Jeff do Transporte

Tempo de leitura: < 1 minuto

Na sessão legislativa dessa semana, o vereador Jefferson de Oliveira (MDB)apimentou a política canelense e provocouaquela queimação típica da pimenta na goela de muitos emedebistas.

Jefferson se rebelou contra o sistema político e também contra seu partido. “Não foi proposital, mas eu dei, sim, um grande calote eleitoral em todos vocês”, disse. A referência é, especialmente, por não conseguir atender aos anseios de todos que o procuram.

Além da decepção com a política, ele se mostrou decepcionado com o próprio partido. “Vou começar a ser o vereador supersincero. Vou cumprir meu mandato, meu compromisso, mas não vou mais ser político. Provavelmente daqui 4 anos não vão me ver candidato, se me verem candidato não vai ser pelo MDB, isso é certo. Eu não consigo olhar pra essa podridão, pra esse nojo que se tornou a política e esconder das pessoas a verdade. Eu tenho dito pra não me pedirem as coisas porque o governo não vai fazer e o vereador não tem o poder de fazer nada”, desabafou.

Os políticos, em geral, sempre seguem os interesses dos seus partidos. Jefferson prometeu seguir seus princípios. “Eu vou dizer o que tiver que dizer, eu não tenho preocupação com perseguição, com ameaça do tipo que já me fizeram. Gente, cansei disso, a população vai ouvir o que tem que ouvir. Enquanto não me expulsarem do partido ou cassarem meu mandato eu vou falar a verdade para as pessoas”, destacou.

E antes de encerrar a fala, foi ainda mais contundente: “Em seis meses já atirei a toalha com a política. O vereador não pode ser marionete de um partido ou de um prefeito. Não pode. Eu vou votar com as minhas convicções, não me importa o que o partido quer que eu vote”. No meio político, o vereador disse que se sente perseguido e traído.

O desabafo do vereador foi postado nas plataformas digitais do Jornal Integração e a repercussão entre os internautas foi de apoio ao seu posicionamento.

Pedetistas não se manifestaram

Outro detalhe que chamou a atenção durante a sessão desta semana foi o silêncio do PDT. Nenhum dos três vereadores da bancada se pronunciou.JoneWulff é mais reservado, nem sempre se manifesta. Vellinho Pinto e Jerônimo Rolim sempre se posicionam. Mas não nessa semana. E isso deixou os internautas curiosos.

A opção pelo silêncio pareceu combinado. Jone me garantiu que não. E Rolim me disse que não tem motivos para se manifestar, e que “não vale a pena brigar porque eu ganho o mesmo valorde quem fica puxando o saco ou fica em silêncio ou fica fazendo indicação inconstitucional ou fica me ofendendo na tribuna”.

Estrada do Passo do Inferno

Nesta semana a ERS-476, que liga Canela a Alziro Ramos, passando pelo Passo do Inferno e Lajeado Grande, foi tema de um encontro na capital. Representantes do governo do Estado, da Assembleia Legislativa e do Daer receberam os membros da comissão pró-pavimentação da estrada, Mário Borguetto, Jorge Palandi, Blair Cardoso e João Paulo Alves, além dos vereadores Alfredo Schaffer (Canela) e Manuela Barcelos (Bom Jesus).

No encontro ficou prometido que o Daer fará uma ação com máquinas para amenizar os trechos com as piores condições de trafegabilidade. Antes do período chuvoso havia um orçamento na ordem de R$ 1,5 milhão para manutenção dos 65 km de estrada. Este valor precisará ser atualizado e, conforme o chefe da Casa Civil, Artur Lemos, o pedido para atualização dos valores e liberação de recursos será encaminhado à Secretaria da Fazenda.

CTG Manotaço

Depois de alguns anos distante, volto a botar o pé no estribo pra fazer parte da patronagem do Manotaço, dividindo afazeres do departamento artístico com Rafael Clement, Rodrigo de Moraes, entre outros abnegados.

A nova patronagem será liderada por BennoFranck Júnior, o Beninho, amigo de longa data, que realiza o sonho de ser patrão do CTG. Além dos quesitos tradicionalistas, para ser patrão é preciso disposição e entusiasmo. Qualidades que lhe sobram. Ao seu lado, como vice, estará Marcia Port, a Preta, que liderou a patronagem durante dois anos. E aqui merece uma ressalva, a Preta foi a primeira prenda a assumir o Manotaço fazendo história no tradicionalismo gramadense. Na administração da entidade não esteve solita e entregou a prestação de contas com saldo positivo.

Por causa da pandemia ainda não é possível ver peões e prendinhas correndo por dentro do CTG nos ensaios das invernadas, mas logo logo esse encantamento vai nos encher de alegria…

CTG Querência

Aqui na região, o CTG Querência de Canela já abriu as porteiras para as primeiras atividades sociais realizando, no final de semana passado, o evento Entre Milongas e Chamamés com o Grupo Rodeio (aliás, o Querência foi o primeiro CTG onde o conjunto se apresentou durante a pandemia). Com os devidos cuidados inerentes a este momento pandêmico é possível promover encontros sociais. Pela eleição lá no Manotaço não pude prestigiar o evento no Saiqui, mas é certo que farei grande esforço para estar nas celebrações de aniversário do Querência em 24 de julho, quando haverá um jantar com show do Quarteto Coração de Potro.

Conteúdo relacionado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido