Varejistas do vestuário manifestam otimismo

Comunidades

11 de janeiro de 2018 às 12:15 hr
Texto
-a
+a

As Sondagens de Segmentos - Vestuário, levantamento realizado pela Fecomércio-RS com empresas optantes pelo Simples Nacional que operam com o comércio de vestuário, mostrou que para os próximos seis meses a confiança de que as vendas melhorem é a expectativa de 79% dos empresários entrevistados. Já as expectativas  quanto ao desempenho da economia é de expansão para 61,1%.
Na avaliação dos entrevistados, as vendas foram consideradas regulares por 52,7%, enquanto 29,6% as classificaram como ruins nos últimos seis meses. Para promover as vendas, a redução de preços dos artigos foi estratégia utilizada em 93% das lojas consultadas.

A crise econômica foi o maior entrave para o crescimento das vendas das empresas do setor de vestuário do Rio Grande do Sul nos últimos seis meses, de acordo com 73,8% dos entrevistados. Com 61% e 21%, respectivamente, a carga tributária e a falta de capital de giro também apareceram como fatores limitantes à expansão da atividade. Apesar das dificuldades, em 84,4% dos estabelecimentos o número de colaboradores foi mantido. Apenas 12,7% dos lojistas reduziram a força de trabalho. Entre as entrevistadas,  95,3% têm cinco ou menos funcionários.
 

Maioria dos produtos vendidos é gaúcha

 

A avaliação da situação financeira das empresas é feita principalmente uma vez por mês, frequência de 72,7% dos estabelecimentos consultados na Sondagem. Essa prática permitiu a 92,1% das empresas formular estratégias para alcançar as metas propostas ao longo do ano. Em 71,4% dos negócios existe um controle informatizado de estoques e fluxo de vendas e em 84,2% o mix de produtos é renovado constantemente de acordo com as tendências de consumo.

Em relação aos fornecedores dessas empresas, 86% citaram que adquirem mercadorias no próprio estado. Do total de entrevistados, 16,6% afirmaram que as compras são realizadas exclusivamente com fornecedores estaduais. A totalidade de compras de itens de fora do estado é opção para 14% das empresas entrevistadas.
O uso das redes sociais como ferramenta de promoção do negócio é realidade para 85,7% das lojas – sendo que 85,7% das que utilizam a internet estão em redes como o Facebook, WhatsApp  e Instragram. Apenas 13,5% dos lojistas não têm nenhum tipo de presença online. Em 26,8% dos estabelecimentos mais de 50% do faturamento está vinculado a operações realizadas com cartões de crédito e débito – 22,9% não souberam informar a participação de cartões no percentual de vendas.

 

« Voltar