Cidades

Escolas aderem à paralisação nacional da educação

Manifestação é contra ao bloqueio de recursos anunciado pelo Ministério da Educação
15 de maio de 2019 às 10:39

PAÍS- Universidades, institutos e escolas de todo país realizam, hoje (15), a paralisação nacional da educação. As manifestações são contrárias ao bloqueio de recursos de cerca de 30% do orçamento de despesas das universidades e institutos federais, anunciado pelo Ministério da Educação (MEC).

Em Gramado, a Escola Estadual Santos Dumont foi a única a aderir ao movimento. O polo da Universidade Aberta do Brasil (UAB) está com o setor administrativo funcionando normalmente. Em Canela, a Escola Estadual Danton Corrêa da Silva informou à 4ª Coordenadoria Regional de Educação - Caxias do Sul que paralisaria as atividades. Um servidor da Escola Estadual Pedro Oscar Selbach também aderiu à greve. Outras escolas da região não anunciaram a adesão.

O ato unificado foi convocado pelas maiores entidades estudantis e sindicais do país, como a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). Em nota, a UNE declarou que “o governo usa o corte no setor como moeda de troca para aprovar a reforma da Previdência, assim como transformou o MEC em uma verdadeira máquina ideológica de perseguição”. Segundo a UNE, vão aderir à paralisação estudantes de 82 instituições, entre universidades públicas e privadas e institutos federais, além de redes estaduais de professores.

 




Publicidade
Publicidade