Fedoca propõe aumentar o número de CCs

Política

12 de junho de 2018 às 17:44 hr
Texto
-a
+a

Em meio à dificuldade econômica que grande parte das prefeituras Brasil afora enfrentam, o prefeito João Alfredo Bertolucci (PDT) enviou à Câmara de Vereadores, na sexta-feira (8), um projeto de lei para reestruturar o quadro de pessoal da Autarquia Municipal de Turismo (Gramadotur), promovendo readequação no número de cargos concursados e em comissão.

O projeto encaminhado pelo chefe do Executivo propõe a criação de sete cargos efetivos e seis cargos comissionados (CCs). Fedoca também solicitou a exclusão de dois cargos efetivos e de quatro cargos comissionados. “Objetivará dar eficiência nos trabalhos desenvolvidos pela Autarquia de Turismo”, garantiu Fedoca na justificativa do projeto.

Atualmente, o gasto com pessoas, entre efetivos e CCs, é de R$ 1.978.924,87. Caso seja aprovado o projeto de lei 023/2018 encaminhado pelo prefeito, o impacto anual com servidores na Autarquia será de R$ 2.597.956,92, ou seja, um acréscimo de R$ 619.032,05, conforme cálculo feito pela Câmara de Vereadores.

Segundo o vereador Rafael Ronsoni (PP), com o gasto desenfreado do Executivo, Gramado terá suas finanças comprometidas para os próximos anos. “O prefeito não está preocupado com as finanças públicas. Não está tendo preocupação com o dinheiro público. Existe o projeto do Vale-Alimentação que já onera os cofres em mais de R$ 5 milhões e já tem outro projeto para gastar mais dinheiro”, disse o parlamentar.

O vereador ressalta ainda que durante a gestão de João Pedro Till na Gramadotur, os vereadores, o Executivo e o conselho da Autarquia debatiam antes de apresentar qualquer projeto. “O que estranha muito é a falta de diálogo. É necessário que a Autarquia explique qual a necessidade para fazer estas contratações, ou seja, qual a finalidade dos cargos”, questiona. “Estão fazendo tudo ao contrário daquilo que prometeram na campanha. Gramado chega ao topo de uma vergonha, pois estamos invertendo os papéis, ao invés de economizar estão cada vez gastando mais”, completa Ronsoni.

O projeto foi lido na Sessão da Câmara de ontem (11). Agora será encaminhada para a análise das Comissões.

RELEMBRE O QUE FOI PROMETIDO:

Durante o período eleitoral em 2016, em um comício realizado no bairro Piratini, Fedoca disse: “Acabaram tendo noção do que acontece com o serviço público municipal, onde o critério da competência e da aptidão e da idoneidade foi colocado de lado para dar lugar aos afilhados, aos parentes e aos companheiros. Isso constitui no escândalo que nós vamos prontamente terminar assim que assumirmos a Prefeitura. Nós não admitimos essa festança de cargos de confiança que invadiu a nossa cidade. Vamos pegar um por um daqueles que não merecem pertencer ao nobre serviço público, porque o serviço público é uma nobreza, serviço público só tem razão se nós tivermos um espírito público. Eu sempre digo: quando eu sou... quando eu ouço que determinado político é generoso e eu não posso deixar de perguntar, mas ele é generoso com o seu (político) dinheiro ou com o teu (contribuinte) dinheiro?”.

« Voltar