APARTE

Política

11 de outubro de 2018 às 13:00 hr
Texto
-a
+a

A Prefeitura de Caxias do Sul publicou, ontem, no Diário Oficial Eletrônico, o decreto que fixa a trimestralidade do funcionalismo público, referente à média da inflação do período julho-setembro. O índice ficou em 1,54%. O percentual será pago na folha de pagamento deste mês. O cálculo feito pela Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz) leva em conta a média entre IGP-M/FGV, IPC/FIPE e IPC/IEPE.

 

SERÁ VERDADE?

 

Em pronunciamento na tribuna da Câmara, ontem, VelocinoUez/PDT também questionou o esquema montado pela Prefeitura para suprir o desmonte do pronto atendimento central. Segundo o pedetista, não há garantia de que os médicos que atuam no Postão irão aceitar assumir funções nas unidades básicas de saúde (UBSs). Ele acredita que a demanda vai aumentar e haverá menos médicos para atender a população.

 

EXONERAÇÕES À VISTA

 

A preocupação de VelocinoUez e outros vereadoresé pertinente. Isso porque, na reunião do Conselho Municipal de Saúde (CMS), na noite da última terça-feira (09) – logo depois do anúncio do fechamento do Postão – cerca da metade dos médicos que atuam na unidade manifestaram intenção de se exonerar do serviço público, conforme informou a presidente do colgiado, Fernanda Borkardt.

Esta é a segunda vez, em menos de dois meses, que a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) mexe com a escala dos profissionais. No início de setembro, o Executivo anunciou a readequação de escalas. O fato gerou tanta polêmica que o assunto já foi parar no Ministério Público (MP), em uma ação de improbidade administrativa contra o prefeito Daniel Guerra, o secretário de Saúde, Geraldo da rocha Freitas Júnior e as diretoras executivas Ana Paula Grando Fonseca e DemirseRufatto.

 

FAZ TUDO ERRADO

 

Na avaliação do presidente da União das Associações de Bairros (UAB), Valdir Walter, enquanto os prefeitos anteriores fizeram grande esforço para buscar médicos para a rede pública municipal de saúde, Daniel Guerra faz de tudo para que eles se exonerem. “Uma atitude infantil”, afirmou.

Valdir disse que a diretoria da UAB se reunirá esta semana para avaliar a situação. A intenção é adotar uma medida que possa reverter o fechamento do Postão 24h.

 

TEMPORADA DE NEUTRALIDADE

 

Aumenta a gama de partidos que definiu a neutralidade como postura com relação ao segundo turno para as eleições presidenciais. O Podemos informou, em nota divulgada, ontem, que vai se manter neutro, liberando os integrantes para apoiar Jair Bolsonaro/PSL ou Fernando Haddad/PT.

Além do Podemos, o PPS também decidiu pela neutralidade. “As candidaturas de Jair Bolsonaro e de Fernando Haddad trazem a marca de uma conflagração que alimenta radicalismos políticos sob a insígnia do ‘nós contra eles’, que ameaçam o próprio processo democrático”, diz a nota oficial. Também seguirão a mesma linha, os Democratas e o PR – partido do vereador Renato Nunes, que declarou apoio público a Bolsonaro, desde a vinda dele à Caxias do Sul, no início da campanha eleitoral.

 

PARECE MENTIRA

 

Tudo é possível na política brasileira. Nesta quarta-feira, o candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, recebeu uma carta de “apoio e apreço” de integrantes do PSDB. O petista confirmou que pretende conversar com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Haddad não divulgou quem participou do almoço, mas reiterou que todos estão empenhados em garantir a tranquilidade do país e, em especial, do processo eleitoral neste segundo turno. “[Estamos] conversando com todas as forças que queiram conter a barbárie, essa escalada [de violência] no país”, disse. “Vamos prosseguir no sentido de estabelecer protocolos de civilidade em proveito do futuro do Brasil”, declarou o candidato petista à Agência Brasil.

 

 

« Voltar