Impeachment: Legislativo aprova pedido de informações

Política

13 de setembro de 2017 às 12:35 hr
Texto
-a
+a

Os vereadores aprovaram, por unanimidade, ontem, o requerimento, de autoria coletiva, que pede informações ao Executivo sobre supostas infrações político-administrativas e crime de responsabilidade por parte do prefeito de Caxias do Sul, Daniel Guerra (PRB). A denúncia foi feita pelo bacharel em Direito, João Manganelli Neto.

Apesar de terem votado contra a admissibilidade da denúncia, a bancada do PDT e um grupo de vereadores decidiram solicitar que o prefeito esclareça os 57 argumentos da denúncia, que pedia o impeachment do chefe do Executivo. Assinaram o requerimento, os vereadores Gustavo Toigo, Rafael Bueno, Ricardo Daneluze VelocinoUez (PDT); AdilóDidomenico, Alceu Thomée Flávio Cassina (PTB); Edi Carlos Pereira de Souza e Elói Frizzo (PSB) e Renato Oliveira (PCdoB).

 

URGÊNCIA

Houve pedido de regime de urgência pelos propositores. Eles alegaram que o requerimento precisaria ser votado com rapidez para que o assunto não fosse perdesse a factualidade. A justificativa foi defendida por um dos autores, o vereador Elói Frizzo (PSB). “Nós já havíamos sinalizado, no dia da votação da denúncia que iríamos pedir explicações ao Executivo. Solicitamos o regime de urgência porque acreditamos que a explicação sobre cada item da denúncia precisa ser dada pelo prefeito o mais rápido possível à sociedade”, argumentou.

Por sua vez, o vereador situacionista Renato Nunes (PR) tentou barrar o regime de urgência, manifestando-se contra o pedido dos autores. “O meu jargão aquele: ‘É uma palhaçada’. E todos aqui concordaram que era uma palhaçada. Tanto é verdade que votaram pela não admissibilidade. Não, porque tem que ser agora, e tem que ser ligeiro, e tem que ser The Flash para responder aos 57 itens daquele pedidode impeachment do prefeito Daniel Guerra”, argumentou.

 

APROVADO

Mesmo com o discurso de Renato Nunes, o regime de urgência foi aprovado com os votos contrários dele, do líder de governo, Chico Guerra (PRB) e dos vereadores Arlindo Bandeira (PP) e Neri, O Carteiro (SD). Já na hora da votação, o pedido de informações foi aprovado por unanimidade. O Executivo tem 30 dias de prazo para responder, segundo a Lei Orgânica do Município.

« Voltar