Estudantes criam horta vertical, cobertor para casal e meia que vira pantufa em Caxias

Cidades

09 de junho de 2016 às 20:00 hr
Texto
-a
+a

Iniciativa faz parte da 20ª edição do programa Miniempresa, realizado pelo Departamento de Jovens Empresários da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC Jovem)

Leonardo Portella
redacao@folhadecaxias.com.br
 

Vender ações para levantar dinheiro no investimento em um novo produto, realizar uma pesquisa de mercado para identificar o público-alvo, calcular tributos, além de definir estratégias de comercialização, fabricar e vender o produto. Ações comuns em grande parte das empresas e que desta vez estão fazendo parte da rotina de estudantes de 12 escolas públicas e privadas de Caxias do Sul, que participam até domingo (12) da 20ª edição do programa Miniempresa, no shopping San Pellegrino.

A iniciativa reúne alunos do 2º ano do Ensino Médio e foi desenvolvida nas escolas durante 15 semanas, segundo o presidente do Departamento de Jovens Empresários da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC Jovem), Roberto Menegassi. Cada uma das miniempresas contou com um presidente e quatro diretores, das áreas de Marketing, Produção, Finanças e Recursos Humanos, escolhidos pelos próprios estudantes. Nas decisões, os grupos receberam orientações de 48 voluntários da Associação Junior Achievement, parceira do projeto. “Estamos estimulando o empreendedorismo e formando pessoas capazes de fazer sucesso no mercado de trabalho daqui pra frente”, comenta Menegassi.

As miniempresas desta edição do programa comercializam produtos práticos, e muitos deles são novidades no mercado. Uma delas é a Lar+Verde, miniempresa formada por 22 estudantes da Escola Estadual de Ensino Médio Santa Catarina, que comercializa uma horta vertical sustentável. O produto possui dois formatos: em pallets de madeira e outro formado com canos de PVC personalizados com TNT e com entrada para até quatro mudas de plantas. Cada produto exigiu um plano de negócios diferente, o que multiplicou o trabalho dos estudantes. “Nosso produto é especial para pessoas que moram em apartamento e querem cultivar a sua horta em um espaço menor. Tanto que o plano de negócios da empresa definiu que o público-alvo do nosso produto são mulheres e que moram em prédios”, contou a estudante Niala Manfro, de 17 anos.

A criação da horta sustentável foi a terceira ideia do grupo de estudantes do Santa Catarina. Antes, os integrantes da miniempresa pensaram em elaborar almofadas de pescoço para viagem e outro produto com cases para celular, mas que não foram avançadas já que outras empresas de estudantes do projeto estavam em processo de criação. A partir da definição da horta vertical - escolhida por ser um produto sustentável - os estudantes tiveram 10 encontros para realizar o plano de negócios, fabricar e comercializar o produto, vendido entre R$ 20 e 60 - dependendo o tamanho. De brinde, ainda levam uma mudinha para estrear o produto em casa. “Está sendo uma experiência muito legal, as pessoas vem até a nossa empresa, acham o produto legal e muitos levam para casa”, afirma a estudante Karina Gago, de 16 anos.

Pantufas e cobertores – Além da horta vertical, há opções para espantar o frio e arranchar uma alternativa de presente para o Dia dos Namorados. É o caso da miniempresa Softcoat, criada por 13 estudantes da Escola Estadual Professor Apolinário Alves dos Santos. O grupo idealizou um casaco de casal, feito de soft, que foi pensado em ser uma novidade para os namorados assistirem a um filme juntos e ainda se aquecer nos dias mais frios. Segundo as estudantes Vitoria da Silva e Julia Rodrigues, de 17 e 16 anos, os estudantes desenvolveram diferentes estampas para o cobertor e a finalização é feita em uma costureira, que deixa a peça pronta para ser vendida. “Aprendemos bastante com a criação da empresa, no planejamento e na hora de vender. É o primeiro passo para iniciar uma carreira no mercado de trabalho”, conta Julia. O cobertor é vendido a R$ 75.

Outra opção para o frio foi criada pela Zoof Meias, miniempresa dos estudantes da escola Impulso, da rede Caminho do Saber. A meia é de soft, têm dois tamanhos unissex e vem acompanhada de um solado removível e antiderrapante, que a transforma em uma pantufa. “É um produto para quem gosta de andar de meia pela casa, já que o solado não deixará com que ela fique suja”, explica a estudante Laura Verza. Os 19 integrantes da miniempresa demoraram quase 10 semanas para elaborar o produto, desde a ideia até a fabricação e comercialização da meia, que é vendida a R$ 25.

As miniempresas podem ser visitadas nesta sexta (10), sábado (11) e domingo (12), das 10h às 22h. Há também outras miniempresas que comercializam aventais criativos, travesseiro com cobertor, case de celular para cartões e fone de ouvido, aromatizador de ambientes, gola que pode ser usada como touca, caixa com base interna de papel forrada com tecido e com organizadores internos, almofadas de pescoço pra viagem e que podem se tornar almofadas decorativas pra casa, camisetas customizadas e suporte multifuncional para celular.

 

Fotos: Paulo Pasa

« Voltar