Cidades

EDUCAÇÃO: Muro cede e escola é interditada

Prefeitura indica famílias invasoras como responsáveis pelo agravamento da situação
17 de abril de 2019 às 13:01
Foto: Foto: Gláucia Helena Gomes, Divulgação

As aulas na Escola Municipal Atiliano Pinguelo, no Bairro Diamantino, foram suspensas na manhã desta terça-feira (16). No decorrer da semana, a Secretaria Municipal da Educação (Smed) deve definir o espaço para onde os 142 estudantes, professores, funcionários e equipe diretiva serão transferidos. A pasta, ainda, garantirá o serviço de transporte para esses estudantes. Até lá, a estrutura permanecerá interditada e as aulas serão recuperadas posteriormente. A suspensão foi uma medida de segurança adotada pela direção da instituição em virtude da situação do muro de contenção do prédio, que apresentou movimentação após o temporal do último fim de semana.

Em atendimento à escola, ainda pela manhã, a equipe técnica da Smed encaminhou pedido de sondagem do terreno para a Secretaria Municipal do Planejamento, em caráter de urgência, a fim de verificar a capacidade de suporte do solo e o nível de água do terreno. A análise também possibilita determinar a carga que o novo muro poderá suportar. Com o resultado da sondagem, a equipe da Smed poderá elaborar o projeto de reforma.

Em maio de 2017, após a constatação da movimentação das contenções, a Smed interditou parte do pátio da instituição. O dano é resultado da sobrecarga do aterro ocasionada por invasão da área. Segundo a secretaria, as casas construídas de forma irregular no terreno também causaram a obstrução do sistema de drenagem de águas superficiais, o que aumentou a força exercida sobre o muro, sobretudo em dias de maior precipitação de chuva. A Prefeitura reitera que as cinco famílias vêm desrespeitando as notificações contra a ocupação da área e construção de edificações na região próxima à ruptura do muro. A reforma depende da realocação dessas famílias, que deverá ser feita de forma emergencial pela Secretaria da Habitação até o final da semana. Nesta quarta-feira (17), as secretarias envolvidas se reunirão para averiguar as melhores soluções para o caso.





Publicidade