Início Educação Gramado e Canela “Ser professor é buscar dia a dia o inalcançável”, diz pedagogo

“Ser professor é buscar dia a dia o inalcançável”, diz pedagogo

Tempo de leitura: < 1 minuto

GRAMADO–“Isso cai na prova?”, “O que vai cair na prova?”, “Podemos fazer a prova em duplas?”, “É pra copiar?”…A vida de um professor é árdua e mais complicada do que passar noites montando tarefas e corrigindo provas, é distribuir conhecimento e preparar pessoas para a vida, fazer uma turma ser uma orquestra de aprendizado e educação, sendo ele o maestro. Nesta quinta-feira, dia 15 de outubro, foi comemorado o Dia do Professor em todo o país e, como forma de homenagear os docentes, a reportagem do JI mostra um pouco da história do pedagogo Fábio Selbach, que atua na Escola de Ensino Fundamental Pedro Zucolotto, no bairro Três Pinheiros.

Selbach é natural de Novo Hamburgo e é formado em pedagogia pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS) e pós-graduado em Educação Inclusiva. Ele conta que viu na profissão uma forma de mudar vidas. “Ser professor é buscar dia a dia o inalcançável, é uma missão difícil e desafiadora. É ser curioso e inovador para atender as novas gerações. Penso nos alunos como um todo, ensinando não só pelos livros, mas também dando exemplo”, expressou.

Livros, cultura e aprendizado

Durante a pandemia do novo Coronavírus o professor executou, de maio a agosto, um projeto de incentivo a leitura com seus alunos por meio de Educação a Distância (EAD), modalidade que se tornou popular e essencial após o estouro da Covid-19. Selbach utiliza de metodologias não convencionais, com o que há de mais atual em técnicas de ensino, alinhadas à nova BNCC (Base Nacional Comum Curricular). “Meu principal objetivo é a formação do aluno de forma holística e não apenas transferindo conhecimento como antigamente”, destaca.

A atividade batizada de ‘A Escola de Dinos’, foi idealizada pela Secretaria de Cultura e teve a participação de 15 alunos, do 3º ano, que ficaram sob o comando dele. O pedagogo define a experiência como desafiadora e, de início, assustadora. “Em plena pandemia mostramos ser possível estarmos presentes na vida dos alunos promovendo aprendizado, mesmo durante um período tão atípico e difícil. A tarefa foi superada com empenho e criatividade, além de estudo sobre novas tecnologias, sobretudo as digitais”, disse.

“O resultado foi muito bacana, eles fizeram atividades por meio dos grupos, montaram seus dinos. Eles reproduziram a sua própria versão do livro em casa, tiveram bastante participação”, finalizou Selbach. O projeto contou também com a participação da autora do livro trabalhado, ‘Escola de Dinos’, a escritora Letícia Möller.

Texto: Leonardo Santos – [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido