Piquenique no domingo para ajudar o próximo

Cidades

12 de março de 2018 às 12:50 hr
Texto
-a
+a

O domingo (11) será de ação beneficente nos Pavilhões da Festa da Uva. Das 14 às 17h, o Projeto Mão Amiga promove a 6ª edição do Piquenique Solidário, com uma tarde de gastronomia e muita integração. Conforme o presidente do projeto, Luís Eduardo Zanette, foram oferecidos mil ingressos, ao custo de R$ 30. Eles ainda podem ser adquiridos na sede do Mão Amiga, na Rua General Sampaio, 161, Bairro Rio Branco.

Conforme Zanette, toda a renda arrecadada tem um único destino: o Projeto Mão Amiga, que encaminha para escolas particulares da Educação Infantil crianças em vulnerabilidade social, de zero a quatro anos, que não conseguem vaga no ensino gratuito. 

O projeto arca com metade do valor da mensalidade e o restante é de responsabilidade dos pais, que são direcionados ao mercado de trabalho e incentivados a manterem-se em atividade para poder usufruir do benefício. “Além de mantermos cerca de 400 crianças entre zero e quatro anos por pelo menos 12 meses nas escolinhas, iremos ofertar mais nove vagas com o montante arrecadado com o Piquenique. Por um ano, contribuímos para mudar a realidade dessas famílias. Após isso, todos são reavaliados para ver se continuam dentro dos critérios estabelecidos pelo projeto. Do contrário novas crianças preenchem as vagas”, explicou.

De acordo com Zanette, nas edições passadas, aproximadamente 2,5 mil pessoas circularam pelo espaço. Público que ele espera que se repita este ano. Embora o ingresso seja individual, é permitido e até sugerido que levem amigos e parentes. “Também oportuniza um grande encontro envolvendo famílias, gente que se conhece e outros que se tornam amigos a partir dali. Por isso, queremos que mais e mais pessoas se engajem nessa linda ação de solidariedade e amor”, convidou.

 

Crise provoca queda nas doações

 

Segundo Luís Eduardo Zanette, nos dois último anos, o Mão Amiga registra baixa de 30% nas doações, o que torna eventos, como o Piquenique, extremamente importantes para manutenção das oito casas de atendimento a idosos, moradores de rua, dependentes químicos e para as vagas da Educação Infantil. “Tudo isso custa cerca de R$ 100 mil mensais. E com a queda das doações, estamos sempre em déficit. Mesmo assim, nossa meta é de até 2022 zerar a fila de crianças de zero a quatro anos que estão fora da escola. Entretanto, elas devem atender aos nossos critérios”, frisou. Para obter uma das vagas oferecidas, as famílias são entrevistadas por assistentes sociais que avaliam a renda da família,vulnerabilidade, pai ou mãe devem estar trabalhando e outros requisitos que precisam ser comprovados com documentação.

A edição deste ano tem como madrinha a primeira-dama de Caxias do Sul, Andrea Marchetto Guerra, e contará com presença das candidatas ao título de rainha da Festa da Uva 2019. Em caso de chuva, o evento será transferido para o Restaurante Tulipa, também junto aos Pavilhões. Durante o evento, os participantes receberão um kit de piquenique, com cardápio elaborado pela Express, empresa especializada em alimentação coletiva.

 

 

« Voltar