Primeiro desafio em busca da taça

Esportes

09 de novembro de 2018 às 08:22 hr
Texto
-a
+a

Planejamento de incluir crianças e adolescentes em projetos esportivos, como parte de ações sociais e de cidadania, pode ser repetitivo o clichê, mas é investimento para a vida, com muitas exemplificações de que é o caminho correto este investimento.

Com resultados concretos desta projeção dentro e fora de campo, o Gramadense vem há mais de uma década efetivando estes investimentos vislumbrando em breve a profissionalização do clube e a concretização da Arena Gramadense. E como parte deste projeto, as categorias de base vem participando de diversas competições e como consequência da ação social, resultados dentro de campo estão aparecendo.

E uma destas constatações será amanhã (10), às 9h30, com os meninos da categoria sub-11 do Gramadense entrar em campo, no município de Farroupilha no estádio das Castanheiras contra a equipe do Brasil, no primeiro jogo da final da Lifesa Série Prata.

Com todo zelo para deixar a meninada calma, sem pressão pela decisão, o técnico Lucas Roldo, mantém a cautela sobre a final e prefere celebrar a evolução técnica dos garotos desde o surgimento desta categoria no clube, pois anteriormente era apenas futsal e vislumbra para o futuro com uma categoria que pode render positivamente.

“A categoria com passar dos anos vem evoluindo, fomos melhorando aos poucos a técnica e não colocaremos pressão por resultados, claro que é importante ser campeão para eles se motivarem, mas tudo tem seu tempo, procuramos deixar eles tranquilos, tempos pouco período de treinamentos, mas estamos com bons resultados dentro de fora de campo, pois as famílias vêm participando e incentivando”, explicou.

Mandatário do clube, o presidente Luia Barbacovi cita também que uma expectativa de vitória e título traz alegria aos jovens que ainda estão em formação, mas coloca como fator mais importante o aprendizado que os meninos estão vivenciando em participar do Gramadense nos treinamentos e poder atuar em competições.

“Este decisão contra o Brasil [Farroupilha] sempre nos trás expectativas de vitória, fazer com que estes jovens estejam felizes, mas acima de tudo alegria de vencer, pois o Gramadense pretende sempre fazer com que os jovens participem de jogos para que aprendam a vencer e perder, é nesta idade que o jovem se disciplina e respeita o adversário, o colega é nesta idade que ele tem a formação de seu caráter”, comentou.

Luia mostrou satisfação com o que vem sendo idealizado no clube nas categorias de base com mais de 400 jovens e cita da referência no âmbito do futebol e fora das quatro linhas.

“Estamos fazendo este trabalho há vários anos estaremos neste jogo bem representado, mas o mais importante que todos vão sair deste confronto no caminho certo e em pouco tempo pretendemos ser referência no futebol e na formação de crianças e jovens, torcendo acima de tudo que nosso clube seja destacado”, finalizou.

Outros desafios

Antes do desafio em Farroupilha, o Gramadense terá outra frente de competitividade hoje (9), a partir das 15h, em Porto Alegre. No estádio Passo D’Areia, as categorias juvenil e os nascidos em 2003 e 2006, entrarão em campo contra a forte equipe do São José, pela última rodada da primeira fase da Lifesa com a classificação praticamente assegurada para a fase de mata-mata nas três categorias.

Lucas Roldo, comandante técnico da garotada sabe das dificuldades que terão contra um adversário tradicional, mas pontua que independente contra quem vão atuar o pensamento é aprimorar o desenvolvimento da equipe

“Vamos para estes últimos jogos da primeira fase, já pensando e se preparando para os matas, mas mesmo contra um adversário tradicional vamos trabalhar pensando no desenvolvimento do nosso time, sempre da mesma forma independente do adversário e procurando sempre melhorar para desenvolver melhor os nossos meninos”, explicou.

FOTO: Gramadense/Divulgação

« Voltar