Você atingiu a métrica limite de leitura de artigos

Identifique-se para ganhar mais 1 artigos por mês!

Já sou assinante!

InícioExclusivo AssinantesVera Simão revela a grande procura por alimentos

Vera Simão revela a grande procura por alimentos

Tempo de leitura: < 1 minuto

GRAMADO – Neste período de pandemia o setor mais lembrado neste momento é a Saúde. A preocupação dos gestores deste setor em ter uma estrutura apta para atender os pacientes, principalmente vítimas da Covid-19, fez com que uma série de medidas precisassem ser praticadas.Diante deste problema sanitário e da necessidade de isolamento, aumentou o número de pessoas impossibilitadas de trabalhar e consequentemente o desemprego.

A secretária de Cidadania e Assistência Social, Vera Simão, esteve na Rádio Integração Digital participando do programa Notícias da Tarde. A grande missão neste momento é atender as milhares de pessoas que estão necessitando do básico para conseguir se alimentar. Um comparativo foi mostrado por Vera relacionando os três primeiros meses desde 2019 até hoje.

A média mensal de distribuição de cestas básicas de janeiro amarçode 2019 foi de 180, totalizando 540 nos três meses. No primeiro trimestre do ano passado a média mensal subiu para 204, atingindo 612 no período. Já no primeiro trimestre deste ano houve um salto na busca por alimentos e 1.960 cestas básicas foram distribuídas, sendo 900 delas somente no mês de março.

“Os números realmente são muito expressivos, assim como na Saúde a nossa demanda de atendimentosestá muito maior por causa da pandemia. Estamos tentando ajudar todos. Temos muitos parceiros nos auxiliando com doações como diversas entidades, Secretarias e a Câmara de Vereadores nos auxiliando com a campanha do leite e fraldas”, relatou.

Além da população que também está colaborando, a secretária revelou que o volume de cestas básicas adquiridos pela Prefeitura fazem parte ainda da licitação ocorrida ano passado e que uma nova já ocorreu em março com a compra de 5 mil kits de alimentação e higiene pessoal.

“Nós trabalhamos com o restante das cestas básica do ano anterior. Em março foi licitado 5 mil, totalizando R$ 715 mil, R$ 143,10 cada. Esta quantidade parece atender as nossas necessidades, mas se continuar crescendo a demanda e se não ocorrer uma reagida na economia, vai ser muito rápido e teremos estoque para no máximo de seis meses e depois como que fica?”, indagou.

Critérios para receber auxílio

Muitas pessoas estão procurando pela primeira vez a Assistência Social. Diante desta situação fica a dúvida de quem está autorizado a receber uma cesta básica ou outro benefício. Um das medidas adotadas principalmente neste período que se exige um contato menor entre as pessoas, a Secretaria disponibiliza o número de telefone 3286.4349. Por meio deste contato as atendentes realizam o cadastro e realizam avaliação para que estejam aptas em no máximo três dias para o recebimento dos alimentos.

“É realizada uma avaliação, analisamos se a pessoa tem cadastro e depois cada assistente em sua região realiza os atendimentos. A maior parte é por telefone, evitar o máximo contato em virtude da pandemia. Por isso é importante nossas técnicas avaliarem criteriosamente e filtrarem, pois somente quem precisa que pode ter o direito de receber a cesta básica. E quem for doar, é muito importante levar na Assistência Social, pois se distribuir por conta própria, algumas pessoas que não estão precisando naquele momento recebem e alguma família pode ficar sem alimentos. Nós temos todo mapeamento”, explicou.

Além da falta de alimentos para muitas famílias gramadenses outro agravante são as pessoas que estão na linha de extrema pobreza. Cadastradas com o direito a receber o Bolsa Família desde janeiros deste ano somam 3.246 pessoas. Apesar desta quantidade, Vera mencionou que algumas pessoas estão cadastradas no benefício desde 2020, mas até o momento não receberam o auxílio.

“O Governo Federal está muito lento, tem pessoas que se cadastraram em 2020 e ainda não receberam. E não é somente alimentação, muitas pessoas estão com atrasos em água, luz e sem recursos para o gás. Tinha que ter alguma isenção destes serviços para pessoas de baixa renda. Quanto ao gás, estou em conversa com uma entidade de Gramado para tentar viabilizar alguma coisa. Vivemos do turismo e tudo fechado está estourando o orçamento, alertou.

Diante de tantos dramas diários, há aqueles que recebem ajuda ou já receberam algum auxílio acabam retribuindo para a equipe da Secretaria de Cidadania e Assistência Social com agradecimentos e em muitos casos de aprendizado pessoal e profissional.

“Não vou citar um caso específico. Tem pessoas que entram em contato comigo, agradecendo e esta gratidão compartilho com a equipe da Assistência Social, nossa comunidade tem muita esperança e amor no coração. Muito bom saber em poder ajudar. É um serviço que adoro, não pelo momento de dor das pessoas, mas de minimizá-la. Tem sido muito grande este desafio, posso estar até errando, mas com intenção de sempre melhorar. Temos que ter carinho pelas pessoas, tentara resolver de alguma forma. Elas estão pedindo porque não tem mais onde conseguir ajuda”, finalizou.

A entrevista

A entrevista pode ser conferida no Facebook Jornal Integração Hortênsias, na barra vídeos – Notícias da Tarde do dia 14/04 ou acessando o site www.leiafacil.com/podcasts clicando no link: Entrevista Vera Simão, secretária Assistência Social de Gramado, do dia 14/04.

Texto e foto: Tiago Manique – [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido