InícioNotíciasEducaçãoEscolas municipais de Caxias terão aulas não presenciais

Escolas municipais de Caxias terão aulas não presenciais

Tempo de leitura: < 1 minuto

Materiais disponíveis na ferramenta estão adequados à realidade das escolas da cidade (Foto Reprodução)

A rede municipal de ensino de Caxias do Sul inicia nesta semana atividades de aula não presenciais, com estudos monitorados. Uma das ferramentas que as escolas de ensino fundamental poderão utilizar para disponibilizar o conteúdo é o Portal do Estudante (https://estudantes.caxias.rs.gov.br/), lançado na terça-feira, 5. “Era intenção realizar as atividades não presenciais, só estávamos aguardando orientações do Conselho Nacional da Educação, que foram tornadas públicas em 28 de abril e liberando esse formato de aula”, explica a secretária da Educação, Flávia Vergani.

O Portal do Estudante foi criado para compartilhar conteúdos adequados com a realidade das escolas públicas municipais de Caxias do Sul. De acordo com a titular da pasta, é um espaço para que os professores possam personalizar as atividades referentes aos estudos monitorados não presenciais e disponibilizá-las à comunidade escolar, de forma segura.

A ferramenta foi criada pela equipe da secretaria, a partir da plataforma Moodle, sem necessidade de login ou senha para acessá-lo. É um projeto colaborativo, onde cada professor será corresponsável pela sua construção e cada escola terá a liberdade de planejar as atividades. Trata-se de um canal de comunicação entre a escola e os estudantes, já que dentro do Portal não há uma ferramenta de devolução das atividades.

As escolas ainda podem oferecer as atividades pelas redes sociais, e devem garantir a distribuição dos materiais de forma impressa para as famílias que não têm acesso à internet. “O acesso à educação é um direito fundamental, por isso devemos planejar atividades que atendam a todos os estudantes, adequando às suas necessidades”, salienta.

Nesses casos, cada escola definirá a melhor maneira de entregar as atividades, combinando com as famílias e de acordo com as características de cada comunidade escolar, garantindo que todos os estudantes sejam contemplados. As famílias serão informadas sobre o procedimento para ter acesso às aulas pelas próprias escolas. “Os estudos monitorados não presenciais são alternativa para efetivar a aprendizagem e reestabelecer os vínculos dos estudantes com seus professores. Além do esforço dos alunos, é importante o engajamento das famílias, das equipes diretivas e dos docentes”, reforça Carla Zanette, diretora pedagógica da secretaria.

As escolas terão autonomia para organizar a escala de trabalho de seus servidores e funcionários, que será definida em conjunto pelas equipes diretivas, professores e secretários de escola, podendo ser em regime presencial ou teletrabalho, de acordo com a realidade de cada estabelecimento. Cada uma será responsável pela garantia do atendimento às demandas de cada setor; da organização, planejamento, logística, entrega, registro e correção dos estudos monitorados; e da prestação efetiva dos serviços realizados pelos funcionários das empresas terceirizadas.

O trabalho realizado em maio será considerado como horas letivas para as crianças, adolescentes e professores, que serão, posteriormente, apreciadas e validadas junto ao Conselho Municipal de Educação. A definição do protocolo foi antecedida de reuniões com as representações dos diferentes setores que integram a educação.

Educação infantil

As crianças das turmas de educação infantil em escolas municipais de ensino fundamental seguirão o mesmo sistema, recebendo as atividades não presenciais. Já para as escolas de educação infantil de gestão compartilhada, as atividades continuam suspensas e novas medidas serão anunciadas nos próximos dias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido