Política

APARTE

Depois de participar dois anos seguidos da Marcha para Jesus, em Caxias do Sul, esta semana, o prefeito Daniel Guerra/PRB foi à Brasília, participar, pela primeira vez desde que se tornou
10 de abril de 2019

Depois de participar dois anos seguidos da Marcha para Jesus, em Caxias do Sul, esta semana, o prefeito Daniel Guerra/PRB foi à Brasília, participar, pela primeira vez desde que se tornou chefe do Executivo, da Marcha em Defesa dos Municípios, promovida pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Em abril deste ano, o prefeito foi à Maringá/PR, participar do Seminário de Gestão, Projetos e Liderança. Ao sair de Caxias para se capacitar como gestor e se unir aos prefeitos de todo o país em busca de mais recursos para os municípios, Daniel Guerra demonstra uma mudança de hábito no modo de governar. Isso porque sai do casulo do gabinete para vislumbrar novos horizontes.

Que a prática se reproduza também em nível municipal. De vez em quando, pelo menos, é salutar trocar a burocracia da papelada do gabinete por um simples passeio pela cidade. Quem sabe assim, verifica in loco, que tem banco quebrado e sem pintura numa praça, precisando de conserto, por exemplo. Ação esta que, na maioria das vezes, nenhum assessor pode fazer pelo gestor.

PERSEGUIÇÃO TRIBUTÁRIA

O vereador Rafael Bueno/PDT disse, na sessão desta terça (9), que o governo municipal cobra dívida ativa só dos pequenos devedores. Isso porque a Secretaria Municipal da Fazenda enviou mais de 32 mil cobranças para contribuintes que devem entre R$ 1 mil e R$ 5 mil, com vencimento em 20 de maio. Em caso de não pagamento, a cobrança vai para o Cartório de Protesto. "Faz isso num momento de altas taxas de desemprego, com pessoas tendo que ir às ruas para vender o que conseguem para sobreviver, sem conseguir comprar remédios e dar alimentos aos filhos", ressaltou.

O pedetista cobrou do Executivo o programa Refis Caxias. Conforme ele, desde 2017, os vereadores pedem que o governo adote a estratégia para negociar a dívida ativa. “O prefeito Daniel Guerra, enquanto vereador, era contra Refis, porque estaria defendendo caloteiros e grandes empresários. Mas agora penaliza aqueles que não têm condições sequer de sobreviver dignamente", comparou.

PPP VETERINÁRIA

A vereadora Tatiane Frizzo/SD protocolou, nesta terça, indicação ao Executivo para a realização de parcerias público-privadas para aumentar o número de castrações de animais. Pegando carona no projeto do Código de Proteção Animal, recentemente protocolado na Câmara pelo Executivo, Tatiane também propôs a criação de um hospital público veterinário. A ideia é implantar o projeto em parceria com a Universidade de Caxias do Sul e ou Faculdade Murialdo, que já têm estrutura no setor. "As parcerias vão beneficiar as famílias mais pobres, melhorar a qualidade de vida dos animais e as condições de saúde de todos”, afirma. A indicação é de livre aceitação por parte do prefeito Daniel Guerra.

DELEGACIA ESPECIAL DO IDOSO

A instalação do órgão, em Caxias do Sul, foi discutida, na tarde desta terça-feira (9), durante reunião da Comissão do Idoso da Câmara de Vereadores com o delegado regional de Polícia Civil, Paulo Rosa. O encontro ocorreu no Palácio da Polícia e contou com a participação do presidente da comissão, Felipe Gremelmaier/MDB e os integrantes Adiló Didomenico/PTB, Renato Oliveira/PCdoB, Tatiane Frizzo/SD e Velocino Uez/PDT. Também participaram a apresidente do Conselho Municipal do Idoso, Vanisse Zancan, e o assessor da Comissão do Idoso, Rafael Toigo.

Conforme Felipe, a parceria do delegado fortalece a reivindicação. “Também julgamos importante o delegado ter apresentado números sobre ocorrências policiais envolvendo idosos, o que reforça a necessidade da delegacia”, salientou. De acordo com o delegado, Caxias tem média anual de 2,6 mil casos policiais envolvendo idosos como vítimas, a maioria por maus-tratos e estelionato.





Publicidade