Política

UBSs: Vereadores denunciam proibição de acesso

Bueno levantou a polêmica sobre a proibição do Executivo
22 de maio de 2019 às 11:21
Foto: Gabriela Bento Alves, Divulgação

O pedetista Rafael Bueno denunciou, na tribuna da Câmara, na sessão desta terça-feira, determinação do Executivo para que os vereadores não entrem mais nas unidades básicas de saúde (UBSs) para fiscalizar a prestação do serviço público. “Vereador Fiuza [Elisandro], líder de governo, teve uma reunião há duas semanas com gerentes das UBSs, em que o secretário Júlio [Freitas] ordenou que os vereadores estavam proibidos de adentrar nas UBSs e fiscalizar as precárias situações. Tem gravação, vereador, se o senhor não acredita. E que não tem óleo de peroba na cara, porque ele fala a verdade, o vereador Adiló pode falar que foi proibido de entrar numa UBS. A vereadora Gladis também”, revelou. A denúncia do pedetista motivou várias críticas da oposição.

Adiló Didomenico/PTB confirmou a denúncia. “Ontem [segunda-feira], eu quis visitar a UBS do São Vicente e a chefe do setor disse: temos que ligar lá e pedir autorização. Ligou e disse: o senhor já sabe qual é a resposta, negada. Não está permitido, disse ele”, afirmou Adiló.

Gladis Frizzo também teve a mesma informação. “Estava em uma reunião mensal da saúde local, na UBS do Planalto Rio Branco, quando a coordenadora nos disse que havia problemas no consultório dentário, tanto de esgoto, quanto o mau cheiro. Então, eu e o Paulo, meu assessor, pedimos licença para dar uma olhada. Aí ela [coordenadora da UBS] disse: infelizmente, recebemos ordem, por escrito, por e-mail, que não podemos deixar nenhum vereador entrar e muito menos fotografar. Não quis ser indelicada com ela, disse que iríamos tomar as providências e que ela nos enviasse uma cópia desta determinação que proíbe os vereadores de entrar”, contou.

Felipe Gremelmaier/MDB disse que a atitude do Executivo não é nenhuma surpresa. “Se não tivesse escutado, não teria acreditado, o secretário da Saúde definir o movimento da comunidade da Zona Norte como político. Trancaram a entrada da UBS Santa Fé por 20 minutos. Quem faz o movimento político contra a saúde das pessoas é essa administração. Então, eles que comecem a rever os conceitos e parem de mentir essa desonestidade intelectual, que é norma dentro do governo”, criticou.