Início Política Gramado e Canela “Queremos manter a composição”, diz Gilberto Cezar

“Queremos manter a composição”, diz Gilberto Cezar

Tempo de leitura: < 1 minuto

CANELA – O primeiro posicionamento do PSDB para a eleição deste ano é pela manutenção da parceria com o MDB, repetindo a dobradinha Constantino Orsolin/Gilberto Cezar. “Na majoritária o PSDB defende que se mantenha a composição. Não recebemos nada oficial do MDB dizendo que não quer”, enalteceu o vice-prefeito durante entrevista na Rádio Integração Digital nesta quarta-feira. A conversa pode ser conferida na íntegra lá no site do jornal (www.leiafacil.com.br) ou na nossa página no Facebook.

Gilberto Cezar considera difícil que haja uma candidatura única na cidade, conforme as intenções reveladas pelo MDB durante uma coletiva de imprensa na terça-feira. Ele também exaltou que “em quatro anos não tive nenhum embate de discussão com o prefeito. Tenho boa relação com ele e com o Vilmar (Santos, presidente do MDB)”.

E revelou que já teve uma conversa com o PDT sobre a eleição. “Houve uma reunião em fevereiro, quando Gilberto Tegner ainda era secretário. O Diretório do PSDB optou por ir na reunião e externar que defenderia a manutenção da coligação com MDB, caso isso não fosse possível por questões políticas então o PSDB abriria portas para discutir outras conjunturas, mas sempre com base em pesquisas”, explanou.

Para o Poder Legislativo, Gilberto Cezar entende que o partido terá uma nominata mais forte que em 2016, estimando eleger ao menos dois candidatos. “Temos um grupo muito bom, eu diria que é até mais forte que o grupo que concorreu na eleição passada. Temos lideranças em todos os bairros da cidade e muitos deles já testados nas urnas. Hoje, são 30 pré-candidatos para definirmos os 17 que disputarão o pleito. Estamos bem estruturados”, esclareceu.

No seu ponto de vista a corrida eleitoral deste ano será muito mais barata, ocorrerá mais pelos meios digitais e deve ocorrer surpresas no âmbito do legislativo. “Será uma eleição totalmente diferente do que sempre acompanhamos. Com relação ao tempo de campanha é tranquilo, porque não tem nenhuma novidade, os nomes são todos conhecidos, o eleitor já conhece o currículo de cada um de nós e sabe o que cada um pensa”, avaliou.

Numa provável mudança de conjuntura, Gilberto Cezar foi indagado se abriria mão de uma candidatura a vice para permitir que o PDT fosse vice de Constantino e comentou que é preciso entender o que o povo quer. “Se tivesse uma pesquisa dizendo que não estou bem, que eu não agregaria, com certeza eu abriria mão, mas se na pesquisa diz que tem que ser o Gilberto, tu vai ir contra a vontade do povo”, cogitou.

Texto: Fernando Gusen – [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido