Vellinho rejuvenesceu

Tempo de leitura: < 1 minuto

Muitos ou a maioria dos políticos inicia pela câmara de vereadores, ascendendo depois à prefeitura. Não foi o caso do Vellinho que concorreu a vereador depois de ter sido três vezes prefeito de Canela. Não tenho dúvidas que será um acréscimo ao legislativo e de grande valia ao município.

Humildade

É preciso reconhecer que é um ato de humildade do ex-prefeito. Ainda que tenha lhe sido negado a volta ao cargo de prefeito em duas eleições (2008 e 2016) e a ascensão a deputado estadual em 2006, conforme pretendia, concorrer a vereador e assumir a cadeira é prova suficiente de que merece o respeito e carinho dos canelenses.

Não foi ouvido

Vellinho admitiu na tribuna, na primeira vez que a usou como legislador na sessão de segunda-feira, 08 de fevereiro de 2021, que concorreu ao cargo, em partes, por mágoa, “magoazinha”, como pronunciou. Durante o período em que não teve mandato, após 2004, seu último ano de prefeito, não teria sido ouvido pelos seus sucessores sobre os mais diversos assuntos, sobre os quais teria dado uma contribuição espontânea, emprestando seu conhecimento gratuitamente ao município, o que entendeu como “vai procurar teu caminho”. E, por isso, decidiu se candidatar e obteve a “delegação popular” através dos 754 votos. Agora, tem o direito de ter sua opinião ‘ouvida’ pela comunidade de Canela.

Contribuição

Citando exemplos de outros políticos que fizeram caminho semelhante na política, voltando do executivo para o legislativo, lembrou Danton Correia, seu tio, que, após ser o primeiro prefeito eleito da cidade, na gestão seguinte foi a vereador. Também destacou o ex-governador Amaral de Souza, que foi a vereador da capital depois de comandar o estado inteiro como chefe do executivo. Vellinho brincou com situações que enfrentou na campanha, como quando um eleitor teria lhe dito “então tu foi rebaixado”, e explicou que não entende assim, mas vê que “no momento, é a contribuição que eu posso dar ao meu município”.

Deslocado

O vereador Jone do Jornal (Merlin Jone Wulff), reeleito pelo PDT, não cabe no partido. Ou ele ascende à liderança, ou hora dessas vai procurar seu caminho. Neste ponto, teço crítica ao Vellinho Pinto, que não abre espaço para novos líderes. E se opõe a isso com veemência. Na sessão de segunda, a primeira desta legislatura e a sua como vereador, sequer citou o Jone, enquanto dispensou boa parte da sua fala aos demais edis e de forma especial ao terceiro edil da sigla; Jerônimo Terra Rolim. Ferida exposta que ou cura ou levará a consequências graves e ao partido que, ainda que elegeu três vereadores, já foi muito maior no município. Anos 80, 90 ninguém imaginaria que um dia, em uma eleição de prefeito, não faria mais de 20% dos votos com apenas dois concorrentes, como foi esta última.

Crítica acentuada

O Jone definitivamente não é um vereador ácido. Que critica pelo simples fato de ser oposição. Ele é muito coerente e sincero. Muito diferente do Jerônimo que, para a visão de muitos, exagera no tom das críticas e da repetitividade. Assim, quando tiver algo do que tenha razão e mesmo que seja assunto novo, não terá a audiência desejada. É meu amigo, gosto dele e já tive até oportunidade, mais de uma, de conversar com ele sobre isso. Vellinho também deverá ter um discurso mais severo de oposição, mas com certeza, como ex-prefeito três vezes, jamais elevará o tom a tal volume, mesmo que tenha elogiado na primeira sessão a postura do novo correligionário (Jeronimo deixou o PSDB e se filiou ao PDT na janela de março de 2020).

Marcelo Savi

Mais votado na eleição para sua reeleição como vereador, convidado pelo Prefeito para assumir a chefia de Gabinete, o ex-presidente da Câmara, que em seu novo cargo tem exatamente a incumbência de manter os dois poderes próximos, esteve lá assistindo a sessão de abertura do ano legislativo. E foi elogiado pelos vereadores. Inclusive o vereador Jerônimo Terra Rolim apresentou uma Moção de Aplausos a ele pelo resultado das urnas, a maior votação da história de Canela; 1.348 votos. Jerônimo também apresentou moção em homenagem ao Ratinho (Luiz Cláudio da Silva) pela sua atuação enquanto interventor do HCC.  

Habitação

Tema principal da legislatura passada se arrastou para a nova. Atravessou a barreira, até porque há vereadores que remanescem e o problema é imenso, necessitando de resolução imediata. Vellinho Pinto fala com propriedade do assunto e observou que o crescimento populacional, que aumentou mais de 50% em 16 anos, da sua saída do paço municipal até os dias atuais não foi acompanhado por essa questão, que “Pulou o perímetro urbano e invadiu área periféricas”. Para ele é preciso um amplo estudo e atuação na expansão urbana. 

Alfredo Schaffer

Não tenho espaço para falar de todos nesta edição, mas preciso dar um destaque para este rapaz. Eleito pela classe empregadora, mais central, até pela sua atuação na Associação Comercial e Industrial nos últimos anos, acredito que tenha agradado seu público na estreia. Falou da regulamentação para os loteamentos fechados, os conhecidos residenciais. Pediu a troca das bandeiras junto ao monumento do Cone Sul [Criado pelo escultor Carlos Tenius, que marca a reunião dos cinco presidentes que integram os países do Cone Sul (Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai), com vistas à conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento, em Canela, em fevereiro de 1992, localizado na RS 235, próximo a entrada para o Caracol]. E quer criar uma comissão para analisar a Lei Orgânica do Município, e claro, fazer as devidas alterações se necessário. Se mostrou habilidoso com as palavras.

Prioridade na vacinação

O que surge de gente querendo atropelar a fila de vacinação é assustador. Uma vergonha! Como diria o ex-vereador Carão: vergonha das vergonhas. Tem até vereador sugerindo quem deve ser vacinado primeiro. Deputado estadual, federal, senadores, todos dando pitaco. Ora, o Ministério da Saúde está cheio de técnicos para isso. Os políticos que parem de fazer politicagem com coisa séria. Entendam que este tipo de coisa se transforma no caos.  E há de se reconhecer que o cronograma de prioridades estabelecido está correto.

Integração

Ainda que independentes administrativamente, é muito bom que Canela e Gramado se deem as mãos. Há tantas e tantas causas conjuntas que valem muito a pena esta relação de fraternidade entre os vizinhos. Lembro quando o Cléo Port se elegeu prefeito de Canela pelo PP (2004). A gente pensava: agora vai a parceria com Gramado, já que os dos prefeitos são (eram) do PP (Pedro Bala em Gramado). Que nada! Até mesmo na gestão passada os dois municípios eram geridos pelo mesmo grupo político e nenhum movimento se fez perceber neste sentido. Agora, PP e MDB, que nos dois municípios são oposição um do outro, a nível de região se unem.

Na matéria enviada pelas assessorias, constam diversas ações que podem, e devem, ser encaminhadas em conjunto. Me chamou atenção que o Nestor pediu ajuda do Constantino para a RS 373 (Serra Grande/Santa Maria do Herval), mas o Constantino não pediu ajuda para a Rota Panorâmica (rsrsrsrs).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido