Venda de veículos importados ficou abaixo das expectativas

Comunidades

11 de janeiro de 2019 às 08:35 hr
Texto
-a
+a

As 16 marcas filiadas à Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores (Abeifa) consolidaram crescimento de 26,3% no ano passado sobre 2017, totalizando 37.582 licenciamentos. A totalização anualizada de automóveis e comerciais leves importados ficou abaixo da previsão da entidade que havia sinalizado 40 mil unidades. “Terminamos o ano com 6% abaixo dos números iniciais. Aliás, bem conservadores. Com o final do Inovar-Auto e dos 30 pontos percentuais adicionais no IPI, imaginávamos obter uma recuperação mais sólida, mais consistente. Mas, os 30 pontos percentuais foram neutralizados pela alta do dólar”, argumenta José Luiz Gandini, presidente da entidade.

Entre as associadas à Abeifa, que também têm produção nacional, BMW, CAOA Chery, Land Rover e Suzuki fecharam o ano com 23.699 unidades emplacadas, em alta de 29% em relação a 2017. O total vendido pelas marcas somou 61.281 unidades, representando participação de 2,48% nos volumes gerais do setor, que foi superior a 2,470 milhões de veículos.

Para 2019, a Abeifa estima emplacar 50 mil unidades, crescimento de 33% sobre o ano passado. “A primeira projeção pode parecer otimista demais, diante das estimativas já anunciadas pela indústria e pelo setor de distribuição, na casa de 11%. Em nosso caso, porém, o crescimento é maior por conta da demanda reprimida de 2018, ano em que o dólar flutuou mais próximo aos R$ 3,90”, argumenta Gandini.

 

« Voltar