Economia

Atividade eletroeletrônica começa a reavaliar planos

Ghelen: Soprano mantém projeção inicial
24 de maio de 2019 às 12:37
Foto: Luiz Erbes, Divulgação

Após crescer 7% no ano passado sobre 2017, quando tinha expectativa inicial de 12%, a indústria eletroeletrônica brasileira projeta alta de 8% na receita de 2019, devendo chegar a R$ 157 bilhões. No entanto, industriais já sinalizam que este indicador também não deve ser alcançado. De acordo com Paulo Ghelen, CEO da Soprano, de Farroupilha, em dezembro do ano passado pesquisa da Associação Brasileira da Indústria Eletroeletrônica apontava que 85% dos associados acreditavam em crescimento para 2019; 13% que os resultados se manteriam; e 2% projetavam queda. Em março, os índices se alteraram: 78% estimam crescer; 16% apostam na estabilidade; e 6% indicam queda.

A Soprano espera crescer 18% no segmento eletroeletrônico. No primeiro quadrimestre, consolidou elevação de 2% acima do orçado em receita e 16,5% no resultado. Ghelen citou, no entanto, que a alta performance se localizou no primeiro bimestre. Em março, o resultado ficou alinhado com o orçado e, em abril, houve leve recuo. “Mesmo com esta estagnação, seguimos apostando em 18%”, afirmou.

O executivo destacou que, dentre as ações estratégicas, estão políticas mais efetivas voltadas ao varejo e alianças com clientes e fornecedores. Ainda investimentos em lançamentos e em soluções integradas de produtos e serviços. Em maio, a empresa ingressa no segmento de interruptores e tomadas e, em junho, na geração de energia fotovoltaica, oferecendo projeto, produto, instalação, manutenção e financiamento.