Início Política Gramado e Canela Bolsões de estacionamento e bairros planejados para melhorar a mobilidade

Bolsões de estacionamento e bairros planejados para melhorar a mobilidade

Tempo de leitura: < 1 minuto

GRAMADO – O candidato Evandro Moschem (MDB) discorreu sobre a revisão do Plano Diretor, suas intenções em desafogar o trânsito na área central da cidade, criar novas áreas para estacionamentos, trabalhar para dar mais eficiência no transporte coletivo e tentar municipalizar a estrada Serra Grande/Várzea Grande. Confira estes e outros assuntos abordados nessa entrevista sobre Planejamento, Infraestrutura e Mobilidade Urbana.

1 – Qual sua projeção para com o plano diretor de Gramado?
Precisamos avançar na revisão do Plano Diretor, fazendo o detalhamento das necessidades e das peculiaridades dos bairros, tornando a legislação urbanística dinâmica e moderna ao buscar um meio termo entre desenvolvimento e preservação dos espaços urbanos. Nossa projeção é que a revisão do Plano Diretor contemple a adequação dos zoneamentos às necessidades urbanísticas, sociais e econômicas de cada macrorregião ou bairro de Gramado, oportunizando que os bairros também possam ter o seu desenvolvimento organizado, ou seja, permitindo que algumas atividades econômicas sejam autorizadas, contribuindo com a descentralização dos serviços Centro-bairro e melhorias na mobilidade. Além disso, Plano Diretor também deve incluir políticas públicas para atender o déficit de habitação, transportes urbanos e o equilíbrio com meio ambiente, propiciando melhoria na qualidade de vida da comunidade.

2 – Com relação à análise e aprovação dos projetos para construção de novos empreendimentos, tanto comerciais como habitacionais, qual seu objetivo?
As regras devem ser revisadas e modernizadas, inclusive mediante a participação dos conselhos do Plano Diretor, Meio Ambiente e Saneamento, para garantir o desenvolvimento ordenado da cidade, inclusive, devendo haver indicação de soluções para esgotamento sanitário, abastecimento de água e coleta de resíduos. A regulamentação de regras diferenciadas para aprovação de projetos não significa autorizar o crescimento desordenado visto pela cidade em 2016. Precisamos continuar invertendo essa lógica na revisão do Plano Diretor, gerando desenvolvimento, mas sem afetar os serviços e a qualidade de vidas aos cidadãos.

3 – No quesito mobilidade urbana Gramado é um caos, sobretudo quando está lotada. O que o senhor pretende fazer com relação a isso? Seu governo prevê algum investimento em rotas alternativas, como as próximas fases da perimetral (anel viário)? Deseja pavimentar a estrada Mato Queimado/Caracol? E ligar a ERS-235 à ERS-115 pela Linha 28 e Carahá?
Primeiro, devemos compreender que as melhorias na mobilidade urbana iniciam com a execução do Plano de Mobilidade e da Agenda Estratégica que devam estar integrados com a revisão do Plano Diretor. Segundo, esta estratégia tem papel central na promoção do desenvolvimento orientado ao transporte sustentável. Assim a ampliação da rede de transportes favorece o uso de transporte público. Já em relação aos investimentos, entendemos que precisamos de rotas alternativas para desafogar o trânsito principalmente no Centro. Uma delas é a ligação a Canela pela estrada Mato Queimado/Caracol e a ligação pela Linha 28, como alternativa de quem vem pela ERS-115.

4 – Quais os planos para melhorar o transporte coletivo?
As melhorias no transporte coletivo estão relacionadas ao Plano de Mobilidade Urbana. Nosso plano de governo conta com o Programa Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura que irá qualificar o transporte público coletivo, tornando-o eficiente e de fácil acesso aos cidadãos. Para isso, devemos licitar a prestação deste serviço incluindo novas rotas, novos horários, horários intermediários durante os principais eventos, além de renovar a frota de ônibus, com uso de veículos com novas tecnologias e menores níveis de poluição ambiental.

5 – Muitas ruas, especialmente nos bairros, ainda estão sem identificação. Pretende resolver isso?
Este assunto terá nossa atenção, a partir da adoção das medidas administrativas para solução da identificação.

6 – Planejamento e infraestrutura também envolvem o serviço prestado pela Corsan, e todo ano, na alta temporada, grande parte da cidade fica sem água. Qual será sua postura diante deste problema?
Será de exigir que a Corsan apresente modelagem do sistema de abastecimento de água tratada, que demostre a estimativa do consumo de água em períodos de elevada ocupação devendo indicar os dados do sistema de abastecimento com os dados de consumo. Essa será apenas uma das diversas exigências, em relação às melhorias no abastecimento contínuo de água tratada. Nosso plano de governo conta com o Programa Saneamento Básico que irá trabalhar na exigência do cumprimento, por parte da Corsan, na execução das obras e investimentos direcionados à ampliação do sistema de abastecimento de água, o qual inclui captação de água até as ligações prediais, além de exigir melhorias em relação à perda na distribuição de 43,45%.

7 – O Centro da cidade concentra hoje o maior fluxo turístico e é onde estão os principais serviços como órgãos públicos, bancos, os colégios Santos Dumont e Cenecista, que implicam na trafegabilidade. Qual seu posicionamento com relação a isso?
Precisamos avançar na revisão do Plano Diretor, tendo como um dos objetivos estratégicos a qualificação de centralidades existentes, estimulando o incremento da possibilidade de instalação e oferta de comércios e serviços em áreas residenciais. Isso é qualificar a vida da comunidade nos bairros, melhorando e orientando o crescimento da cidade a partir dos bairros, resultando na redução da necessidade e das distâncias de deslocamentos para o Centro da cidade.

8 – Qual sua solução à enorme dificuldade de estacionamento?
Hoje as principais cidades brasileiras discutem sobre a mobilidade urbana, funcionamento das cidades e os problemas decorrentes da falta de vagas de estacionamento público ofertadas. Sensível a demanda e discussões, contemplamos no Programa Desenvolvimento Urbano local as seguintes propostas: implantar bolsões de estacionamento públicos. Para isso, faremos estudos de viabilidade de implantação de estacionamento na área localizada na rua Coronel João Correa, próximo à Brigada Militar, ou no Belvedere. Também iremos estimular o uso de bicicletas como meio de transporte seguro, eficiente e sustentável e ampliar os projetos de implantação das ciclo faixas e ciclovias.

9 – O que pretende fazer com ERS-373 que liga Várzea Grande com a Serra Grande/Santa Maria do Herval? Municipalizar para agilizar sua manutenção é uma possibilidade?
Vamos trabalhar para municipalizar esta via e assumir a recuperação e manutenção. Pois é uma das vias mais importantes para o escoamento da produção da Serra Grande, também comporta um fluxo intenso de caminhões e veículos de Santa Maria do Herval e, nos últimos tempos, de turistas que vêm do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre e se utilizam do GPS, que indica esta alternativa de via para chegar a Gramado.

10 – Na Serra Grande, na estrada para Igrejinha e Três Coroas, tem ideia de estender o asfaltamento dessa via até a divisa?
Esta alternativa está em estudo pela equipe de engenharia do Executivo, pois a intervenção necessária prevê alargamento e ponte deixando-a com segurança para veículos leves, e também para vans, atendendo as necessidades do turismo, por exemplo.

11 – Qual sua posição sobre o trecho da ERS-235 do Centro até a divisa com Canela? O trajeto carece de algumas modificações na estrutura para travessias de pedestres. As tradicionais faixas de segurança têm resultado em acidentes e lentidão. Municipalizar e depois chamar a iniciativa privada para uma parceria fazendo passarelas seguras e atrativas turisticamente é uma possibilidade?
Este trecho está inserido na modelagem de concessão que a EGR está elaborando juntamente com o BNDES. No entanto, temos vários itens que vamos solicitar que estejam nesta privatização, como o sistema viário do entroncamento da Vila do Sol e Primeiro de Maio, na Várzea Grande, duplicação da ERS-115 e da ERS-235, construção e melhorias dos acessos e manutenção das vias.

12 – Algum plano para implantar ciclovias? Onde?
A nossa ideia é ampliar a oferta de ciclovias e ciclofaixas em diversos pontos da cidade, fazer a interligação das ciclovias existentes desde a Avenida do Trabalhador, no bairro Várzea Grande, até o Parque dos Pinheiros. Além disso, buscar incentivos ou parcerias para implantar nova ciclovia do bairro Planalto até o Casagrande, unindo-os pela Perimetral.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido