Adcointer expõe razões para a licitação de boxes da Ceasa

Política

11 de outubro de 2018 às 12:45 hr
Texto
-a
+a

O Legislativo caxiense participou, na tarde desta quarta (10), de reunião com um grupo de permissionários dos boxes de comércio de hortifrutigranjeiros da Ceasa Serra e com o comando da Administração de Consórcios Intermunicipais S/A (Adcointer). A reunião teve o objetivo de esclarecer dúvidas sobre o edital lançado pela Adcointer, que tem na presidência o Executivo caxiense e é mantenedora da Ceasa Serra, para a licitação e acerto de termo de permissão de uso dos espaços. A principal demanda é com o lance mínimo do certame: enquanto no ano de 2016 foi praticado o valor de R$ 600, desta vez são R$ 8 mil, preço classificado como inviável pelos permissionários.

A diretora-presidente da Adcointer e secretária da Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Caxias do Sul, Camila Sandri Sirena, e o gerente técnico Marcelo Nunes explanaram que a obrigação do edital se dá em virtude da lei federal 13.303, que entrou em vigor em julho de 2018. Segundo a administração, se não for realizada a licitação, haverá a possibilidade de apontamento e responsabilização legal pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS).

Pormenorizadas as obrigações do edital, o presidente da Câmara, Alberto Meneguzzi, sugeriu que a administração da Adcointer realize um encontro com conselheiros do TCE-RS com a finalidade de analisar a possibilidade da diminuição do valor do lance inicial. "Mudar a legislação federal, neste momento, é impossível. Precisamos achar alternativas. Talvez pudéssemos conversar com o Tribunal de Contas e alinhar os trabalhos a partir desse parecer", salientou. Também participou o presidente da Comissão de Agricultura, Agroindústria, Pecuária e Abastecimento da Câmara, Velocino Uez/PDT.

 

 

« Voltar