InícioEducaçãoGramado e CanelaProfessor é semifinalista do 22º Prêmio Arte na Escola

Professor é semifinalista do 22º Prêmio Arte na Escola

Tempo de leitura: < 1 minuto

CANELA – Cristiano Souza Cluguer, o professor Cris, chegou a semifinal do 22º Prêmio Arte na Escola Cidadã com seu projeto ‘Cantinho da Escola em Casa’. O prêmio nacional é realizado pelo Ministério da Educação e Secretaria Especial da Cultura e Cristiano inscreveu sua iniciativa na categoria Educação Infantil. O programa foi desenvolvido em 2020, na Escola Municipal de Educação Infantil Diva Pedroso da Cunha, no bairro São Lucas, com a turma Pré II, durante a pandemia da Covid-19, de março a dezembro.

O ‘Cantinho da Escola em Casa’, executado com crianças de 5 a 6 anos, concorreu com mais de 10 mil outros planos educacionais. O Instituto Arte na Escola premia, em todos os anos, projetos desenvolvidos nas modalidades EJA, Educação Infantil, Ensino Médio e Fundamental 1 e 2.

Cristiano no estúdio do Jornal Integração – Leonardo Santos/JIH

A reportagem do Jornal Integração conversou com Cristiano. Ele explanou a sua história como docente, desde o começo da carreira na fronteira do Estado até chegar à Região das Hortênsias há nove anos, e desenvolver um projeto reconhecido a nível nacional. Na área da educação, o professor tem especializações em Pedagogia, Psicopedagogia, Ludopedagogia e Neuroeducação.

Natural de Uruguaiana, o professor Cris deu seus primeiros passos como docente em uma Creche Municipal, em Barra do Quaraí, a 72 quilômetros de sua cidade natal. Anteriormente, ele já havia trabalhado na Secretaria de Educação deBarra do Quaraí que tem quatro mil habitantes. Segundo ele, a escolha pela Educação Infantil foi para preencher uma lacuna na infância. “Minha escolha em ser professor de Educação Infantil foi porquê, na minha época de criança, na minha escola, não havia este estágio de aprendizado. Eu fiz direto a primeira série. Eu sempre me dediquei e me atrai pela arte. Com 16 anos ingressei na pedagogia e me formei com 20, faz 12 anos que estou na área. Eu trabalhei na primeira creche municipal que teve em Barra do Quaraí. Sempre cresci com isso (possibilidade de ser educador para os menores), talvez tenha sido uma lacuna na minha infância. Eu queria ter feito esta etapa. Sempre gostei da questão, além das artes, dos jogos, das brincadeiras, eu me identifico com a docência. Está em mim ser professor. Ser professor não é só ensinar, tu está formando personalidades, dando conhecimento cognitivo e cultural, acho que isso é o mais importante”, explicou.

Como nasceu o projeto Cantinho da Escola em Casa

Na região, desde que chegou em 2012, o professor Cris já trabalhou em Gramado, São Francisco de Paula e Canela, e foi na Cidade das Hortênsias que o auge foi alcançado. O projeto ‘Cantinho da Escola em Casa’ surgiu na Escola Municipal de Educação Infantil Diva Pedroso da Cunha, em março de 2020, após a pandemia evidenciar que o modo de ensinar teria que se readequar para atender os alunos em casa.

Ele também destacou que já está pensando e idealizando novos projetos.“Durante a pandemia, que iniciou e percorreu o ano passado, nós, enquanto escola, tínhamos uma preocupação muito grande com o aprendizagem dos alunos. Mesmo eles estando na pré-escola, que é a última etapa da Educação Infantil, mantínhamos a preocupação de continuar o vínculo com essas crianças. Os meus alunos tinham vindo do Maternal II, eles eram considerados os bebês do educandário. Foi aí que resolvemos fazer o projeto, era uma forma de aproximar os pais, alunos e professores”, observou.

“A idealizadora foi a diretora Neli Vitancourt, mas quem executou, organizou, documentou e inscreveu no prêmio fui eu. Nós disponibilizamos material para as famílias, para que elas pudessem fazer um painel com a foto dos professores e alunos. Naquele painel, a partir das atividades que criávamos para serem executadas em casa, eles iam expondo a conclusão dos trabalhos e iam mandando os registros no grupo de WhatsApp da turma para confirmar que eles estavam fazendo”, destacou.

“Assim se criou uma rotina, mesmo eles não indo para a escola presencialmente era como se eles estivessem lá. Tinha horário, todos os dias que eles iam naquele cantinho para fazer as atividades. Como não estávamos presencialmente, foi até mais fácil. Eu conseguia organizar as aulas em casa e aplicava por meio do site da Prefeitura e WhatsApp, além dos encontros no Google Meet (plataforma que possibilita conferências por meio de vídeo). Tenho planos para desenvolver outra atividade, no ano que vem, quando voltarmos presencialmente, com materiais reaproveitáveis para trabalhar essa importância com as crianças, de sustentabilidade e reciclagem”, detalhou o docente.

Na época em que o projeto foi desenvolvido, Cristiano também lecionava em um educandário em São Chico, pela manhã, tendo que conciliar as duas atuações.Atualmente, ele trabalha em Gramado, na EMEI Pequenos Gigantes, e se mantém lecionando na Escola Diva Pedroso.

INSCRIÇÃO E PARTICIPAÇÃO – Cluguer revelou que, após alguns meses, no início do ano letivo de 2021, recebeu um e-mail que divulgava o prêmio Arte na Escola Cidadã e se inscreveu para o concurso. Cerca de um mês depois, em abril, o professor descobriu que o ‘Cantinho da Escola em Casa’ tinha sido acolhido. A divulgação que revelou que o projeto foi semifinalista ocorreu no dia 22 de junho.

“Eu não esperava que o projeto fosse ser selecionado. Eram todas as regiões do Brasil participando. Eu tinha tudo documentado, tínhamos fotos, vídeos, depoimentos dos pais. De primeira eu só inscrevi o projeto, depois fui selecionado para dar seguimento, da primeira fase para a segunda, foi aí que tive que montar um portfólio. Depois disto tudo, enviei. Para minha surpresa, nos classificamos. Tinham outras escolas da região, mas eu só vi o meu nome. Não conseguimos ser campeões, mas chegamos até a semifinal”, comemora.

“Fiquei muito feliz pelo reconhecimento, só de ter participado e chegado até onde cheguei, já fiquei muito orgulhoso. Eu fiquei muito contente quando eu abri o site e vi meu nome no meio de milhares de outros tantos, podendo representar a região. Foi um resultado que veio em um momento difícil. Os professores passaram bastante dificuldades para entrar no ritmo com toda essa mudança. Consegui atingir o objetivo principal que era manter o vínculo das crianças com a escola. Te garanto que 100% daquela turma saiu com os ensinamentos que tinha que sair”, declarou. 

A premiação foi anunciada no dia 8 de setembro. O professor vencedor da categoria Educação Infantil foi Jaqueline Elise Kosch, com o projeto ‘Um Brinquedo Chamado Música’, do Centro de Educação Infantil Adolfo Artmann, situado em Joinville, Santa Catarina.

Conteúdo relacionado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido