Você atingiu a métrica limite de leitura de artigos

Identifique-se para ganhar mais 1 artigos por mês!

Já sou assinante!

InícioExclusivo Assinantes‘Bandeira preta não é férias’, diz diretor do Hospital Arcanjo São Miguel

‘Bandeira preta não é férias’, diz diretor do Hospital Arcanjo São Miguel

Tempo de leitura: < 1 minuto

GRAMADO – O diretor do Hospital Arcanjo São Miguel (HASM), Márcio Slaviero, disse em sessão especial da Câmara de Vereadores realizada na terça-feira (2) que a população precisa se conscientizar quanto à pandemia e não causar aglomerações em casa. A reunião contou ainda com a participação dos secretários Ubiratã de Oliveira, de Inovação e Desenvolvimento Econômico, e Jeferson Moschen, de Saúde, e da procuradora-geral, Mariana Melara Reis. 

“Metade das contaminações estão ocorrendo dentro de casa. A população precisa manter os cuidados dentro de casa. Muitas vezes é mais seguro estar fora do que dentro de casa, porque a gente não toma os cuidados necessários dentro de casa. Aquele churrasco com a família deve ser evitado. Esse período de bandeira preta não é férias. Não é pra gente estar se aglomerando. Esse é o período de diminuir a contaminação, para que as pessoas não venham todas ao mesmo tempo no hospital. Para que não haja uma sobrecarga muito grande no hospital”, explicou Márcio Slaviero.

O diretor do HASM fez uma apresentação de slides durante a sessão, mostrando as estruturas de contenção desenvolvidas para o combate à pandemia. “Ao total, temos cerca de 91 leitos para manejo. Nós temos estrutura física e equipamentos, inclusive, para expandir mais. O problema são os recursos humanos que estão escassos em todos os lugares. Temos relatos de colegas de Caxias do Sul, que fazem plantão aqui, de médicos que estão há quatro dias fazendo plantão”, contou.

Reprodução

Na apresentação, foi possível verificar também a taxa de letalidade de pessoas com covid-19 até ontem (2). “Letalidade é diminuir o número de óbitos por casos positivos. Nós flutuamos entre 1,08 e 1,13. Por que a diferença do HASM para Gramado? Porque tivemos dois óbitos domiciliares, então não contabilizamos para o hospital. Nós estamos muito abaixo, o que mostra que temos uma boa abordagem para a doença”, disse o diretor.

Reprodução

Márcio Slaviero mostrou também aos presentes na sessão especial números que mostram a aceleração da covid-19 nos últimos dias. “A gente teve 42 óbitos em Gramado até a virada do ano. E da metade de janeiro para cá, quando a gente percebeu essa situação da nova cepa, tivemos 23 óbitos”, mostrou.

Reprodução

O diretor do HASM ressaltou ainda a importância de as pessoas com suspeita de coronavírus se dirigirem à Tenda Covid e não ao HASM, pois o hospital precisa estar com a equipe focada em quem está internado. “É importante que a população faça o isolamento e se previna com todos os cuidados possíveis”, finalizou.

Texto: Gabrielly Pimentel – [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido