Início Exclusivo Assinantes “As pessoas não estão levando a doença a sério”

“As pessoas não estão levando a doença a sério”

Tempo de leitura: < 1 minuto

CANELA – Cuidados redobrados, atenção e seriedade para com a doença. Estes são os pedidos da Secretária da Saúde, Patrícia Valle, para a população canelense neste momento conturbado da saúde no município. Desde quinta-feira (11), sete pessoas morreram por complicações causadas pelo Coronavírus no Hospital de Caridade de Canela (HCC).

Patrícia concedeu entrevista a Rádio Integração Digital, no programa Manhã com Informação apresentado pelo jornalista Daniel Santos. Ela falou sobre o aumento dos atendimentos na Tenda Covid, imunização da população e a mutação do coronavírus, além de reforçar o pedido para que as pessoas com sintomas gripais procurem a Tenda e o Posto de Saúde Central, entre outros assuntos.

“A equipe de saúde está alerta em relação ao aumento dos atendimentos de pessoas com síndromes gripais. As pessoas com tosse, dor de cabeça, coriza, dor no corpo, diarréia, estamos orientando para que procurem atendimento. Não quer dizer que seja Covid, podem ser outras doenças. Enfim, sempre orientamos pela questão do contágio. O coronavírus é uma doença diferente e se manifesta de uma forma muito particular. Então, pedimos para que todos procurem os locais de atendimento para fazer o isolamento. Estamos com dois pontos para receber a população, temos a tenda ao lado do HCC e o posto central ao lado do Hospital”, destacou a Secretária.

“Não vai ser só mais o Idoso ou a pessoa que tem comorbidades”

Patrícia acrescentou que parte da população não está levando a doença e o isolamento com a seriedade solicitada pela equipe de saúde. “Pedimos para que os moradores colaborem conosco para que o isolamento seja rigorosamente cumprido. Se o cidadão não cumpre o isolamento, possivelmente ele irá transmitir a doença para inúmeros outros, que é o que está acontecendo. As pessoas não estão levando a sério a doença e acabam espalhando-a. Quando a gente liga para os moradores em isolamento ou a unidade vai à busca no domicílio, muitas vezes as pessoas não estão em casa. Essa conscientização de ficar em casa a partir de um termo de isolamento estabelecido é muito importante. Uma pessoa que possivelmente tem a doença tem de cumprir o isolamento. Essa situação pode se agravar ainda mais, podemos chegar a não ter mais leitos hospitalares. Então, precisamos da ajuda da população”, alertou a secretária, que também ratificou que os testes podem somente ser recolhidos entre três a oito dias após o paciente apresentar os sintomas compatíveis ao Coronavírus. Se este prazo não for respeitado, o teste pode responder como falso negativo.

Imunização

Conforme informado na segunda-feira (8), data de fechamento dos dados do Boletim Vacinal nº 1, Canela recebeu 1.080 doses e aplicou 675. O Boletim Vacinal nº2 não foi divulgado pela Prefeitura nesta semana. Neste momento, o município trabalha na imunização dos idosos acima de 85 anos e, de acordo com a secretária, todos os profissionais de saúde foram vacinados.Durante a entrevista, Patrícia revelou que uma reunião com o Estado para decidir os próximos grupos a serem vacinados e quantidade de doses seria realizada ainda ontem, quinta-feira (18).

A secretária também relembrou que a vacinação abrange duas doses, sendo assim, somente a primeira dose não causa a imunização completa dos pacientes. “A população precisa saber que a vacina tem duas doses. A primeira dose não protege ninguém, a pessoa tem que fazer também a segunda e esperar de 10 a 14 dias para estar imunizada”.

Variante: cepa P1

A nova variante da Covid-19, a cepa P1, também foi abordada por Patrícia, que destacou que esta nova mutação pode atingir outra parcela da população.“Essa cepa é a de maior contágio e é uma preocupação constante neste momento. Estamos vivendo uma nova fase da doença. Com isso, precisamos trabalhar para ampliar os cuidados. Ela afeta também uma população mais jovem. Estamos vendo pessoas mais novas sendo internadas, então, é essa a preocupação agora. Queremos que as pessoas se conscientizem que é uma nova fase. Agora não vai ser só mais o idoso ou a pessoa que tem comorbidades, a gama da população de risco aumentou. Isto vai atacar um número mais elevado da população”, disse ela.

Para finalizar, a secretária pediu para que as pessoas tenham a clareza que os cuidados são o melhor caminho para vencer a doença. “O uso de máscara é a melhor arma que temos, álcool gel, distanciamento, não se aglomerar. Essa consciência todos tem que ter. Vamos ter tempo de se abraçar, visitar os parentes, amigos e de comemorar, mas este não é o momento. Agora precisamos ter consciência”, finalizou Patrícia.

A entrevista pode ser ouvida na íntegra no leiafacil.com.br/Podcasts ou no Facebook do Jornal Integração.

Texto: Leonardo Santos – [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido