Alceu diz que não prometeu obras

Política

09 de fevereiro de 2018 às 07:40 hr
Texto
-a
+a

Alceu Barbosa Velho (PDT) rebateu as críticas e declarações do sucessor dele, Daniel Guerra (PRB), proferidas durante entrevista coletiva à imprensa, na manhã desta quarta-feira (07). Ao comentar sobre obras do Orçamento Comunitário, agora transformado em Gabinete Itinerante, Guerra reiterou que não se compromete com promessas de obras feitas pelo antecessor e que ele teria deixado um passivo de R$ 67 milhões.

Disse o atual prefeito: “Quando assumimos no Gabinete Itinerante que faremos uma obra, ela precisa de recursos e ele precisa vir de algum lugar. Porque se não, se continuaria iludindo, enganando e mentindo para a população, criando expectativa de coisa que nunca foi realizado e apenas enrolado, a exemplo do que ficaram R$ 67 milhões de enganação e enrolação com o Orçamento Comunitário. Nós não temos nenhum compromisso de passivo de obras com a comunidade. Quem o fez, que cumpra e que responda”, concluiu.

 

Obras são da comunidade

 

Alceu respondeu ontem. “Eu não prometi nada. As obras foram elencadas pelas comunidades. Na medida do possível e conforme os recursos disponíveis, íamos executando as prioridades de cada comunidade. No meu governo, eu Eu fiz obras do Pepe Vargas, que foi quem começou o OC, há mais de 20 anos”, explicou. O ex-prefeito revelou que os R$ 67 milhões alegados por Guerra como passivo das obras do OC são uma estimativa, mas não significa que as obras elencadas, necessariamente, teriam que ser executadas no ano seguinte.

Alceu também falou do projeto da perimetral sul-leste, que foi tema de crítica do vereador Renato Nunes (PR), ontem, na tribuna da Câmara. Conforme o pedetista, era uma das metas do programa de governo dele, mas não foi possível realizar, tendo em vista a dificuldade financeira. “O projeto ficou pronto. E só o atual governo arrumar dinheiro e fazer. Os projetos eu deixei todos prontos. Ordens de serviço assinadas e várias obras em andamento”, salientou.

 

Gabinete itinerante é ilusão

 

O ex-mandatário também comentou sobre a mudança de estratégia na consulta popular ao orçamento do Município.  Segundo ele, o gestor não pode decidir em nome da comunidade e à sua livre escolha. Alceu afirma que, sorrateiramente, Guerra deu um jeito de mudar as regras com o jogo em andamento. Fato que não está de acordo com a democracia. Para Alceu, o chefe do Executivo desconsiderou a vontade da população.

“Governos democráticos ouvem a população, elencam as prioridades e vão fazendo as obras conforme a disponibilidade de caixa. O Gabinete itinerante é uma piada. O prefeito continua iludinho e mentindo descaradamente para a população. Até hoje ainda não saiu do palanque”, opinou.

 

Prega, mas não faz

 

A contratação de parentes e amigos para ocupar cargos em comissão (CCs) também foi tema de avaliação de Alceu Barbosa Velho. Conforme ele, Daniel Guerra defende a legalidade, mas pratica nepotismo no Executivo.

Para o ex-prefeito, a postura seria considerada normal, caso Guerra não tivesse passado toda a campanha pregando a moralidade dos atos públicos. “Este é o problema maior. Ele dizia que era uma vergonha ter tantos CCs. Mas agora contratou parentes. É muito feio dizer uma coisa e fazer outra”, afirmou.

 

« Voltar