falar sobre Habitação e Assistência Social e, entre outros temas, falou também das políticas públicas para as mulheres, crianças, adolescentes e terceira idade e se comprometeu em ampliar as equipes do Cras. Uma sede própria para a Secretaria de Assistência Social também esteve na pauta, confira o que o candidato disse à respeito:

1 – Quais seus projetos para a área da habitação social?

O direito a uma moradia digna é uma das bandeiras que sempre levantamos. Durante nossas administrações, os Progressistas criaram inúmeros loteamentos populares, assim oportunizando à comunidade a conquista de sua casa própria. Daremos continuidade aos projetos já existentes como o do Carazal e do Celita, e estaremos planejando outros, pois nossa comunidade cresce e precisa de apoio nessa área tão importante.

2 – Qual seu posicionamento com relação aos logradouros ocupados de forma irregular?

Temos que verificar tanto na zona urbana, como na rural qual o cenário atual dessa ocupação irregular, é preciso planejar, reorganizar, projetar novamente. É necessário que se tenha um olhar cuidadoso e cauteloso, os logradouros precisam ser regularizados, mas paralelo a isso, a comunidade, os moradores, precisam ser respeitados. Assim, junto com nossa equipe estaremos analisando pontualmente cada um dos casos.

3 – E acerca dos loteamentos já consolidados, mas que ainda estão sem regularização fundiária?

É preciso regularizar, mas com cautela, pois muitos moradores depositaram ali todas as suas economias, seus sonhos. Temos que junto com os departamentos jurídico, de planejamento, meio ambiente e assistência social buscar a melhor solução para cada um dos loteamentos. Um trabalho sério e comprometido nesse sentido auxiliará, pois as famílias terão seus terrenos regularizados, em áreas próprias e sem risco para a vida. 

4 – E com relação ao projeto do Loteamento Carazal? Será dado sequência?

O projeto do Loteamento Carazal foi um dos que idealizamos, é uma de nossas missões mais importantes, pois finalizar essa etapa é realizar o sonho de muitos gramadenses, e nosso também. Estaremos, assim que tomarmos posse, entrando em contato com a Caixa Econômica Federal para darmos celeridade a esse processo que já perdura por anos.

5 – Quais os principais projetos que pretende desenvolver na área social?

A área social precisa de um olhar específico e cuidadoso, com a pandemia muitos membros de nossa comunidade estão enfrentando problemas nas mais diversas áreas sociais, então trabalharemos em inúmeras frentes, quais sejam: criação de programas de apoio às famílias, tanto na questão emocional quanto de capacitação; transformação dos centros comunitários em centros de convivência intergeracional para a família e atendimento diferenciado para idosos; realização do programa bem-estar da família em todos bairros da cidade; implantação do programa de cuidadores a domicílio e do idoso visitador, com formação de rede de idosos voluntários; de um centro integrado da pessoa com deficiência, um espaço para pesquisa, lazer, convivência, capacitação, treinamentos; do programa abraço à pessoa com deficiência; do centro de atendimento da promoção da igualdade racial; da Casa da Mulher Brasileira; estaremos também aperfeiçoandoas políticas em prol da juventude e atuando fortemente na garantia de direitos da criança e do adolescente. Para tanto criaremos dois novos centros de referência em assistência social. Também estaremos ampliando o CRAS, o CREAS o PIM, além de um programa específico para mulheres, junto as Damas de Caridade.

6 – De que forma pretende ajudar as mulheres em situação de violência doméstica?

A violência por si só já é abominável, com as mulheres torna-se ainda mais inaceitável. Para tanto pretendemos implantar programas, junto as Damas de Caridade. Vamos criar um centro de referência de políticas públicas para mulheres vítimas de violência doméstica e sexual, uma Casa Abrigo para mulheres vítimas de violência; dentre outras ações que visem à valorização de mulheres e meninas na prevenção de combate à violência contra as mulheres pela rede municipal de ensino.

7 – Algo reservado para a melhor idade?

O idoso precisa ser mais valorizado e respeitado, estamos pensando em algumas ações específicas para nossa comunidade que está na melhor idade, entre elas está a implantação do programa de cuidadores a domicílio e do idoso visitador, com formação de rede de idosos voluntários; a criação de um programa específico de atenção geriátrica; de um programa de hidroginástica para a 3ª idade; implantação dos programas escola de arteterapia, cidade amiga do idoso, educação para a vida e programa mãos que cuidam e ampliar o mercado de trabalho para as pessoas com mais de 60 anos, com incentivos a empresas locais que fizerem tais contratações, além de criar um departamento específico para atenção ao idosos.

8 – Quais os planos para o cuidado de crianças e adolescentes?

O nosso futuro está nessas mãos, então precisamos levar a elas a melhor qualidade de vida e de aprendizagem, assim estaremos ampliando os projetos sociais voltados para as crianças e adolescentes, conversando com profissionais que possam auxiliar e assim elaborando estratégias cada vez mais eficazes para essa área. Vamos também fortalecer a parceria com FGTAS (SINE) na prestação de serviços do órgão como a capacitação de trabalhadores fora do mercado de trabalho, primeiro emprego aos jovens, menor aprendiz e na captação e encaminhamento para vagas de trabalho e apoio as atividades de artesãos.

9 – Haverá algum programa de acolhimento/tratamento às pessoas com dependência química?

Tratar a questão da dependência química é fundamental para que famílias possam ser refeitas e/ou mantidas, para que o cidadão tenha seus direitos garantidos, desta forma estaremos atuando junto com os profissionais da saúde e assistência social nesta área.

10 – A Secretaria de Assistência Social não tem sede própria. Pretende resolver isso?

Temos a intensão de rever a localização do prédio administrativo do Executivo, planejamos retirá-lo da área central, ali criando um Mercado Público. Neste novo espaço tudo será pensado já projetando o futuro de Gramado, então a questão da sede própria para a Secretaria de Assistência Social estará incorporada a esse projeto maior.

11 – O candidato tem a intenção de ampliar o CRAS para outros bairros?

Temos como meta ampliar as equipes do CRAS, esse serviço tão importante para a comunidade. Vamos levar o Centro de Referência da Assistência Social para os demais bairros da cidade para que possamos descentralizar, diminuir tempo de espera e assim dar um melhor atendimento a toda a comunidade de Gramado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido