Vereadores criticam apatia do Executivo em relação à Festa da Uva

Política

17 de maio de 2018 às 08:35 hr
Texto
-a
+a

A crítica pegou pesada no Executivo, na sessão legislativa desta quarta-feira (16). O tema foi a Festa da Uva 2019. Tudo começou em pronunciamento do vereador Velocino Uez/PDT. Segundo ele, o adiamento do evento por um ano aumenta mais ainda a responsabilidade dos organizadores.

Usando como pano de fundo o evento de escolha das soberanas, que ocorre neste sábado (19), Uez criticou a ausência do prefeito Daniel Guerra/PRB na divulgação da festa. Além disso, ficou indignado porque o presidente da Câmara, Alberto Meneguzzi/PSB, não foi convidado para compor a delegação que foi à Capital convidar o governador do Estado, José Ivo Sartori/PMDB. Além disso, somente o presidente da Casa foi convidado a participar do concurso de escolha das soberanas.

Segundo Velocino Uez, a Festa da Uva traz divisas para o Município. “Movimenta toda a cidade, aumenta impostos que caem no caixa da Prefeitura. Talvez sobrariam alguns centavos a mais para botar na saúde. Tomara que eu esteja enganado, mas não é o que estou vendo. Falto o envolvimento de um todo”, afirmou.

 

Para Périco, Administração repassou a responsabilidade

 

Quem também se pronunciou contra a postura do Executivo foi o vereador Paulo Périco/PMDB. Na opinião dele, o governo deveria apoiar e trabalhar em conjunto com a Comissão Comunitária. O parlamentar também criticou a falta de representantes do primeiro escalão do prefeito Daniel Guerra/PRB na comitiva que foi se encontrar com Sartori. “Somente a presidente Sandra, da Comissão da Festa da Uva, e as embaixatrizes lá estiveram, no Palácio Piratini. Absolutamente ninguém do Poder Executivo. No mínimo, a secretária do Turismo. Se é que temos. Tudo bem, o prefeito não vai ao Palácio Piratini, talvez ele não saiba nem o endereço, ali na Rua Duque de Caxias, em Porto Alegre. Agora, a secretária do Turismo não estar ali representando?”, questionou.

Conforme Périco, prefeitos da região estão preocupados com o adiamento do evento para 2019, pois os turistas que vêm à Caxias também visitam as cidades vizinhas. Para o vereador, o Executivo deve arcar com as consequências da decisão. “Tenho certeza que a nossa Casa não vai se omitir em nenhum momento de apoiar a Festa da Uva. Se o Executivo assim não quer e não o fizer, isso é um problema que depois terá que responder perante a comunidade. Mas esta Casa, com certeza, se fará presente, e estaremos dando total apoio”, salientou.

 

O QUE DISSERAM

 

Renato Nunes/PR

“Eu vou averiguar essa situação aí, porque também sinto uma falta de respeito com o Legislativo se os vereadores não foram convidados, só o presidente. Porque eu estava em dúvida aqui se o convite foi feito a ele, enquanto presidente, enquanto Câmara, porque daí nós todos estaríamos contemplados”.

 

Alceu Thomé/PTB

“Eu vejo que é bastante caro para tu sentares lá e ver a escolha da rainha. Onde devia ser uma festa popular e com preço também bastante popular. Eu entendo que não seja. Eu reservei o meu ingresso, vou ir, porque minha esposa gosta. Mas, mesmo assim, eu acho que é um preço muito salgado para esse evento”.

 

Rafael Bueno/PDT

“A população de Caxias do Sul não foi convidada. Porque, se o senhor [Uez] perguntar para 97% da população... Eu não sabia o local que ia ser a escolha. Então, a população de Caxias do Sul, na sua quase totalidade, não foi convidada para a escolha das soberanas, infelizmente”.

 

Edson da Rosa/PMDB

“É o Poder Executivo, a Festa da Uva, quem tem que estar à frente de tudo isso, e estão deixando, infelizmente, a presidente Sandra sozinha. É o sentimento que está passando para Caxias do Sul. E aqui não é uma fala para desgastar nada, temos que entender que a Festa da Uva é maior que todos nós”.

 

Adiló Didomenico/PTB

“Até aqui, o que vem acontecendo em termos de Festa da Uva, se deve ao esforço e ao prestígio da Sandra Randon e sua equipe. O Poder Executivo está simplesmente alheio. Quando do episódio do cabo de entrada de luz da Casa de Pedra eu dizia: pobre da Sandra com essa retaguarda da Cultura e do Turismo. E, hoje, eu vou mais longe: pobre dela com a retaguarda de todo o Executivo”.

 

« Voltar