InícioEconomiaGramado e CanelaCaixa atinge lucro líquido de R$ 10,8 bilhões no 1º semestre

Caixa atinge lucro líquido de R$ 10,8 bilhões no 1º semestre

Tempo de leitura: < 1 minuto

PAÍS – A CAIXA, o maior banco brasileiro em número de clientes, crédito, contas digitais e depósitos em poupança, anuncia o seu resultado consolidado do segundo trimestre (2T21).

DESTAQUES DO PERÍODO:

  • IPO da CAIXA Seguridade com volume financeiro de R$ 5 bilhões;
  • Desinvestimento total no Banco PAN, com lucro líquido de R$ 2 bilhões;
  • Pela primeira vez nos últimos 10 anos, os 3 balanços pelos quais a CAIXA é responsável foram publicados sem nenhuma ressalva – CAIXA, FGTS e FI-FGTS;
  • Retirada de ressalvas, oriundas de gestões passadas, por parte das auditorias independentes dos balanços da CAIXA (4T16 a 1T19), do FGTS (Investimentos de 2009 a 2015) e do FI-FGTS (2011 a 2019);
  • Lucro Líquido de R$ 6,3 bilhões no 2T21, aumento de 144,7% sobre o 2T20;
  • Lucro Líquido de R$ 6,3 bilhões no 2T21, maior lucro no segundo trimestre de toda série histórica do banco;
  • Lucro Líquido de R$ 10,8 bilhões no 1S21, aumento de 93,4% sobre o 1S20;
  • Lucro Líquido de R$ 10,8 bilhões no 1S21 é o maior lucro no primeiro semestre de toda série histórica do banco;
  • Saldo de R$ 816,3 bilhões na carteira de crédito total, crescimento de 13,4% sobre o 2T20;
  • Crescimento de 101,3% em contratações de crédito imobiliário SBPE em relação ao 1S20, totalizando R$ 37,4 bilhões;
  • Aumento de 79,5% no volume de contratações Agro, comparado ao 1S20, com + R$ 5,8 bilhões contratados;
  • 93,2% de crescimento no saldo MPE em 12 meses, atingindo R$ 48,2 bilhões;
  • Contratação de R$ 17,6 bilhões em crédito consignado no 2T21, crescimento de 35,9% sobre o 1T21, a maior contratação de um segundo trimestre dos últimos 10 anos nessa modalidade;
  • Saldo em poupança de R$ 371,4 bilhões, evolução de 2,1% em 12 meses;
  • ROE totalizou 19,01%, crescimento de 2,68 p.p. no trimestre;
  • Margem financeira de R$ 11,1 bilhões, maior em 19,7% sobre o 2T20 e 0,8% sobre o 1T21;
  • Despesas de Pessoalcom redução de 0,6% em 12 meses;
  • Índice de Basileia de 20,1% no 2T21, com capital de nível 1 atingindo 15,6%;
  • 17,25% de ações da CAIXA Seguridade vendidas a 150 mil investidores;
  • 5 Parcerias Estratégicas da CAIXA Seguridade concluídas, totalizando R$ 9,8 bilhões;
  • Assinaturade Acordos Operacionais de Parcerias com 3 co-corretoras para atuação junto à corretora própria da Caixa Seguridade, com aprovação sem restrição pelo CADE;
  • Parceria Estratégica da CAIXA Cartões nos ramos de Adquirência e Pré-Pagos;
  • Entrada no mercado de adquirência com a maquininha CAIXA Pagamentos em todo o território nacional;
  • Aumento de participação acionária da CAIXA Cartões no capital social da Elo Serviços S.A., de 36,9% para 41,4%, com aprovação sem restrição pelo CADE;
  • CAIXA Asset é a 4ª maior administradora de recursos, com R$ 694,0 bilhões sob gestão;
  • Economia estimada de R$ 333,6 milhões no triênio 2019-2021, com a devolução de 133 imóveis administrativos até JUN/21;
  • Devolução dos imóveis atualizada a Valor Presente Líquido (VPL) representa uma economia de R$ 6 bilhões, considerando a perpetuidade dos contratos;
  • Projeção de redução de R$ 236,3 milhões com a renegociação em curso dos valores de aluguéis;
  • Renegociação dos aluguéis atualizado a Valor Presente Líquido (VPL) representa uma economia de R$ 4,2 bilhões, considerando a perpetuidade dos contratos;
  • Fitch elevouo rating de Qualidade de Gestão de Investimento da CAIXA para excelente eelevou de 2 para 4[+] orating ESG Social – único banco brasileiro com essa classificação;
  • Preservação de + 3 milhões de hectares de parques e florestas, abrangendo todas as regiões e biomas do país;
  • Plano de expansão com inauguração de 268 novas unidades, sendo 168 voltadas ao atendimento de clientes do varejo e 100 unidades especializadas no agronegócio;
  • Participação da CAIXA pela primeira vez no Plano Safra;
  • Mais de 17,8 mil contratações de colaboradores anunciadas apenas em 2021, para fortalecer a rede de atendimento do banco.
  • CAIXA certificada com o Selo Melhor Empresa para trabalhar 2021 – Great Place to Work;
  • A CAIXA recebeu o 6º Selo do Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça, em reconhecimento às ações do banco em prol da equidade;

ATUAÇÃO DA CAIXA PARA MITIGAÇÃO DOS IMPACTOS DO COVID-19

Auxílio Emergencial

Com a continuidade da pandemia de COVID-19 no 2T21, a CAIXA continua com a operacionalização do Auxílio Emergencial, sendo o agente pagador do programa, assim como no ano de 2020. Com a experiência adquirida no ano passado, o calendário foi organizado para que o atendimento ocorra de forma organizada e sem aglomeração.

O beneficiário continua tendo toda a comodidade de receber seu benefício por meio da Plataforma Digital da CAIXA, o CAIXA Tem, podendo realizar pagamentos e transferências, sem necessidade de se deslocar até uma agência.

No 2T21, foram pagas 114,1 milhões de parcelas do Auxílio Emergencial 2021 para 38 milhões de beneficiários, o que correspondeu ao montante de R$ 26,3 bilhões em benefícios pagos.

Antecipação do Abono Salarial – Programa de Integração Social (PIS)

No 2T21 a CAIXA distribuiu 725,5 mil benefícios do abono salarial, o que corresponde a R$ 473,7 milhões.

Benefícios Sociais

No 2T21, a CAIXA pagou 158 milhões de parcelas de benefícios sociais, no montante de R$ 73 bilhões. Esses valores contemplam os pagamentos dos programas Auxílio Emergencial, BEm, Bolsa Família, Seguro-Desemprego, Abono Salarial, benefícios previdenciários e demais programas federais, estaduais e municipais de transferência de renda.

Plataforma Digital – CAIXA Tem

Atingindo o recorde de mais de 107 milhões de contas poupanças sociais digitais gratuitas abertas até o final de junho de 2021, o app CAIXA Tem viabilizou o maior movimento de inclusão social, digital e financeira do Brasil, sendo utilizado para pagamento de todos os benefícios sociais. O app apresenta o menor consumo de dados do mercado e tem foco nos segmentos de renda básica, social e microempreendedor individual (MEI). Dentre as suas funcionalidades estão o pagamento de boletos, contas, utilização de cartão de débito virtual e QR Code para fazer compras.

Durante o primeiro semestre de 2021, foram cadastrados 5,4 milhões de usuários com dispositivo vinculado no app CAIXA Tem e realizadas 1,1 bilhões de transações eletrônicas e financeiras, além de 51,9 milhões de downloads do aplicativo.

Crédito à Micro, Pequena e Média Empresa – PRONAMPE e FAMPE

Desde o dia 02 de julho de 2021, a CAIXA disponibilizou R$ 6,3 bilhões em crédito pelo Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte – PRONAMPE. Com o objetivo de consolidar os pequenos negócios como agentes de sustentação, de transformação e de desenvolvimento da economia nacional, o novo limite, autorizado pelo Fundo Garantidor de Operações (FGO), vai auxiliar empreendedores e pequenas empresas que necessitam de crédito.

