InícioSaúdeGramado e CanelaSaiba como está o processo de venda e intervenção do hospital de...

Saiba como está o processo de venda e intervenção do hospital de Gramado

Tempo de leitura: < 1 minuto

GRAMADO – A assessoria de Comunicação da Prefeitura de Gramado enviou um comunicado (ver abaixo) sobre a aquisição do Hospital Arcanjo São Miguel (HASM), por parte da Seferin & Coelho em negociação com a Associação Franciscana de Assistência a Saúde (Sefas).

Devido a esta situação informada nesta sexta-feira (29), a reportagem do Jornal Integração conversou com o secretário Adjunto da Saúde, Volnei Desiam, que informou que a intervenção do HASM foi renovada por um período de até três meses. Ele mencionou que na próxima semana uma nova reunião debaterá o tema.

Comunicado à população sobre a aquisição do Hospital Arcanjo São Miguel

Embora o contrato de compra e venda do Hospital Arcanjo São Miguel tenha ocorrido entre Associação Franciscana de Assistência a Saúde (Sefas) e Seferin & Coelho, sem a interferência do Município de Gramado, o Executivo participa do processo para garantir à população gramadense a continuidade do serviço público de saúde no único hospital da cidade, bem como para buscar o ressarcimento dos valores empregados desde o início da intervenção.

As recomendações do Ministério Público, na condição de fiscal da lei, dizem respeito a essas garantias cujas respostas cabem ao grupo adquirente do Hospital Arcanjo São Miguel, que prestará novas informações para esclarecer os pontos que o Órgão Ministerial, com base nas informações da própria Seferin & Coelho, da Comissão Interventora e da Secretaria Estadual de Saúde, entende necessárias e oportunas.

Tais recomendações são de caráter técnico e auxiliam o Executivo na tomada das decisões sobre o futuro da saúde pública municipal sendo que neste momento optou-se pela renovação da intervenção visto que os adquirentes estão reanalisando a situação para apresentar uma nova proposta de trabalho que ofereça maior segurança, sendo oportunamente analisada pelo Executivo, pela Comissão Interventora, Secretarias de Saúde Municipal e Estadual, pelo Conselho de Saúde e próprio Ministério Público.

Embora a decisão pelo levantamento da intervenção e suas consequências seja exclusiva do Executivo, o trabalho é e sempre será conjunto e tem um único propósito: a garantia de serviço de saúde público de qualidade à comunidade gramadense.

Crédito: Ascom/PMG

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido