Triste realidade: Brasil supera a taxa de 30 homicídios por 100 mil habitantes

Polícia

06 de junho de 2018 às 12:15 hr
Texto
-a
+a

O Brasil atingiu, pela primeira vez em sua história, o patamar de 30 homicídios por 100 mil habitantes. A taxa de 30,3 corresponde a 62.517 registros em 2016, 30 vezes o observado na Europa no mesmo ano, e revela a premência de ações efetivas por parte das autoridades públicas para reverter o aumento da violência. É o que aponta o Atlas da Violência 2018, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta terça (5).

Entre 2006 e 2016, 553 mil pessoas perderam suas vidas devido à violência intencional no Brasil. Em 2003, o índice de mortes por armas de fogo era de 71,1%, o mesmo registrado em 2016.

A evolução das taxas de homicídios foi bastante heterogênea entre os estados, no período de 2006 e 2016, variando desde uma redução de 46,7% em São Paulo a um aumento de 256,9% no Rio Grande do Norte. Sergipe tem a maior taxa do país: 64,7 mortes a cada 100 mil habitantes.

Homens com idades entre 15 e 19 anos representam 56,5% das vítimas. De todas as pessoas assassinadas no Brasil em 2016, 71,5% eram pretas ou pardas. A pesquisa observa um aumento de 6,4% nos assassinatos de mulheres no Brasil entre 2006 e 2016. Ainda foram registrados 49.497 casos de estupro, conforme informações do 11º Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

No Rio Grande do Sul, a taxa de homicídios, de 2006 a 2016, passou de 18,1 para 28,6. Em números absolutos, de 1.983 para 3.225, alta de 62%. Os feminicídios aumentaram 90%: de 162 para 308. E o número de estupros mais que dobrou: de 1.928 para 4.144. O estado tem o 4º maior número de estupros do país, atrás de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.

 

« Voltar