MOBILIZAÇÃO

Cidades

13 de março de 2018 às 13:00 hr
Texto
-a
+a

Para tentar resolver o atraso no pagamento do salário das merendeiras que atuam na rede municipal de ensino, o Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza e Conservação de Caxias do Sul (Sindilimp) realizará às 19h de quarta-feira (14) assembleia no Sindicato dos Metalúrgicos. Conforme Henrique Silva, presidente do Sindilimp, desde 2015 a entidade enfrenta problemas com a empresa prestadora de serviço, como o atraso de pagamento de salários, vale-transporte, refeição e Fundo de Garantia, dentre outras questões. “Desde o início do contrato com a Prefeitura a FA Recursos Humanos nos obriga a entrar na Justiça para garantir o pagamento dos funcionários. Ela nunca cumpre em dia com as suas obrigações trabalhistas”, denunciou.

Na assembleia serão debatidos meios de fazer com que a empresa cumpra com as suas obrigações. Até mesmo, a desvinculação com o Município. “Precisamos assegurar que essas 176 trabalhadoras não sejam lesadas. Conforme o que for deliberado, poderemos entrar em greve por tempo indeterminado a partir de quinta-feira (15)”, afirmou.

A diretora financeira da Secretaria Municipal de Educação, Danúbia Sartor, confirma que a relação do Município com a FA Recursos Humanos nunca foi tranquila. “Mesmo assim, sempre cumprimos com a nossa obrigação, fazendo os repasses da forma correta. O que nos chegou foi que a empresa usou a verba de Caxias para arcar com outros contratos”, salientou.

Danúbia informou que o Município notificou a empresa várias vezes e encaminhou nova licitação. “Em uma dessas notificações, a FA foi impedida de licitar com o Município. No entanto, por meio de liminar judicial conseguiu o direito de continuar. Infelizmente, não podemos simplesmente rescindir o contrato. O Sindilimp entrou com ação para que o valor de R$ 225 mil não fosse repassado à empresa, e ficasse retido para o pagamento das funcionárias”, ressaltou.

 

« Voltar