No 2T21, foi contratado R$ 1,2 bilhão referente à linha de crédito amparada pelo Fundo de Aval para as Micro e Pequenas Empresas (FAMPE), beneficiando 16,1 mil empresas. No 1S21 foram R$ 2,7 bilhões em contratações e 37,1 mil empresas beneficiadas. Essa modalidade conta com o Crédito Assistido do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), antes, durante e após a contratação.

Saque-Aniversário do FGTS

No 2T21, a operação de crédito para Antecipação do Saque Aniversário do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) resultou na contratação de R$ 1,8 bilhão, distribuídos em 1,1 milhão de operações. No 1S21, R$ 3,6 bilhões foram contratados e pagos em 2,1 milhões de operações.

Com a nova sistemática, deixa de ser necessário que os trabalhadores aguardem o mês de seu aniversário para terem acesso aos recursos. Para essa linha que possibilita a antecipação dos benefícios dos próximos três anos, a CAIXA oferece uma das taxas mais baixas praticadas para pessoa física, de 1,09% a.m.

Empregados e Colaboradores

No 2T21 foram admitidos 2.626 novos empregados, totalizando, no 1S21, 2.837 empregados contratados.

A CAIXA anunciou ao todo mais de 17,8 mil contratações de colaboradores apenas em 2021. Destaca-se a convocação de todos os PcD aprovados no concurso de 2014, superando mais de 3,4 mil empregados PcD, a maior inclusão da história do banco, e com a contratação exclusiva de mais 1,0 mil empregados PcD, conforme anunciado em julho/21, totalizaremos um quadro de mais de 4,4 mil, superando a cota legal de 5% do quadro funcional.

EFICIÊNCIA E REDUÇÃO DE CUSTO

Por meio da geração de lucros recorrentes e da monetização de ativos, a CAIXA, no 1S21, manteve a intenção de realizar novos pagamentos ao Tesouro Nacional, referentes aos IHCD. Desde 2019, já foram pagos R$ 11,35 bilhões.

Considerando o custo elevado da dívida, superior à SELIC, o pagamento desses recursos significa uma economia direta para a CAIXA por meio da redução de seu custo de capital, e demonstra o zelo da empresa em manter uma estrutura de capital sólida e eficiente.

De janeiro de 2019 a junho de 2021, o movimento de otimização de espaço devolveu 133 imóveis administrativos em todas as regiões do país, com a previsão é de devolver mais 28 prédios administrativos até o final do ano, totalizando 161 edifícios devolvidos.

Estima-se uma economia de R$ 333,6 milhões no triênio 2019-2021, com o movimento de otimização de espaços e mais R$ 236,3 milhões com as renegociações de aluguéis, totalizando uma economia de R$ 569,9 milhões. Atualizando a Valor Presente Líquido (VPL), a economia com a devolução de prédios representa R$ 6 bilhões, e na renegociação de aluguéis, R$ 4,2 bilhões, considerando a perpetuidade dos contratos.

RESULTADOS E INDICADORES DO 2T21

No 2T21, o lucro foi de R$ 6,3 bilhões, aumento de 144,7% se comparado ao 2T20. O retorno sobre o patrimônio líquido registrou 19,01% e o retorno sobre o ativo médio alcançou 1,27%, crescimentos trimestrais de 2,68 p.p. e 0,20 p.p. respectivamente.

margem financeira alcançou R$ 11,1 bilhões no 2T21, aumento de 19,7% se comparado ao 2T20. O crescimento é decorrente do aumento de 8,2% nas receitas com operações de crédito e da redução de 10% nas despesas de recursos de clientes, principalmente.

No 2T21, as receitas provenientes das operações de crédito habitacionais totalizaram R$ 8,9 bilhões, aumento de 11,5% em relação ao 2T20. Essas receitas representam 53,4% do total das receitas de crédito. Destaca-se ainda nas receitas com operações de crédito o crescimento de 62,1% em crédito ao agronegócio, 11,7% em saneamento e infraestrutura e 16,1% em crédito comercial pessoa jurídica.

As despesas de captação resultam no 2T21 das reduções, em 12 meses, de 40% em letras, 23,3% com CDB, 9,9% com as operações de poupança e 8,1% relacionados a depósitos judiciais. O comportamento dessas despesas reflete o crescimento nas linhas de menor custo.

Relativo às receitas de prestação de serviços, no 2T21, a CAIXA auferiu R$ 5,9 bilhões, crescimento de 8,7% em 12 meses, com destaque para o aumento de 12,4% nas receitas com serviços de governo, 8,6% com fundos de investimentos e 8,5% com cartões de débito e crédito.

Índice de Basileia atingiu 20,1%, superior em 9,47 p.p. ao mínimo exigido de 10,625%. O índice de capital principal totalizou 15,3%, enquanto o de nível I 15,6%, mantendo-se acima do mínimo regulatório de 6,75% para o de capital principal, e 8,25% para o de capital nível I.

CARTEIRA DE CRÉDITO AMPLA TOTALIZA SALDO DE R$ 816,3 BILHÕES

A carteira de crédito ampliada encerrou o 2T21 com saldo de R$ 816,3 bilhões, crescimento de 13,4% em relação ao 2T20, com participação de mercado de 19,2%.

O aumento de saldo foi influenciado pelos crescimentos em 12 meses de 61,1% em crédito comercial pessoa jurídica direcionado, principalmente, para micro e pequenas empresas; 45,7% em agronegócio; 17,5% em crédito consignado e 9,2% em habitação.

No 2T21, foram concedidos R$ 100,7 bilhões em crédito para a população brasileira, crescimento de 7,3% em relação ao 1T21 e 4,8% em relação ao 2T20, com destaque para os aumentos no trimestre de 63,8% em crédito ao agronegócio, 35,9% em consignado e 24,6% em habitação.

CONTRATAÇÃO DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO SBPE SOBE 101,3% NO ACUMULADO 1S21

A CAIXA é líder na concessão de financiamento para casa própria e alcançou, no 2T21, o saldo de R$ 529,5 bilhões[1], totalizando 5,8 milhões de contratos. Somente no mês de junho, foram R$ 13,1 bilhões em contratação (considerando recursos SBPE e FGTS), consolidando-se como o mês com a maior contratação de crédito imobiliário da história da CAIXA.

O banco segue como o maior financiador da casa própria no país, com 67,3% de participação no mercado. Esse resultado é fruto direto das ações dos últimos dois anos, que incluem as reduções de taxas, criação de produtos e implementação da jornada digital do financiamento.

No 2T21, cresceu 98,9% em contratação de crédito com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) em comparação ao 2T20, totalizando R$ 21,1 bilhões. No acumulado do 1S21, cresceu 101,3%, totalizando R$ 37,4 bilhões.

Durante o segundo trimestre de 2021, a CAIXA realizou 24 milhões de simulações e 874,6 mil avaliações de crédito imobiliário, e celebrou 161,7 mil novos contratos, beneficiando mais de 646 mil brasileiros.

1 Inclui Construcard.

4ª MAIOR ADMINISTRADORA E GESTORA DE FUNDOS

A CAIXA é a 4ª maior administradora e gestora de fundos, responsável pela administração de R$ 693,9 bilhões em fundos de investimento e carteiras administradas, apresentando um crescimento de 2,3% no trimestre e 16,3% em 12 meses.

Os fundos de rede e de não rede somavam R$ 558 bilhões, ante R$ 538,8 bilhões verificados em março de 2021, representando um crescimento de 3,6% no trimestre e alta de 18,4% em 12 meses.

Ao final de junho de 2021, a CAIXA administrava 7,7% do patrimônio líquido total dos fundos do mercado, segundo critérios da ANBIMA – Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais, ocupando a 4ª posição do ranking de administradores de recursos, com um saldo de R$ 508,3 bilhões.

LOTERIAS ARRECADAM R$ 3,8 BILHÕES NO 2T21

No 2T21, as Loterias CAIXA arrecadaram R$ 3,8 bilhões, 33,9% maior que o apurado no 2T20. Desse valor, R$ 1,9 bilhão foi transferido aos programas sociais do Governo Federal nas áreas de seguridade social, esporte, cultura, segurança pública, educação e saúde, o que corresponde a um repasse de 50,5% do valor arrecadado.

Conteúdo relacionado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido