Para Beltrão, Júlio Freitas é quem governa Caxias do Sul

Política

09 de novembro de 2018 às 13:05 hr
Texto
-a
+a

As declarações prestadas à Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Câmara de Vereadores pelo secretário municipal em exercício Júlio César Freitas da Rosa, na quarta-feira (7), repercutiram de forma negativa na sessão desta quinta (8). O primeiro a se pronunciar foi o integrante da comissão, vereador Rodrigo Beltrão/PT.

A primeira crítica foi com relação ao horário marcado por Freitas para ir ao Legislativo, que escolheu uma hora diversa da sessão plenária para qual foi convocado. Em convocação anterior, como chefe de Gabinete, ele chegou no final da sessão, segundo o petista, “imaginando e contabilizando que já teríamos saído e seria uma sessão esvaziada”.

Beltrão disse ainda que Júlio Freitas, e não o prefeito Daniel Guerra/PRB, é quem governa o Município. “O prefeito passa a ser uma figura pública que ganhou uma eleição, e o exercício efetivo da Prefeitura vai sendo revisado ora pela Procuradoria Geral do Município, ora pelo secretário Júlio, que são os que de fato governam Caxias do Sul, alheios a qualquer movimentação ou de participação popular”, afirmou.

 

SEM IMPORTÂNCIA

 

Ainda, segundo Rodrigo Beltrão, o Executivo menospreza os profissionais de saúde pública e o Conselho Municipal. Ele ficou indignado com o fato de o secretário ter dito, em tom de comemoração, que somente 22 médicos se exoneraram do Postão 24H. “Foi uma comemoração efusiva, uma impostação da voz naquela ocasião, para demonstrar como um fato grandioso. Como se fosse a grande conquista deste governo que 22 médicos se exoneraram. Comemorou e não ficou vermelho, porque eu estava do lado dele, e vi”, enfatizou.

Beltrão ainda avaliou a declaração de Freitas com relação ao Conselho Municipal de Saúde. Conforme o parlamentar, o governo desrespeita as atribuições do colegiado. “Inclusive, deixou claro que, devido ao processo eleitoral do Conselho ter constituído uma maioria que não come na mão do prefeito, que não é refém do governo, aí o Conselho não presta. Chegou ao ponto de dizer que, como o Conselho tem uma maioria de oposição, não tem que ser ouvido”, concluiu.

 

O QUE DISSERAM...

 

RENATO OLIVEIRA/PCdoB – “O que são 22 médicos que pediram demissão? Ah, 22 médicos não fazem falta. E, depois, quando terminar a reforma do Postão, vamos avaliar o que fazer. Vai ser uma UPA, vai ser funcionário de carreira, vai ser funcionário terceirizado. De que forma vai ser? Com parceria? Na verdade, como já foi feito da outra vez, não disse nada sobre esse assunto, nada mesmo”.

 

RAFAEL BUENO/PDT – “O mandalete do prefeito, o quinto secretário de Saúde, fala em fake news. Se tem fake news é porque não se tem diálogo, não tem transparência. Tudo é fake news nessa cidade? É fake news 35.720 pessoas aguardando consultas com especialistas. Então, vereador Francisco Guerra, vocês que gostam de fazer bastante marketing, dizendo que vão ter mutirões... Mutirão para 300 pessoas é uma consulta. Tem que fazer um mutirão para cinco mil, seis mil pessoas”.

 

CHICO GUERRA/PRB – “Estamos tentando melhorar todos os pontos na saúde. Estão sendo reforçadas as UBS. Vai ser melhorado o antigo PA, então que vai ser transformado numa UPA. E, no momento em que nós entregamos também a gestão, acredito que depois alguém possa, se eu não estiver aqui, falar sobre o que os números vão dizer, se realmente diminuiu ou não. Deixa encerrar os outros dois anos que a gente tem pela frente”.

 

« Voltar