Você atingiu a métrica limite de leitura de artigos

Identifique-se para ganhar mais 1 artigos por mês!

Já sou assinante!

Meio ambiente

Tempo de leitura: < 1 minuto

Tem uns que dizem que não é meio, mas inteiro. Cuidar da natureza é nossa obrigação. Fala-se muito, tanto que muitas vezes nem prestamos atenção. Mas é preciso fazer algo, pois de fato é este o legado que podemos e efetivamente vamos deixar aos nossos filhos e netos. Ocorre que para ações mais importantes, de impacto coletivo, como uma estação de tratamento de esgoto, uma área de preservação com alguma estrutura para visitação depende também de investimento maior. É preciso dinheiro para isso. Bastante dinheiro. Como sabemos que somos nós que geramos este prejuízo ambiental que precisa ser corrigido, sabemos também que cada visitante, cada turista, deixa aqui para a região sua contribuição para este desgaste da natureza. Logo, chegando onde eu queria chegar, é justo que cada visitante deixe, também, uma pequena colaboração para suprir este custo. Agora, de que forma se dará esta “cobrança” aos nossos visitantes pode ser discutido. O projeto do Executivo, que está com os vereadores, pretende fazer isso pela entrada na cidade de automóveis. Seria cobrado R$ 15 para veículos de passeio e R$ 80 para ônibus, por sete dias. Valor insignificante para o visitante. Sobre a prática disso, dessa cobrança, ainda tem que ser definida, mas será por meio digital. Se o carro permanecer no município além de uma hora, será taxado. Essa é a proposta em discussão na Câmara, mas ainda pode sofrer ajustes no legislativo. Vamos acompanhar!

Corsan

Esteve em Gramado ontem o presidente da Corsan, Roberto Barbuti. Aqui teve duas reuniões, com o prefeito Nestor e com empresários da Visão, sobre o marco legal do saneamento e a privatização da estatal. Os contratos de convênios da Companhia com os municípios de Gramado e Canela para o fornecimento de água e tratamento de esgoto terminam em 2029. A intenção da Corsan é renovar estes convênios até 2062, prazo longo para que seja viável alto investimento necessário para garantir o tratamento de todo o esgoto e água o suficiente para todos, mesmo em épocas de pico de movimento de visitantes. Gramado está negociando e deverá assinar a renovação. Já em Canela o prefeito Constantino declarou há poucos dias que não fará isso.
Ao que disse o presidente Barbuti o processo de leilão da estatal segue normalmente e está previsto para fevereiro de 2022. A intenção de ampliar o tempo do convênio é para garantir investimentos pelo novo dono desde logo, mas naqueles municípios que não renovarem será garantido o mesmo que consta nos atuais contratos, até o término dos mesmos. Dito pelo presidente ao Integração, os atuais contratos são muito ruins, não deixam muito claro o que compete a cada uma das partes e quais as penalidades para quem não cumpre, ou seja, considerando que será um novo dono, um contrato mal feito poderia causar discussão.

Debate ativo

Estamos lançando mais um programa na Rádio do Jornal Integração. O objetivo é promover um amplo e profundo debate com os vereadores sobre os principais assuntos que estejam no Legislativo para a apreciação dos edis, que são os Projetos de lei, e também da cidade como um todo. Para cada programa serão convidados vereadores com diferentes posicionamentos sobre o mesmo tema, quando isso for possível, pois há temas relevantes em que as opiniões convergem. Mas a ideia é reunir situação e oposição e debater os itens divergentes para que a sociedade possa ter o melhor esclarecimento e formar a sua opinião.
Como temos duas Câmaras de Vereadores os edis de Canela serão convidados nas segundas-feiras e os de Gramado nas terças-feiras. Como ambas fazem as sessões ordinárias no mesmo dia e horário, segundas-feiras à noite, os canelenses debaterão antes do voto, nas segundas-feiras e os gramadenses, dia após, nas terças-feiras. Assim, ambos os debates conseguirão atingir o calor da sessão.

Estréia já

A estreia do programa será nesta segunda-feira, às 8h05, Roberto Grulk (MDB) e Jerônimo Terra Rolim (PDT). O assunto principal será a investigação da Polícia Civil local que atingiu a Câmara afastando o presidente das suas funções de vereador e a possibilidade de criar uma CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito -, para que também os vereadores investiguem o envolvimento de Alberi Dias (MDB), e claro, dos membros do Executivo, em atos ilícitos.
Na terça-feira receberemos os vereadores de Gramado, Professor Daniel (PT) presidente da Câmara, o Joel Reis (PP) e Cícero Altreiter (MDB). O principal debate girará pelos projetos do Plano Diretor e da Taxa de Proteção Ambiental (TPA), popularmente conhecido como ‘pedágio’.

Ao vivo

O novo programa portanto vai ao ar todas as segundas e terças-feiras, com início às 8h05 e será apresentado por Cláudio Scherer, com apoio de toda a equipe de jornalismo do Integração. A transmissão ao vivo será pela página do Faceboock do Jornal Integração e pelo site www.leiafacil.com

O Voto Minerva

O nome do programa será O Voto Minerva. Chamamos de voto minerva aquele de desempate, deferido pelo presidente das sessões, tanto de legislativo (vereadores, deputados e senadores) quando de judiciário sessões de julgamento realizadas por conjunto de juízes, desembargadores e/ou ministros, ou mesmo pelo presidente de uma assembleia qualquer, associações, condomínios etc.. “De acordo com o professor Ari Riboldi, em sua publicação ‘A CPI das palavras’, o nome Minerva vem do latim mens, mente: pensamento. Era o nome da deusa romana da sabedoria, das artes e da guerra. Na mitologia grega, corresponde à deusa Palas Atena, que protegeu os gregos na guerra de Tróia.
Como deusa da paz e da razão, presidia as artes, a literatura, a filosofia, a música e a atividade inteligente. Minerva era representada com um capacete na cabeça, a égide no braço e uma lança na mão, símbolos de guerra tendo ainda, junto a si um mocho e diversos instrumentos de matemática, símbolos das ciências e artes.
Segundo a mitologia grega, Orestes matou a mãe e o amante dela para vingar a morte do pai. Ao ser julgado por 12 cidadãos, houve empate e Atena, que presidia o júri, proferiu o voto de desempate a favor de Orestes. Neste momento, o voto de desempate passou a ser conhecido como Voto de Minerva” (fonte site Terra).

Conteúdo relacionado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido