Sindiserv reivindicará aumento real e isonomia

Política

11 de janeiro de 2019 às 08:30 hr
Texto
-a
+a

A visita da direção do Sindicato dos Servidores Municipais de Caxias do Sul (Sindiserv) ao novo presidente da Câmara de Vereadores, Flavio Cassina/PTB, na tarde desta quarta-feira (9), foi além do caráter institucional. A delegação sindical foi comandada pela presidente, Silvana Piroli, e integrada pelo vice-presidente, Rui Miguel da Silva; secretário-geral, Valderes Leite; e diretor de patrimônio, Eden Pires.

Os dirigentes foram reafirmar os laços de integração entre o Sindiserv e o Legislativo. “A Câmara de Vereadores é fundamental na defesa dos interesses dos servidores públicos. É prerrogativa do Executivo enviar os projetos relacionados ao funcionalismo para serem analisados e votados pelos vereadores. Por isso, precisamos estar afinados com o Legislativo no sentido de buscarmos o apoio necessário às nossas demandas e reivindicações”, salientou Silvana.

 

CAMPANHA SALARIAL

 

Na conversa informal, Cassina e os representantes sindicais chegaram a falar sobre assuntos que envolvem a Farmácia do Ipam (Instituto de Previdência e Assistência Municipal) e a organização da Festa da Uva. Entretanto, um tema que não esteve na pauta deverá movimentar a Casa logo depois da abertura do ano legislativo, em fevereiro. Um mês depois, o Sindiserv começará a discutir as bases da campanha salarial deste ano.

De acordo com a presidente Silvana Piroli, a discussão das bases da proposta a ser encaminhada ao Executivo ocorrerá em março. Isso porque, até fevereiro, algumas categorias de servidores públicos se manterão em férias, como o magistério, que representa a maior fatia do quadro funcional do Município.

Para este ano, a intenção do Sindiserv é persistir em reivindicações remanescentes de anos anteriores. Uma delas é a valorização dos salários dos servidores com aumento real, pois há vários anos somente é aplicada a trimestralidade. Nos dois últimos anos, o sindicato reivindicou 1,5% de aumento real aos servidores. “Embora seja um bom critério de reajuste, não proporciona uma valorização ao nível salarial dos servidores. Por isso, vamos lutar pela conquista de um índice de aumento real”, frisou Silvana.

Outro quesito, bandeira de luta da entidade há alguns anos, é a correção das distorções da lei municipal nº 409/2012. “Não é justo que servidores que desempenham a mesma função tenham salários diferenciados”, afirmou.

Assim como em anos anteriores, as reivindicações dos servidores públicos municipais deverão pautar o debate na Câmara de Vereadores. Conforme Silvana, uma instituição fundamental ao processo democrático de discussão da proposta que a entidade encaminhará ao prefeito Daniel Guerra/PRB.

 

Trimestralidade será de 0,13% em janeiro

 

O funcionalismo público municipal terá 0,13% de reajuste salarial na folha de pagamento de janeiro. O índice se refere à trimestralidade apurada entre os meses de outubro a dezembro do ano passado. O decreto foi publicado no Diário Oficial Eletrônico nesta quarta-feira (9). Conforme legislação em vigor, o percentual corresponde à média dos índices inflacionários IGP-M/FGV, IPC/FIPE e IPC/IEPE.

O cálculo é feito por meio das regras da lei nº 8.294/2018. A legislação foi aprovada no ano passado, na Câmara de Vereadores, permitindo que o Executivo decrete o índice sem tramitação pelo parlamento a cada concessão.

 

« Voltar