Paim rebate tese de Maia e Padilha

Política

12 de setembro de 2017 às 13:15 hr
Texto
-a
+a

O senador caxiense Paulo Paim (PT) e presidente da CPI da Previdênciarebateu as afirmações do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ) e o do ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha (PMDB) de que os trabalhos não serão concluídos. Paim declarou que a CPI vai concluir os trabalhos em outubro e mostrará ao Brasil que essa reforma é desnecessária. “Eles querem mandar a conta mais uma vez para o trabalhador do campo e da cidade pagar. Precisamos deixar bem claro que o problema da Previdência é de gestão. O Brasil está mobilizado e essa reforma não pode passar”, afirmou. .

Paim ressalta que se os grandes devedores fossem cobrados entraria R$ 956 bilhões de reais nos cofres da Previdência. Já com débitos de apropriação indébita, seriam mais R$ 30 bilhões por ano.“E ainda se parassem de fazer o Refis, perdoando multas e juros, com certeza teríamos mais alguns bilhões de reais arrecadados para a Previdência”, afirmou.

Nesta quinta-feira (14), às 9h, uma audiência pública vai debater o tema com especialistas da área previdenciária, juízes, procuradores, promotores e auditores fiscais, na Assembleia Legislativa de São Paulo.  

« Voltar