Cidades

ATO SHOW: Sindicatos esperam 50 mil trabalhadores

30 de abril de 2019 às 12:23
Foto: Rodrigo Positivo, Divulgação

Para marcar o Dia do Trabalho, nesta quarta (1), entidades sindicais realizam Ato Show, nos Pavilhões da Festa da Uva, das 13h às 20h. Com entrada franca, o evento terá oito atrações musicais, praça de alimentação e espaço infantil. Lideranças também abordarão a temática Em defesa da previdência pública e aposentadoria digna. “Desde 2003 sempre celebramos essa data com um ato. O principal objetivo é fazer com que este dia seja muito especial, de alegria, comemoração e confraternização”, ressaltou Nilvo Riboldi Filho, presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Caxias do Sul (SindiComerciários).

Sobre o tema em debate, Riboldi Filho salientou a importância de sindicatos e trabalhadores estarem unidos para que não seja aprovada a Reforma da Previdência nos moldes propostos. “Precisamos defender nossos direitos, conversar, refletir, nos unir e lutarmos contra medidas que podem acabar com a aposentaria e com a previdência pública, o que deixaria o trabalhador totalmente desamparado. Já temos o exemplo da reforma trabalhista, que tinha no discurso a geração de emprego, mas que só serviu para precarizar o ambiente de trabalho”, criticou. Entidades sindicais recolherão assinaturas para um abaixo-assinado contra a reforma da Previdência.

Seguindo a média de público das edições anteriores, os organizadores esperam que passem pelos pavilhões de 30 mil a 50 mil pessoas. Riboldi Filho adiantou que haverá cobrança de R$ 15 para o estacionamento em razão de ser terceirizado. “Lamentamos que o prefeito não tenha autorizado a troca do dia do passe livre nos ônibus. Ele quebrou uma tradição, um ato singelo, mas que beneficiava boa parte do nosso público”.

Abertura de lojas e mercados com funcionários está proibida

Nem lojas do varejo, nem supermercados poderão trabalhar nesta quarta-feira com a utilização de mão de obra de funcionários. A medida está prevista na convenção coletiva de trabalho assinada pelo Sindilojas e Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios com o SindiComerciários. Os estabelecimentos poderão abrir apenas com os proprietários que constam no contrato social da empresa.