CPERS se mobiliza para não deixar a greve perder força

24 de outubro de 2017 às 12:30 hr
Texto
-a
+a

Em protesto contra o remanejamento proposto pelo governo do Estado, de alunos que cursam o 9º ano do ensino fundamental e o 3º ano do ensino médio em escolas em greve para outras que não estejam, o Sindicato dos Professores do Rio Grande do Sul (CPERS) bloqueou a entrada de várias Coordenadorias Regionais de Educação (CRE), entre elas, a de Caxias do Sul. “Repudiamos também as ameaças de demissão feitas pelo governo para aqueles que continuam lutando, simplesmente pelos seus direitos, nada mais”, destacou o diretor geral CPERS – Núcleo 1 – Caxias do Sul, David Orsi Carnizzela.

Na tarde desta segunda, o CPERS realizou uma reunião para os seus associados esclarecendo todas as questões referentes à greve. “O governo vende a desinformação para nos ameaçar e semear o medo e a discórdia na categoria. Quer enfraquecer o movimento, tentando manipular a comunidade escolar para que cada um se jogue contra o outro, quando todos estamos do mesmo lado, pela educação”, afirmou.

Carnizzela salientou que se dependesse da categoria, esse impasse sem data para terminar teria se encerrado ainda na primeira semana de paralisação. “Infelizmente, o governo não dialoga, não apresenta propostas para que a gente saia da greve com algum ganho real. Sabemos que existem transtornos, mas o governo tem que contribuir para que acabe a greve”. Conforme o sindicalista, mais de 500 professores continuam em greve na região, e a tendência é que o número de escolas paralisadas de forma integral diminua, mas não o número de grevistas.

 

Primeiro dia do remanejamento é prejudicado

 

A titular da 4ª CRE, Janice Terezinha Zambarda Moraes, criticou o fechamento da coordenadoria durante o dia de ontem pelo CPERS. “O fato de uma categoria reivindicar seus direitos não lhe dá o direito de impedir que outras pessoas trabalhem. Em virtude disso, realizamos o expediente em diversos locais, como escolas ou em casa, para não deixarmos de cumprir com a nossa demanda”, frisou.

Esse desdobramento por parte da 4ª CRE foi também para atender pais que desejam remanejar seus filhos para educandários que não estejam em greve. Conforme a comissão responsável para atender esse público, devido ao fechamento da coordenadoria, com funcionários espalhados por vários locais, é complicado informar quantos remanejamentos foram efetivados. A estimativa é que toda a área de abrangência da 4ª CRE exista perto de mil vagas para o 9º ano do ensino fundamental, sendo 290 em Caxias. No terceiro ano são cerca 1.400 em toda a região e 235 em Caxias.

 

« Voltar
Notícias relacionadas
Grêmio apresenta Cícero