Início Notícias Economia Adaptações são arma de sobrevivência dos pequenos negócios

Adaptações são arma de sobrevivência dos pequenos negócios

Tempo de leitura: < 1 minuto

Para evitar perdas maiores de faturamento ou mesmo fechar as portas, 69% dos pequenos negócios instalados no Rio Grande do Sul fizeram ajustes em sua operação. De acordo com a Pesquisa de Monitoramento dos Pequenos Negócios na Crise, realizada pelo Sebrae RS em julho, 40% dos negócios deles estão funcionando com a estrutura física adaptada, 17% recorreram à internet, aplicativos ou passaram a usar ferramentas digitais e 12% investiram em delivery e take away.

O diretor-superintendente do Sebrae RS, André Vanoni de Godoy, destacou que delivery já se mostrava tendência antes mesmo da crise. Com a pandemia, houve aceleração com migração de muitas empresas para esse modelo de negócio. “Reposicionar-se com rapidez neste momento de crise aguda é fundamental, pois a demora na tomada de decisões pode ser fatal, levando ao esgotamento dos recursos da empresa”, acentuou.

Dentre os setores que mais investiram em adaptações está o comércio, em que 45% das empresas estão com a estrutura física remodelada. O setor de serviços é o mais afetado, pois uma em cada três empresas está impossibilitada de funcionar. Isso acontece por conta dos decretos governamentais que ampliaram as restrições de funcionamento em várias regiões do Estado. As que estão abertas representam 73% do setor. Dessas, 40% estão com a estrutura adaptada. No setor de agronegócio, pelas suas características, 62% não sofreram nenhum tipo de alteração no formato durante a pandemia.

Mais detalhes da pesquisa

FUNCIONAMENTO

Agronegócio

  • 12% não
  • 88% Sim

Indústria

  • 15% não
  • 85% sim

Comércio

  • 14% não
  • 86% sim

Serviços

  • 27% não
  • 73% sim

FORMATO EM QUE A EMPRESA ESTÁ FUNCIONANDO

Agronegócio

  • 5% com estrutura adaptada
  • 19% Delivery e take away
  • 62% sem alteração no formato
  • 14% com ferramentas digitais

Indústria

  • 39% com estrutura adaptada
  • 11% delivery e take away
  • 32% sem alteração no formato
  • 18% com ferramentas digitais

Comércio

  • 45% com estrutura adaptada
  • 11% delivery e take away
  • 27% sem alteração no formato
  • 17% com ferramentas digitais

Serviços

  • 40% com estrutura adaptada
  • 13% delivery e take away
  • 31% sem alteração no formato
  • 16% com ferramentas digitais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido