Você atingiu a métrica limite de leitura de artigos

Identifique-se para ganhar mais 1 artigos por mês!

Já sou assinante!

InícioExclusivo AssinantesEventos presenciais

Eventos presenciais

Tempo de leitura: < 1 minuto

O jantar de confraternização e entrega do troféu Seleção JI 2021, quarta-feira, marcou a retomada definitiva dos eventos presenciais. Daqui para a frente até a dança já está liberada. Foi a décima edição, sempre com formato diferente um do outro. O intuito é que não muda: Homenagear a criatividade do empresariado e promover uma oportunidade de integração.

Jamais será vermelha

Como todos sabem fui a Brasília acompanhar os movimentos pró-Bolsonaro. Não é para ser assim, é para ser pró-Brasil Livre. Porém, não tem como dissociar do presidente, sendo ele, hoje, o único que representa as cores verde e amarelo no Brasil. Aliás, vi alguns reclamarem que ele (Bolsonaro) sequestrou essas cores. Ora, isso não tem a ver com ele, mas sim, com o povo de direita, liberal, que defende a Pátria livre e os direitos e o respeito à família e aos bons costumes. Ademais, nestes últimos 20 anos, um pouco mais, só se viu outras cores nos movimentos sociais, com bandeiras comunistas, sempre vermelhas. E, tenho dito, nossa bandeira jamais será vermelha!

Morrer pelo Brasil

Como podem ver pela foto muita gente estava disposta a tudo. O coro de milhões era “eu autorizo”, para o presidente interditar o STF, colocar o exército em cima do Congresso, enfim. Milhões de brasileiros querem resetar o Brasil, reiniciar para que possamos curar definitivamente todas as feridas deixadas na última constituição, em 1988, quando só se pensava em socialismo. As brechas desta carta magna permitiram que se criasse uma legião de privilegiados que oneram tanto a nossa democracia que inviabiliza o mínimo para outro tanto de patriotas.

Mas pelo fim o presidente, que havia deixado entender pelos seus últimos discursos que poderia radicalizar, repensou e acabou fazendo um acordo entre os poderes, usando-se da carta branca que a população lhe conferiu com os movimentos.

Estás pronto para o teu filho morrer?

Quando veio a notícia do acordo, da carta chamada “Pacto de não beligerância”, dia 09 à tarde, os manifestantes que ainda estavam na Esplanada se decepcionaram. Os murmúrios eram ensurdecedores. Ali que surgiu a palavra “arregou”. Mas aos poucos todos foram fazendo cálculos, entendendo melhor o acordo e entendendo a posição do presidente. Na sexta-feira eu e minha turma fomos visitar o ministro do Trabalho, o gaúcho braço direito de Bolsonaro desde antes da eleição, OnyxLorenzoni. E ele foi muito claro nas suas explicações. Disse que para uma guerra é preciso estar pronto para o filho morrer, não você. Foi ali que para mim não restou dúvidas de que o presidente fez bem. Para provocar uma guerra é preciso estar pronto para o filho morrer. Dizer ‘eu estou pronto’ é muito pouco.

Exército não quis

Veio também a informação de que os coronéis comandantes das forças armadas teriam se posicionado contra uma possível intervenção militar. A maioria dos 16 teria defendido ainda não ser o momento para tanto. O que não se soube até o momento é se chegaram a prometer isso ao presidente para ele fazer discursos tão acirrados, e depois voltaram atrás, ou se o presidente contava com a obediência incondicional deles.  

Verde e amarelo

A força do presidente ficou demostrada com os milhões que foram às ruas naquele 7 de Setembro. E lá na Esplanada, em Brasília, muitos estavam dispostos a ficar tanto tempo fosse necessário. Vieram literalmente de todo o Brasil. Se mostraram dispostos a permanecer e até mesmo a voltar, se necessário. É impressionante a força de Bolsonaro no meio popular. Toda a vez que convoca o povo comparece em massa. Mas agora isso precisa melhorar. Certamente não haverá outro movimento daquele tamanho e tão pacífico.

Movimento do bem

La na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, o ambiente era familiar. Pessoas de todas as idades, crianças, jovens, adultos e muitos nonos e nonas. Não se viu um único ato de baixaria. Não tinha sujeira, nem bêbados.

Religiosos

Na realidade o que mais se viu em Brasília eram religiosos organizando grupos para oração. As igrejas evangélicas eram as predominantes. Pastores tinham muitos. Quando a polícia fazia o cordão eles passavam na frente dos soldados orando com a bíblia em mãos. Mas também tinha padre, pelo menos um eu vi rezando uma missa para umas duzentas pessoas. Cada pouco, em algum canto daquele espaço imenso, se via grupos reunidos em oração. O pai nosso ecoava, foi a arma dos manifestantes contra todo o mal. 

Que tal eu hein?

Dia 22, acaba meu isolamento por conta daCovid e dia 23 começa a Festa da Colônia, com direito a dança e tudo o mais… E só para deixar a minha audiência tranquila eu tive somente sintomas leves. Não perdi paladar nem olfato. Eu estava por completar o prazo para obter a segunda dose da Pfizer quando contraí essa porcaria deste vírus chinês. Mas, ao que os estudos indicam, agora tenho muito mais imunidade do que se tivesse feito as duas doses. Bola para frente!

Rede SKY Hotéis

Em São Paulo, o diretor executivo da Rede SKY Hotéis, Hilário Krauspenhar, em reunião na Prefeitura de São Paulo com o secretário de Mudanças Climáticas, Dr.Antonio Fernando Pinheiro Pedro, engenheira Lourdes Printes, diretor de inovação e tecnologia da BraCham, Leonardo Rohling e Lucas de Souza, diretores do Grupo Hust/SC com os temas: Mobilidade Elétrica e Mostra HBC/SPcom o destaque ao Hotel SKY Palace e a 1ª Certificação Mundial do HBC para o SKy CLUB.

Conteúdo relacionado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido