InícioColunistasColuna do WebinhaPOR QUE O ABANDONO DO PARQUE?

POR QUE O ABANDONO DO PARQUE?

Tempo de leitura: < 1 minuto

Por Eno Weber

Aguardei um bom tempo, por imaginar que o caminho que leva ao bom senso prevaleceria. Entendendo por bom senso aquele equilíbrio necessário quando se lida com a coisa pública, quando não existe espaço para posturas radicais. Falo do nosso Parque do Palácio, na entrada da cidade, totalmente abandonado. Sem manutenção de nada. Tem cerca caída, lixo, um belo sanitário sendo depredado. Mato crescendo. Uma privilegiada área frontal ao parque (onde já foi a Praça das Nações) há tempos sendo usada como depósito de materiais ou de máquinas, quando já devia ter sido contemplada com um projeto de ajardinamento. A ideia de abandono ou desleixo é visível, bem no nosso nariz. Está correto este procedimento? É sabido que manter locais deste tipo em condições tem seus custos evidentemente, assim como o jardim da nossa casa, a manutenção do nosso veículo… absolutamente tudo, enfim. Há que se ter definitivamente a convicção que fazer turismo de qualidade requer gastos, investimentos, sempre e permanentemente. Oferecer opções de lazer diferenciado a população, idem. A natureza nos presenteou com o privilegiado local, que canelenses visionários souberam valorizar em décadas pretéritas. É preciso reconhecer a imensa riqueza gerada pela preservação de áreas onde a natureza resiste. Independentemente de ações de vândalos infelizmente existentes na cidade.

Caso houvesse a necessidade de priorizar ações administrativas, mesmo assim não se justificaria, pelo custo/benefício proporcionado pelo parque. Os valores de manutenção são irrisórios, considerados os padrões financeiros atuais do município, ora vivendo um ciclo virtuoso de grana. Prefiro não acreditar na hipótese do abandono ser proposital, buscando dar vazão a outros objetivos. Havendo uma retomada de manutenção, no que acredito, será um dinheiro muito bem aplicado. Não será uma despesa inútil.

RÁPIDAS E SELECIONADAS

  • Estou no encalço de uma fotografia que mostre algo daquela partida histórica do Serrano no município de Quaraí RS em 1958, ocasião em que a delegação se deslocou de avião, conforme já se escreveu neste espaço. A propósito, o Orlando Franzen, que participou da delegação, anos atrás ao falar com um esportista de Quaraí e se identificar como jogador do Serrano ouviu esta colocação: “Ah, então tu és daquela equipe que veio de avião para jogar conosco”.
  • Nesta segunda-feira faleceu em Porto Alegre Claudino Bertoluci, aos 106 anos. Foi vereador de nosso município na primeira legislatura (1948-1951). Claudino era irmão de Benito Bertoluci (amigo e vizinho meu na Oswaldo Aranha) que foi vice-prefeito na primeira gestão de Günter Schlieper. Chegar aos 106 anos de vida é privilégio de poucos.
  • Por méritos, não canso de destacar a trabalhosa pesquisa que o Fernando Gusen publica mensalmente no Integração, sobre a movimentação econômica dos quatro municípios da nossa região, refletida nos números de admissões e demissões das empresas. Nelas, configura-se a regularidade que a economia de São Francisco de Paula consegue manter devido a sua diversidade. Nos indicativos aparece sempre em azul.
  • O meu outono ideal é aquele com dias semelhantes ao domingo passado, dia 8, lembram? Temperatura amena, sol, calmaria, céu azulzão, silêncio diferenciado, mas claro, pedir dias sempre assim é abusar demais do patrão celestial.
  • Lembrando deste outono ideal, também Canela deve pensar em formatar um evento típico desta estação do ano que faça aguçar a criatividade.
  • O valor bruto da folha da Prefeitura em abril de 2021, foi de R$ 6 milhões e 50 mil. Em abril de 2022, alcançou R$ 7 milhões e 100 mil, mostrando um aumento de 17%. Números considerados redondos.
  • Neste sábado dia 14, completam-se 20 anos do falecimento do gaúcho José Lutzenberger, o maior ambientalista brasileiro, cidadão do mundo. Tive o privilégio de conhecê-lo em 1992 por ocasião da reunião do Mercosul em Canela. Na ocasião, Lutzenberger era ministro do Meio Ambiente de Collor.

 Aqui colocar a foto com Ieda Maria Vargas e o pequeno texto que acompanha.

O Degas, aqui, aproveitou o momento para a foto com a sempre miss universo, a gaúcha Ieda Maria Vargas. Salientando a simpatia, humildade e o carisma de Ieda, há 12 anos residindo no bairro Planalto em Gramado.

“Deus não se agrada de nenhum serviço, seja ele importante como for, quando através dele o próximo é feito a sofrer”.

Martim Lutero

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido