Início Política Gramado e Canela “Ou planejamos o sistema viário ou perdemos competitividade”

“Ou planejamos o sistema viário ou perdemos competitividade”

Tempo de leitura: < 1 minuto

CANELA – Este pensamento é do candidato Gilberto Tegner, o Tolão (PDT). Ele também pontuou questões como a intenção de projetar uma via perimetral para desafogar o fluxo de trânsito na região central, a união de forças com Gramado para a busca de soluções conjuntas e a duplicação da ERS-235 entre os bairros Canelinha e Saiqui. Confira estes e outros pontos abordados na entrevista desta semana:

1 – Quais seus planos com relação ao plano diretor?
Plano diretor é o instrumento básico da política de desenvolvimento e expansão urbana do município (Estatuto da Cidade, artigo 40). O plano é a base do nosso planejamento urbano, definindo o uso e a ocupação do espaço, e por se tratar de um elemento tão importante deve ter a participação da sociedade em seu desenvolvimento e ser objeto de reavaliações periódicas. Em relação à minha visão como prefeito, esta será de respeito, postura crítica e discussão permanente para aperfeiçoar o instrumento e garantir tratamento igualitário aos investidores, além de zelar pelo devido cumprimento deste em TODAS as ações da Prefeitura.

2 – No que se refere à análise e aprovação dos projetos de construções de novos empreendimentos, tanto comerciais como habitacionais, qual seu objetivo?
Em primeiro lugar, nenhuma questão legal será atropelada. Mas não podemos conviver com casos de tanta demora na aprovação dos projetos. Vamos definir prazos, rotinas e processos e estruturar uma equipe que possa dar respostas adequadas. O investidor que perder tempo desnecessário na aprovação de seu empreendimento vai recuar de novas iniciativas em Canela e desestimular que outros invistam. Para alguns, é apenas um projeto a mais, um prédio… mas para a cidade, é mais emprego, receita e cadeia produtiva sendo aquecida. Vamos buscar o equilíbrio entre preservação e desenvolvimento e mostrar que somos um lugar seguro e atrativo para investir.

3 – Para a mobilidade urbana, quais os projetos que podem de fato ser executados dentro do próximo governo?
Os problemas que assolam a mobilidade em Canela, apenas evidenciam a FALTA ABSOLUTA DE PLANEJAMENTO URBANO, pois quando não planejamos, as demandas acabam por atropelar processos de decisão, e normalmente levam a uma situação que não se esperava. Temos as ruas de 1970, com o número de carros multiplicados várias vezes e isto está levando a uma insolvência da malha viária. Pois bem, é imperioso pôr em funcionamento o plano de mobilidade urbana para que alguns gargalos possam ser corrigidos e trazer de imediato uma maior fluidez; Além disto, é preciso pensar regionalmente, e procurar Gramado para construir soluções conjuntas, pois em muitos momentos notamos a ERS-235 saturada, sendo que os perímetros urbanos, devido à expansão, se encontraram, exigindo soluções alternativas. Não podemos adiar a discussão das perimetrais de Canela. Sempre me dizem que isto é sonho, mas quanto mais tempo perdermos, mais cara ficará a solução.

4 – Qual o planejamento com relação às áreas públicas não utilizadas?
Temos que ter presente que toda área pública tem um objetivo: foi adquirida para quê? Para ser praça, área verde ou o quê? Pois bem, temos que rever esta questão e dar destino a elas, pois qual o sentido de uma área pública que a população dela não se beneficia? Como exemplo, posso citar uma área na rua Borbonite, onde a população pede que se faça um parque ou praça. Pois bem, eu sou favorável a que a comunidade se aproprie destes espaços, pois isto gera qualidade de vida. E estarei sempre aberto a discutir com a iniciativa privada qualquer possibilidade de parceria nestas áreas.

5 – Quais os planos para melhorar o transporte coletivo?
Este é um dos piores serviços prestados em Canela, aí incluindo a ligação Canela-Gramado. Temos que sentar com os concessionários e mudar imediatamente ou mudar radicalmente, nem que seja necessário buscar os meios judiciais. Um prefeito não pode ver o descaso com que tratam o usuário deste serviço em Canela e silenciar. São ônibus lotados, alguns mal cuidados e sem espaços definidos (paradas) em vários pontos, parando sobre a pista de rolagem e trazendo riscos. As empresas estão cobrando dos usuários e prestando um péssimo serviço. Nós vamos mudar isto com toda a certeza.

6 – E os planos para os abrigos de ônibus?
Muito ligado à resposta anterior, vemos algum esforço em tentar construir abrigos para o transporte coletivo, mas temos ainda um déficit gigantesco, além da falta de manutenção em muitos. Um abrigo de ônibus não é um luxo ou um favor ao usuário, mas um direito seu e, convenhamos, em nosso clima, o abrigo é muito necessário. Já vimos exemplos de outras cidades que parceirizam os abrigos com empresas de publicidade, terceirizando a construção e manutenção. É um caminho que pode ser pensado.

7 – Muitas ruas, especialmente nos bairros, ainda estão sem identificação de nome. Pretende resolver isso?
Esta é uma ação que pode ser enfrentada de imediato, pois não se trata de uma iniciativa de alto custo. Além da nomenclatura das ruas, vejo que precisamos avançar com um projeto de sinalização viária, turística e que indique pontos de interesse, bairros e principais destinos, pois é comum ver caminhões ou mesmo carros de turistas em locais distantes de seu objetivo. A informação clara e correta ajudará inclusive na mobilidade urbana.

8 – A duplicação da ERS-235 entre os bairros Canelinha e Saiqui é uma necessidade. O senhor pretende buscar soluções para resolver isso? Quais?
A duplicação é uma necessidade e uma das obras que não podemos abrir mão, pois trará segurança, fluidez e qualificará aquela região que é a de um dos principais acessos da cidade. É uma obra estadual e buscaremos todos os meios junto ao Governo do Estado para resolver este impasse. O fato de eu não ser do partido do governador não será empecilho, pois temos no momento coincidência de partidos no Estado e no Município e a obra não andou. Então alguém que cobre com mais vigor talvez tenha mais eficácia.

9 – Qual sua posição sobre o trecho da ERS-235 do Centro até a divisa com Gramado? O trajeto carece de algumas modificações na estrutura para travessias de pedestres. As tradicionais faixas de segurança têm provocado acidentes e lentidão. Municipalizar e depois chamar a iniciativa privada para uma parceria fazendo passarelas seguras e atrativas turisticamente é uma possibilidade?
A entrada principal de Canela tem que ser MUITO melhor cuidada. A empresa que cuida das vias estaduais não está nos fazendo um favor, muito pelo contrário, está prestando um péssimo serviço e prejudicando a imagem da nossa cidade. Isto muda em 2021, com um diálogo mais direto e exigente. E se a situação se mantiver, penso que a municipalização pode ser uma opção interessante sim.

10 – A passagem de caminhões pelo Centro é dúbia e muito ruim, os de grande porte principalmente enfrentam sérias dificuldades. Isso será resolvido dentro do seu governo?
Para minha tristeza eu lembro de 1993 quando o prefeito Gunther tentava discutir isto e muitas pessoas faziam chacota. São Francisco resolveu esta questão em 1992 e nós sequer projetamos. Temos que mudar imediatamente. Como? definir novos traçados, preparar as vias e projetar imediatamente novas vias. Cito como possibilidade a ligação Saiqui>Ulisses de Abreu>Caracol, e consequente saída por Gramado. É apenas uma das possibilidades, que talvez alguns caçoem como fizeram com o prefeito Gunther, fazendo com que continuemos na vanguarda do atraso nesta questão.

11 – O centro da cidade concentra hoje o maior fluxo turístico e é onde estão os principais serviços como órgãos públicos, bancos e outros que implicam na trafegabilidade. Qual seu posicionamento com relação a isso?
Um dos objetivos é a implantação do novo centro administrativo municipal, concentrando neste local, fora do centro de Canela, a quase totalidade dos serviços da Prefeitura, diminuindo despesas com aluguéis que temos hoje. Nós entendemos que o centro da cidade deve ficar para a geração econômica, propiciando a criação de empregos, aquecendo a economia e possibilitando novos investimentos. E a retirada da Prefeitura do centro de Canela colaborará em muito para aumentar a fluidez do trânsito, além de levar desenvolvimento a outra área da cidade.

12 – Algum plano para implantar ciclovias? Onde?
Cada vez mais vemos as pessoas buscando esta opção, quer seja por lazer ou mesmo como alternativa de transporte. Estamos notando muitos cliclistas utilizando as vias rurais, que tem menos movimento, mas nenhuma estrutura. Por isto falamos tanto em planejamento de longo prazo. Se tivéssemos discutido e planejado o projeto Canela-Gramado, lá em 1988, teríamos evitado um erro histórico, que é a ausência de ciclovia na ligação Canela-Gramado. Imaginem estas cidades ligadas por 8 km de ciclovias, seria um passeio lindo… Também, na mesma época perdemos a oportunidade de termos ciclovia na Canela-Caracol. Ainda temos tempo de pensar na Canela-Saiqui. Quando não planejamos, podemos no futuro corrigir o curso, mas o custo e os transtornos são muito maiores. Se queremos ser uma ecocidade, não podemos deixar de pensar seriamente na implantação de ciclovias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido